Últimas Notícias


Memória à Irmã Goreti

É muito gratificante para mim, fazer um pouco de memória, com algumas pinceladas, sobre a presença de Irmã Goreti (Maria Cavati) em Saquarema /RJ.

Após uma longa caminhada, 92 anos, e destes, 70 de Vida Religiosa Consagrada, e mais de 50, vividos em Saquarema, fica, para nós, uma grande e terna lembrança do quanto significa todo este caminho percorrido pela Irmã Gorete, na trilha de Madre Maria das Neves. Para ela, tenho certeza, foi um privilégio ter sido esta caminhada, realizada aqui, em Saquarema, local onde Madre Maria das Neves concretizou seu sonho de servir a Deus nos pobres e pequenos.

Posso, sem medo de erro, dizer que Irmã Gorete, aqui em Saquarema, por todo este tempo, à imitação de Madre Maria das Neves, carinhosamente, serviu a Deus nos pobres. Sua dedicação, doação, à causa do Instituto “Madre Maria das Neves”, hoje Centro Social “Madre Maria das Neves”, foco de sua entrega, foi sem limites, hoje, inesquecível.

No serviço às crianças assistidas, foi incansável no tempo do internato, buscando doações para a manutenção da Obra e assistência às crianças e adolescentes. Quando o Instituto passou a externato, além de continuar a busca por doações, ainda se empenhava na remoção das crianças de suas casas para o Instituto, pois não havia transporte urbano no bairro do Boqueirão, onde elas residiam. Buscava-as, de Kombi, pela manhã e, à tarde, levava de volta.

Nossa querida Irmã Goreti foi, também, uma apóstola na Paróquia “Nossa Senhora de Nazaré”, em Saquarema, Bacaxá, Sampaio Correia e Jaconé, conduzindo, de Kombi, o padre Manoel, o pároco, às Comunidades, para as Celebrações Eucarísticas, Batismo, cursos ministrados por ele. Enfim, com esse serviço, favoreceu a assistência religiosa ao povo da Paróquia, que era muito extensa. Não esqueço o seu coral, animando as Celebrações Eucarísticas. Gorete foi uma grande evangelizadora e alfabetizadora, com sua escolinha, na sacristia da Igreja “Santo Antônio”, de Bacaxá. Muitos são os profissionais que passaram por suas mãos. Olhando a vida dessa missionária, vejo que, ali, existia uma MOLA MESTRA para toda essa dedicação, doação e entrega, na simplicidade. O grande amor que a alimentava: Jesus na Eucaristia e Sua Mãe, através da grande devoção ao rosário.

Aqui, temos um pequeno resumo de quem foi a Irmã Goreti para nossa Saquarema, um grande legado que a Congregação ofereceu à terra amada por Madre Maria das Neves.

Homenagem do povo de Saquarema: a nossa Paróquia “Nossa Senhora de Nazaré” fez o enceramento do mês em honra a Nossa Senhora, com a procissão, saindo de nossa capela até a Igreja matriz. A imagem de Nossa Senhora de Nazaré ficou o dia conosco. À 18hs, abrimos a capela para acolher as pessoas que fariam parte da procissão. Para surpresa nossa, com a capela cheia, foi feita a homenagem à Irmã Goreti, em agradecimento aos relevantes trabalhos por ela realizados em favor do povo. O sr. Otávio, coordenador dessa atividade, é ex-aluno dela.

 

 

Irmã Zélia Maria Salgado Gomes

Comunidade “Mãe da Providência”, Saquarema/RJ


Despertar Juvenil

No último dia 08, com alegria e expectativas, realizamos aqui, em nossa Comunidade "Mãe da Providência", em Saquarema/RJ, o nosso primeiro Despertar Juvenil, para os jovens acima de quatorze anos de idade. Na preparação e realização desse encontro, contamos com a ajuda do Seminarista Bernardo César, Irmãs Emília Gonçalves e Mellina Botelho que, mesmo tendo chegado há dois dias à nossa Comunidade, colaborou com a animação do encontro.

No primeiro momento, tivemos a acolhida, com música e apresentação dos participantes.  Em seguida, com a Irmã Gorete, fizemos um momento de interiorização, escuta, relaxamento e oração. E, ainda, para descontrair, dançamos a música da Amizade.

Depois de serem acolhidos, fizemos uma roda ao ar livre, para refletirmos sobre o tema: " Vocação à vida e o amor de Deus", com o seminarista Bernardo, que trouxe o exemplo de São Paulo Apóstolo como testemunho da graça e misericórdia de Deus. Terminamos essa parte com uma dinâmica no campinho, onde os jovens foram desafiados a caminhar de olhos vendados, ouvindo apenas uma voz em meio a tantas que tentavam atrapalhar.

No segundo momento, convidei os jovens a tomarem consciência de que a vivência cristã é uma resposta concreta ao chamado à vida e ao amor de Deus por nós.  Trouxe, como motivação, o texto " Santos de calça jeans", de São João Paulo II.

Como exemplo de vivência cristã, passei um vídeo sobre a vida do Beato Carlo Acutis, padroeiro da Internet, que reflete muito bem o que o Papa João Paulo disse.

Além disso, trouxe os principais pontos do capitulo: " O chamado à santidade" do documento "Gaudete et exsultate", do Papa Francisco, para animar os jovens na busca e vivência da santidade com alegria, discernimento, e perceber que isso não é algo restrito, mas um chamado universal.

Concluímos esse momento com uma dinâmica feita com balões e alfinetes, para que fossem induzidos ao erro, e, um por um, começassem a estourar os balões uns dos outros.

Com isso, refletimos que, para viver a santidade, é preciso ter discernimento, para não nos deixarmos enganar por sinais e caminhos que, muitas vezes, parecem ser bons, mas nos levam para longe de Deus.

Após esse momento, enquanto cantávamos um refrão meditativo, nos dirigimos à capela, onde foram convidados a estarem diante de Deus e retomarem aquilo que vivenciaram e ficou mais forte.

Ficamos felizes com a presença e participação de cada um, e pelo retorno positivo que nos deram. Esse encontro nos trouxe esperança para que, aos poucos, possamos continuar caminhando juntos, em outros encontros.

Irmã Gislane Paiva de Araújo


Educandário “Dom Silvério”, 112 Anos

Aos 20 de maio de 1912, nascia, em Cataguases-MG, o Educandário “Dom Silvério”, uma Obra Social coordenada pelas Irmãs Carmelitas da Divina Providência, com o intuito de receber crianças em situação de vulnerabilidade, e ofertar conhecimento cristão e valores, para criar um ser humano cada vez mais íntegro.

No dia 20 de maio de 2024, 112 anos após a construção desta obra, e estamos aqui para comemorar. Qual forma melhor se não, proporcionando as crianças uma semana inteira de atividades diferenciadas e fora do ambiente a que estão acostumadas! Por este motivo, a equipe pedagógica, com o apoio dos demais funcionários, durante os dias 13 a 20 de maio, os educandos do “EDS” voltaram no tempo, para conhecer o antigo prédio, por fotos. Aprenderam sobre Santa Rita, Padroeira da Cidade, que nos ensina sobre fé e obediência todos os dias. Visitaram o Museu com lembranças preservadas, desde a chegada da Madre Bernadete e demais Irmãs a Cataguases. Tivemos passeio à Reserva Ecológica Água limpa, Pit stop, com perguntas de conhecimentos sobre nossa Obra, momento cinema com o filme “kung fu Panda”, e vários lanches gostosos.

Qual a melhor forma de comemorar um aniversário, se não com festa? Neste dia 20 de maio, tivemos um delicioso almoço e, claro, o bolo para os parabéns. Como um momento de festa e alegria, nossas crianças puderam partilhar do amor e carinho de Jesus com Seus filhos.

Pedimos a Deus que prolongue a vida daqueles que, todos os dias, se levantam para cumprir o legado de Madre Maria das Neves e Madre Bernadete, que Nossa Senhora do Carmo continue abençoando crianças, pais, funcionários e Irmãs, para que muitas outras crianças possam degustar o prazer que é ser uma criança do Educandário “Dom Silvério”.

 

Carolina Rodrigues Fialho


150 Anos do Nascimento de Madre Bernadete

Louvores a Deus pelo nascimento de Carolina Rosa de Abreu Macedo, a 3 de maio de 1874, em Valença/RJ

A Congregação fundada por Madre Maria das Neves estava em seu início, quando Carolina chega a Campos, e é acolhida pela Fundadora, no dia 13 de julho de 1905. Logo, neste primeiro encontro, sente-se tocada pelo olhar profundo de Madre Maria das Neves, dois corações que se encontram para caminharem juntas no mesmo ideal, na busca da vontade de Deus.

Foram, apenas, 8 meses de convivência, o suficiente para ser conhecida por Madre Maria das Neves, possibilitando a esta dizer, com segurança, para a sua pequenina família, antes da morte: “Deixo-vos um tesouro na pessoa desta Postulante”. Palavras benditas, inspiradas pelo Espírito Santo, naquele momento. Surge, então, fé e esperança para a pequena Congregação iniciante.

Hoje, 150 anos são passados do seu nascimento, e estamos vendo acontecer a profecia dessas palavras de Madre Maria das Neves.

Falecem as duas, a primeira, no dia 08 de março de 1906, e a segunda, Madre Bernadete, em 08 de dezembro de 1930. Caminha a Congregação, seguindo os passos e exemplos de vida que elas nos deixaram, e amparadas pela Providência de Deus, que continua chamando seguidoras para o nosso Carmelo.

Madre Bernadete chega a Cataguases em 06 de fevereiro de 1912, com a missão de fundar o Colégio Nossa Senhora do Carmo, a pedido do Pároco esta cidade, com um pequeno grupo de Irmãs, para a missão de educadores, fazendo, então, a abertura das aulas, no dia 10 de fevereiro do mesmo ano, sendo ela a primeira diretora da Escola.

O carisma de Madre Maria das Neves, começa a agir na Congregação, com a primeira Obra Social, o Educandário “Dom Silvério”, fundado em 20 de maio do mesmo ano.

150 anos se passaram desde o nascimento de nossa Madre Bernadete, e não poderíamos deixar esta data sem uma solene comemoração, neste dia 03 de maio de 2024, data muito importante para toda a Congregação.

E, assim, com amor, dedicação e gratidão, os passos foram dados pela Diretora atual, Irmã Maria Helena Lomeu, com uma equipe de professoras e coordenadoras dedicadas, juntamente com a nossa Irmã Sebastiana Pereira Pires (Tiana), que, com muito amor, se empenhou para que acontecesse esta homenagem. Juntamente com toda a equipe, estava o professor Gilmar Moreira, responsável pelo memorial “Carmelitas da Divina Providência”. Juntos, fizeram acontecer uma belíssima encenação sobre a vida de Madre Bernadete, a partir do seu nascimento, até a sua entrada na Congregação, o que encantou a todos.

Participaram desse momento as crianças e funcionários do Educandário, e crianças do Colégio “Carmo”. Presentes, a superiora geral, Irmã Imaculada Resende Pereira, e o conselho da Congregação, a Irmã Luciana Flávia, secretária, Irmãs de Juiz de Fora e Viçosa, com representantes das duas Escolas, Irmãs de Belo Horizonte, Barbacena, Teresópolis e São João Del Rei, Carmelitas leigos, Padre Renato, Padre Geovani, Monsenhor José Carlos e o Padre Nédio, de Belo Horizonte, amigos, e o Prefeito de Cataguases.

No início, a Irmã Maria Helena, também do conselho, convidou a Irmã Dahlia Peixoto e a Irmã Auxiliadora Fernandes, que foram diretoras das duas Obras, para descobrirem a bela placa em homenagem a Madre Bernadete, localizada na entrada do Prédio da Educação Infantil.

Após esse momento, Irmã Imaculada fez a leitura da carta de convocação para a assembleia capitular, que será realizada de 13 a 22 de janeiro de 2025. Momento importante para toda a Congregação.

Deu – se continuidade aos festejos programados, com a encenação da vida de Madre Bernadete, a partir da sua infância até a sua entrada no Carmelo de Madre Maria das Neves.

As crianças do Educandário e do ensino fundamental I do Carmo cantaram lindamente, em todos os momentos, com vida e entusiasmo. No final, muitas fotos foram tiradas, e o mais importante foram as demonstrações de alegria, e gratidão por tudo o que aconteceu. Impossível expressar tudo. Somente podemos dizer que a gratidão e a alegria eram visíveis e contagiantes. Nós, Irmãs Carmelitas, agradecemos a todos que fizeram acontecer esse momento tão sublime e lindo. Demos graças a Deus! Em uníssimo, cantamos: Somos todos Carmelitas.

Irmã Maria Auxiliadora Fernandes


Missão Vocacional na Paróquia Nossa Senhora da Conceição São Miguel do Anta

Nos dias 18 a 21 de abril, aconteceu a Missão Carmelita na cidade de São Miguel do Anta/MG, onde nós, Irmãs Carmelitas da Divina Providência, juntamente com uma equipe de leigos, adultos e jovens, estivemos, atendendo ao convite do Pároco, Pe. Robson Cunha Chagas. Tal missão nos possibilitou transmitir a espiritualidade Carmelita nas visitas às famílias, nas escolas, nos encontros de formação e nas celebrações.

O Tema foi: CARMELO: Um Lugar, Um Caminho, Uma Missão,inspirado no texto bíblico: “Levanta-te e vem beber desta fonte” (1Rs 17, 1-6). Nossa equipe foi constituída pelas Irmãs: Graça Fernandes, Fransinette Ramos e Marlene Valdevina; Postulante Izabela Maria; Vocacionadas Daniela Caetano e Vitória Aparecida; e os leigos: Pedro Lopes, Anália Ataíde, Arlete Rocha, Lucineia Silva, Giovanna Almeida. Colaboraram, como assessores, em algumas atividades: Irmã Rita de Cassia, Juliana Fontes, Seminarista Samuelson Mesquita, da Arquidiocese de Mariana, e Francis Paulina, da Fraternidade dos Carmelitas Leigos.

Na noite do dia 18, nossa equipe foi recebida com alegria pela liderança leiga da Paróquia, e nos dedicamos a preparar o ambiente e fazer os primeiros contatos com a Comunidade.

Dias 19 e 20, uma equipe dedicou-se às visitas às famílias e outra equipe, às Escolas Estaduais.  Houve uma tarde de formação, coordenada por Francis, sobre a Espiritualidade do Carmelo. O Seminarista Samuelson coordenou a Celebração da Palavra na Capela Santa Filomena. À noite, tivemos a oportunidade de rezar, à maneira Carmelita, o Terço Vocacional e o Oficio de Nossa Senhora do Carmo.

Houve, também, à noite, encontros com os coroinhas e com os jovens da Paróquia, além de celebrações.

Em todos os contextos, tivemos a oportunidade de divulgar a nossa espiritualidade, despertando a todos para a importância da consciência vocacional.

Trabalhamos, com os jovens, o texto proposto pela Irmã Marlene Frinhani, Venham ver comigo uma Fonte especial, despertando-os para a oportunidade de refletir sobre o ver: a realidade que nos cerca;pensar: possibilitando termos uma consciência crítica, e a nos questionarmos diante de determinadas situações; escutar: aprendendo com Elias a estar atentos para ouvir a voz de Deus, diante da situação que nos cerca, compreendendo o que Ele quer nos falar; e amar: sendo capazes de nos lançarmos em prol de nossos irmãos e irmãs,  colocando-nos a serviço, pelo bem estar e a paz de cada um, como Jesus viveu e nos ensinou.

No dia 21, também dedicado às orações pelas vocações, encerramos nossas atividades missionárias, durante a Celebração Eucarística, às 10h. O Pe. Robson agradeceu à equipe, convidou as Irmãs e os missionários a se apresentarem, e deixarem sua mensagem aos presentes. Oferecemos, a cada Comunidade da Paróquia, um quadro de Nossa Senhora do Carmo, como lembrança da nossa visita missionária. Em seguida, a senhora Isabel da Silva Fontes leu uma mensagem de agradecimento, em nome dos paroquianos, e o Pe. Robson orientou os fiéis sobre a forma como seriam recebidos os Escapulários. Enfim, após a bênção, foi realizada a imposição do Escapulário de Nossa Senhora do Carmo, para aqueles que fizeram a preparação.

Durante os dias da missão, mais do que levar uma contribuição ao povo, tivemos a oportunidade de viver nossa espiritualidade, indo ao encontro de Deus, na vida de cada pessoa. Assim, pudemos experimentar o sentido da sinodalidade, que o Papa Francisco nos vem incentivando a vivenciar.

Nós, Irmãs Carmelitas da Divina Providência, em nome da equipe envolvida nessa Missão, queremos, aqui, manifestar nossa gratidão a todos os que, de alguma forma, nos prestaram seu apoio, desde o tempo de preparação, até a realização do trabalho missionário. Seja com suas orações, no suporte material, na organização e no desenvolvimento, tantos foram protagonistas imprescindíveis, para que pudéssemos levar a mensagem de Cristo, do jeito de ser Carmelita! O alegre testemunho fraterno de tantos nos faz experimentar o verdadeiro sentido de sermos Igreja em saída.

Na pessoa da Irmã Sônia Estevam, expressamos nosso agradecimento especial à Comunidade Educativa do Colégio Nossa Senhora do Carmo, de Viçosa, pelas doações e impressão de uma parte do material que utilizamos nesses dias.

Enfim, destacamos o papel significativo da equipe de acolhida e apoio da Paróquia, desde os adultos, jovens e crianças, que nos acompanharam em todas as visitas às famílias e escolas, e demais atividades realizadas. Assim, também, as pessoas que cuidaram de nosso bem-estar, alimentação e repouso. Tudo, graças ao zeloso Pároco, Pe. Robson que, com sua competência e carinho de pastor para com suas ovelhas, organizou e proveu tudo, junto à Coordenação Paroquial, pelo bom êxito da missão.

Por tudo, demos graças ao Senhor, que realiza em nós maravilhas!

 

 

Irmã Maria Fransinette Ramos

Postulante Izabela Maria da Silva Santos


Encontro Formativo da USGCB

“Os religiosos e as religiosas, como todas as outras pessoas consagradas, são chamados a ser “peritos em comunhão.”

(Papa Francisco)

 

 

Aconteceu, nos dias 06 e 07 de abril de 2024, na Casa de Retiros Santíssima Trindade, em Belo Horizonte/MG, o Encontro Formativo da USGCB (União das Superioras Gerais – Congregações Brasileiras) do Regional Minas e Espírito Santo.

O Encontro, com foco formativo, foi aberto para os Governos das Congregações, contando, assim, com a presença não somente das Superioras e Superiores, mas, também, das Conselheiras, Ecônomas e Secretárias. Participaram do Encontro as nossas Irmãs Imaculada Resende, Teresa Cristina Carvalho, Meiriane Rodrigues e eu, Luciana Flávia. A temática abordada foi a seguinte: “COMUNICAÇÃO NÃO VIOLENTA E RESOLUÇÕES DE CONFLITOS NA VIDA RELIGIOSA CONSAGRADA” que o Assessor Nilton Cesar Boni, Claretiano, sabiamente modificou para “AS CONVERSAÇÕES E A RESOLUÇÃO DE CONFLITOS DENTRO DA VIDA RELIGIOSA CONSAGRADA”.

O encontro se iniciou com uma bela oração a partir da mística do tempo pascal, bem como nos introduzindo na temática do mesmo. O ponto alto da oração foi a proclamação do evangelho de Jo 8,2-10 que, mistagogicamente, conta a cena da mulher pecadora, a quem Jesus não julga e nem condena, mas a traz para o centro, restituindo sua dignidade e liberdade. Características próprias de uma conversação geradora de encontros e de espiritualidade e, portanto, uma ação apreciativa que tira do interior da pessoa o seu melhor, fazendo com que as relações se tornem mais humanas, assertivas e positivas no  dia a dia.

O Padre Nilton desenvolveu o tema de uma maneira muito pedagógica e dinâmica, proporcionando uma comunicação interativa, apreciativa e próxima. Não deixando, porém, de abordar questões pertinentes, fazendo sérias interpelações ao grupo, com apresentação e exemplos de diversas situações concretas que vem acontecendo na Vida Religiosa Consagrada.

O ponto de partida para iniciar a conversa teve como norte a seguinte pergunta:  Qual é o Raio X da Vida Religiosa Consagrada Hoje? Esta foi sendo respondida tranquilamente pelo grupo, trazendo partilhas que se tornavam comuns às realidades particulares de cada Instituto. Foi, realmente, um bonito e profundo espaço de abertura e humildade, feito através das colocações de cada Irmã e Irmão. Assim, destacamos algumas preocupações, apresentadas pelas Superioras/res, que tem acometido nossa vivência enquanto Vida Religiosa Consagrada e, portanto, interferindo em relações conflituosas. São as seguintes: "Está faltando identidade e comunhão na Vida Religiosa Consagrada; falta de paciência e escuta, por faltar tempo; Envelhecimento humano, cada vez mais aumentado entre os membros; Carência de afetos; Relações reais, relações virtuais, Afetos mal trabalhados; Perda do sentido da Consagração; Acúmulo de funções; Projeto Pessoal, superando o Projeto Institucional; muitas obras e pouco pessoal; Vida Religiosa Consagrada em processo de transição; Conflitos geracionais e falta de recreação".

Diante deste quadro apresentado pelas Congregações, o assessor foi trabalhando a temática, considerando que a Vida Religiosa Consagrada é chamada a ser luz onde ela está. Trouxe, assim, luzes para estas questões, e apresentou outras ambiguidades que tem sido frequentes entre os consagrados. A saber: "o império do individualismo; poder e autoridade exercidos sem caridade; espiritualidade não religiosa, sem líderes e sem instituição; crise do servir, querem ser servidos; geração “fast”, rapidez, sucesso e lucro; cansaço marcado pelo egocentrismo; a influência da sociedade líquida; do cansaço; do desempenho, entre outras realidades que tem constantemente distraído o estilo de viver a Consagração. Porque estamos imersos no mundo, e não à parte. Dessa maneira, aqueles/as que chegam até nossos Institutos carregam as características da atualidade. A superficialidade tem sido a marca de muitos Consagrados/as. Outro ponto muito debatido pelo Padre Nilton foi sobre a fidelidade ao Carisma. Nossos Institutos devem ser fiéis ao Carisma. Esse é inegociável, ou seja, deve-se ser fiel ao Carisma fundante, pois ele é DOM.  O Carisma é a verdade, e a credibilidade passa por ele. A pastoral vocacional deve ser feita na verdade, apresentando o real. Devemos ser transparentes e sinceros com aquelas/es que nos buscam. Segundo Padre Nilton, “o Conflito na Vida Religiosa Consagrada acontece por falta de autoconhecimento, pela mistura de questões pessoais, pela falta de definição como pessoa e pela busca de desculpas”. Nesse sentido, em se tratando de resoluções de conflitos, deve-se ter sempre como foco o Mestre Jesus, que faz uso da Conversação Espiritual, como no Episódio de Emaús que prioriza a fala, a escuta, o reconhecimento e a partilha.  E toda forma de resolução de conflitos deve ser feita na sinodalidade. Isso acontece a partir da transformação que envolve a Misericórdia, a descida até o outro, ver de dentro. Enfim, a resolução de conflitos se dá quando há compreensão, respeito e amor, acontece no coração. Em síntese, o assessor nos indica, como caminho de resolução de conflitos na Vida Religiosa Consagrada, o seguinte: é preciso “Voltar às fontes da própria vocação; Reintegrar o carisma; Projeto Pessoal de Crescimento; Projeto Comunitário; Fazer uma releitura da própria história; Abrir-se à prática das conversações (CNV (Comunicação Não Violenta), Geradoras e Espirituais); Formação permanente intensa; Diálogo, Direção Espiritual e Terapia.”

Deixemo-nos tocar pela outra que nos cerca, com toda sua realidade, e sejamos luz e transformação em nossas divergências interpessoais. Que os nossos conflitos nos tornem mais humanas e misericordiosas e que sejamos, de fato irmãs e compassivas.

 

Irmã Luciana Flávia Gonçalves

 

 

 

 


Família Carmelita em Missão no Pará

Como proposta do ano Vocacional da Família Carmelita do Brasil, foi realizada uma missão, nos dias 22 de março a 01 de abril de 2024, na Prelazia de Itaituba/PA, onde é bispo nosso irmão Carmelita Dom Vilmar Santini. Estavam presentes missionárias de nossa Congregação num total de nove, incluindo as Irmãs que vivem lá, três das Missionárias de Santa Teresinha, Frades das duas Províncias e do comissariado do Paraná, num total de doze, e três leigas da Ordem Terceira, de Pernambuco, Aracaju e Manaus. Frei Luís Maza, representante da Ordem para as Américas, e Frei Tobias kraus, responsável pelos Mosteiros, também estiveram presentes, apoiando a iniciativa da missão.

Foi um tempo de graça, partilha, alegria de encontros e reencontros. Os dois primeiros dias foram dedicados ao conhecimento da realidade local e da presença Carmelita nas terras amazônicas desde a vinda dos primeiros frades para o Brasil.  Contamos com a assessoria do dom Vilmar, como bom historiador, e de um sacerdote de Santarém, conhecedor da realidade missionária na Amazônia. No sábado, à noite, tivemos um momento cultural, com a apresentação do carimbó, e de comidas típicas, como: tambaqui assado com açaí e farinha de mandioca, pupunha, tacacá, doces de Murici, sucos de Buriti e Murici, etc. Forró e muita animação.

 No domingo de Ramos, iniciamos a missão, participando das celebrações nas diversas comunidades.  

Encontramos uma realidade de grande carência de presença da Igreja Católica e forte presença de igrejas evangélicas, desafiando e clamando a atração de mais missionários. A cidade tem crescido, assustadoramente, em pouco tempo. Escutamos os clamores do povo em relação à destruição da natureza, com presença de madeireiras, plantações de soja, queimadas, fumaça, calor excessivo, secas, garimpos, espalhando mercúrio, provocando a morte dos peixes, e adoecendo a população. Em contrapartida, muitos vivem do trabalho nos garimpos, madeireiras, vendas de peixe, etc., e acham normal o que fazem. Falta consciência ecológica e política. Trabalho desafiante, é pisar em campo minado!

Foi constatar o que se ouvia pelas noticiais.

A maioria das equipes ficou na Paróquia recém-criada, Santa Teresinha. Duas equipes foram para comunidades ribeirinhas, mais distante da cidade de Itaituba. As equipes se entreajudaram para realizar as celebrações da Semana Santa, pela primeira vez, nas comunidades. Foi um mutirão de visitas às famílias em cada setor. A Igreja saiu, foi ao encontro do povo. Participaram, diretamente, da equipe da missão: três seminaristas, o diácono Mateus, um casal e duas leigas. E, nos setores, outros se uniram, participando das visitas e atividades realizadas. No sábado, à tarde, houve um encontro com uns 30 jovens na sede da Paróquia. Foi um tempo forte de vivência da fé, de incentivo ao povo para se unir, e formar comunidades discípulas missionárias, um escutar com o coração o clamor da vida, das pessoas, da casa comum.

 Irmã Gorete (Irmã Maria Alves de Farias)

Veja Mais

Lugares da nossa missão

Amazonas

- Manaus

Pará

- Itaituba

Equador

- Puyo

Pernambuco

- Petrolina

- Olinda

- Sapucarana

Espírito Santo

- Anchieta

Haiti

- Porto Príncipe

Ceará

- Caririaçu

Rio de Janeiro

- Rio de Janeiro

- Teresópolis

- Saquarema

Eventos

  • 16/07/2024

    Festa de Nossa Senhora do Carmo - Paróquia São João Evangelista - Bairro Serra, Belo Horizonte/MG
  • 07/07/2024

    Início da Novena de nossa Senhora do Carmo - Nas Comunidades -
  • 29/06/2024

    Encontro dos Educadores Carmelitas da Divina Providência - Colégio Carmo de Juiz de Fora/MG

Animação Vocacional

Veja Mais


Rua Caraça, 648 / Serra / Belo Horizonte - MG / CEP: 30220-260
E-mail: secretgeral@carmelitasdiviprov.com.br
Telefone: (31) 3225-4758

Irmãs Carmelitas
Da Divína Providência