Notícias


Memória à Irmã Goreti

É muito gratificante para mim, fazer um pouco de memória, com algumas pinceladas, sobre a presença de Irmã Goreti (Maria Cavati) em Saquarema /RJ.

Após uma longa caminhada, 92 anos, e destes, 70 de Vida Religiosa Consagrada, e mais de 50, vividos em Saquarema, fica, para nós, uma grande e terna lembrança do quanto significa todo este caminho percorrido pela Irmã Gorete, na trilha de Madre Maria das Neves. Para ela, tenho certeza, foi um privilégio ter sido esta caminhada, realizada aqui, em Saquarema, local onde Madre Maria das Neves concretizou seu sonho de servir a Deus nos pobres e pequenos.

Posso, sem medo de erro, dizer que Irmã Gorete, aqui em Saquarema, por todo este tempo, à imitação de Madre Maria das Neves, carinhosamente, serviu a Deus nos pobres. Sua dedicação, doação, à causa do Instituto “Madre Maria das Neves”, hoje Centro Social “Madre Maria das Neves”, foco de sua entrega, foi sem limites, hoje, inesquecível.

No serviço às crianças assistidas, foi incansável no tempo do internato, buscando doações para a manutenção da Obra e assistência às crianças e adolescentes. Quando o Instituto passou a externato, além de continuar a busca por doações, ainda se empenhava na remoção das crianças de suas casas para o Instituto, pois não havia transporte urbano no bairro do Boqueirão, onde elas residiam. Buscava-as, de Kombi, pela manhã e, à tarde, levava de volta.

Nossa querida Irmã Goreti foi, também, uma apóstola na Paróquia “Nossa Senhora de Nazaré”, em Saquarema, Bacaxá, Sampaio Correia e Jaconé, conduzindo, de Kombi, o padre Manoel, o pároco, às Comunidades, para as Celebrações Eucarísticas, Batismo, cursos ministrados por ele. Enfim, com esse serviço, favoreceu a assistência religiosa ao povo da Paróquia, que era muito extensa. Não esqueço o seu coral, animando as Celebrações Eucarísticas. Gorete foi uma grande evangelizadora e alfabetizadora, com sua escolinha, na sacristia da Igreja “Santo Antônio”, de Bacaxá. Muitos são os profissionais que passaram por suas mãos. Olhando a vida dessa missionária, vejo que, ali, existia uma MOLA MESTRA para toda essa dedicação, doação e entrega, na simplicidade. O grande amor que a alimentava: Jesus na Eucaristia e Sua Mãe, através da grande devoção ao rosário.

Aqui, temos um pequeno resumo de quem foi a Irmã Goreti para nossa Saquarema, um grande legado que a Congregação ofereceu à terra amada por Madre Maria das Neves.

Homenagem do povo de Saquarema: a nossa Paróquia “Nossa Senhora de Nazaré” fez o enceramento do mês em honra a Nossa Senhora, com a procissão, saindo de nossa capela até a Igreja matriz. A imagem de Nossa Senhora de Nazaré ficou o dia conosco. À 18hs, abrimos a capela para acolher as pessoas que fariam parte da procissão. Para surpresa nossa, com a capela cheia, foi feita a homenagem à Irmã Goreti, em agradecimento aos relevantes trabalhos por ela realizados em favor do povo. O sr. Otávio, coordenador dessa atividade, é ex-aluno dela.

 

 

Irmã Zélia Maria Salgado Gomes

Comunidade “Mãe da Providência”, Saquarema/RJ


Despertar Juvenil

No último dia 08, com alegria e expectativas, realizamos aqui, em nossa Comunidade "Mãe da Providência", em Saquarema/RJ, o nosso primeiro Despertar Juvenil, para os jovens acima de quatorze anos de idade. Na preparação e realização desse encontro, contamos com a ajuda do Seminarista Bernardo César, Irmãs Emília Gonçalves e Mellina Botelho que, mesmo tendo chegado há dois dias à nossa Comunidade, colaborou com a animação do encontro.

No primeiro momento, tivemos a acolhida, com música e apresentação dos participantes.  Em seguida, com a Irmã Gorete, fizemos um momento de interiorização, escuta, relaxamento e oração. E, ainda, para descontrair, dançamos a música da Amizade.

Depois de serem acolhidos, fizemos uma roda ao ar livre, para refletirmos sobre o tema: " Vocação à vida e o amor de Deus", com o seminarista Bernardo, que trouxe o exemplo de São Paulo Apóstolo como testemunho da graça e misericórdia de Deus. Terminamos essa parte com uma dinâmica no campinho, onde os jovens foram desafiados a caminhar de olhos vendados, ouvindo apenas uma voz em meio a tantas que tentavam atrapalhar.

No segundo momento, convidei os jovens a tomarem consciência de que a vivência cristã é uma resposta concreta ao chamado à vida e ao amor de Deus por nós.  Trouxe, como motivação, o texto " Santos de calça jeans", de São João Paulo II.

Como exemplo de vivência cristã, passei um vídeo sobre a vida do Beato Carlo Acutis, padroeiro da Internet, que reflete muito bem o que o Papa João Paulo disse.

Além disso, trouxe os principais pontos do capitulo: " O chamado à santidade" do documento "Gaudete et exsultate", do Papa Francisco, para animar os jovens na busca e vivência da santidade com alegria, discernimento, e perceber que isso não é algo restrito, mas um chamado universal.

Concluímos esse momento com uma dinâmica feita com balões e alfinetes, para que fossem induzidos ao erro, e, um por um, começassem a estourar os balões uns dos outros.

Com isso, refletimos que, para viver a santidade, é preciso ter discernimento, para não nos deixarmos enganar por sinais e caminhos que, muitas vezes, parecem ser bons, mas nos levam para longe de Deus.

Após esse momento, enquanto cantávamos um refrão meditativo, nos dirigimos à capela, onde foram convidados a estarem diante de Deus e retomarem aquilo que vivenciaram e ficou mais forte.

Ficamos felizes com a presença e participação de cada um, e pelo retorno positivo que nos deram. Esse encontro nos trouxe esperança para que, aos poucos, possamos continuar caminhando juntos, em outros encontros.

Irmã Gislane Paiva de Araújo


Educandário “Dom Silvério”, 112 Anos

Aos 20 de maio de 1912, nascia, em Cataguases-MG, o Educandário “Dom Silvério”, uma Obra Social coordenada pelas Irmãs Carmelitas da Divina Providência, com o intuito de receber crianças em situação de vulnerabilidade, e ofertar conhecimento cristão e valores, para criar um ser humano cada vez mais íntegro.

No dia 20 de maio de 2024, 112 anos após a construção desta obra, e estamos aqui para comemorar. Qual forma melhor se não, proporcionando as crianças uma semana inteira de atividades diferenciadas e fora do ambiente a que estão acostumadas! Por este motivo, a equipe pedagógica, com o apoio dos demais funcionários, durante os dias 13 a 20 de maio, os educandos do “EDS” voltaram no tempo, para conhecer o antigo prédio, por fotos. Aprenderam sobre Santa Rita, Padroeira da Cidade, que nos ensina sobre fé e obediência todos os dias. Visitaram o Museu com lembranças preservadas, desde a chegada da Madre Bernadete e demais Irmãs a Cataguases. Tivemos passeio à Reserva Ecológica Água limpa, Pit stop, com perguntas de conhecimentos sobre nossa Obra, momento cinema com o filme “kung fu Panda”, e vários lanches gostosos.

Qual a melhor forma de comemorar um aniversário, se não com festa? Neste dia 20 de maio, tivemos um delicioso almoço e, claro, o bolo para os parabéns. Como um momento de festa e alegria, nossas crianças puderam partilhar do amor e carinho de Jesus com Seus filhos.

Pedimos a Deus que prolongue a vida daqueles que, todos os dias, se levantam para cumprir o legado de Madre Maria das Neves e Madre Bernadete, que Nossa Senhora do Carmo continue abençoando crianças, pais, funcionários e Irmãs, para que muitas outras crianças possam degustar o prazer que é ser uma criança do Educandário “Dom Silvério”.

 

Carolina Rodrigues Fialho


150 Anos do Nascimento de Madre Bernadete

Louvores a Deus pelo nascimento de Carolina Rosa de Abreu Macedo, a 3 de maio de 1874, em Valença/RJ

A Congregação fundada por Madre Maria das Neves estava em seu início, quando Carolina chega a Campos, e é acolhida pela Fundadora, no dia 13 de julho de 1905. Logo, neste primeiro encontro, sente-se tocada pelo olhar profundo de Madre Maria das Neves, dois corações que se encontram para caminharem juntas no mesmo ideal, na busca da vontade de Deus.

Foram, apenas, 8 meses de convivência, o suficiente para ser conhecida por Madre Maria das Neves, possibilitando a esta dizer, com segurança, para a sua pequenina família, antes da morte: “Deixo-vos um tesouro na pessoa desta Postulante”. Palavras benditas, inspiradas pelo Espírito Santo, naquele momento. Surge, então, fé e esperança para a pequena Congregação iniciante.

Hoje, 150 anos são passados do seu nascimento, e estamos vendo acontecer a profecia dessas palavras de Madre Maria das Neves.

Falecem as duas, a primeira, no dia 08 de março de 1906, e a segunda, Madre Bernadete, em 08 de dezembro de 1930. Caminha a Congregação, seguindo os passos e exemplos de vida que elas nos deixaram, e amparadas pela Providência de Deus, que continua chamando seguidoras para o nosso Carmelo.

Madre Bernadete chega a Cataguases em 06 de fevereiro de 1912, com a missão de fundar o Colégio Nossa Senhora do Carmo, a pedido do Pároco esta cidade, com um pequeno grupo de Irmãs, para a missão de educadores, fazendo, então, a abertura das aulas, no dia 10 de fevereiro do mesmo ano, sendo ela a primeira diretora da Escola.

O carisma de Madre Maria das Neves, começa a agir na Congregação, com a primeira Obra Social, o Educandário “Dom Silvério”, fundado em 20 de maio do mesmo ano.

150 anos se passaram desde o nascimento de nossa Madre Bernadete, e não poderíamos deixar esta data sem uma solene comemoração, neste dia 03 de maio de 2024, data muito importante para toda a Congregação.

E, assim, com amor, dedicação e gratidão, os passos foram dados pela Diretora atual, Irmã Maria Helena Lomeu, com uma equipe de professoras e coordenadoras dedicadas, juntamente com a nossa Irmã Sebastiana Pereira Pires (Tiana), que, com muito amor, se empenhou para que acontecesse esta homenagem. Juntamente com toda a equipe, estava o professor Gilmar Moreira, responsável pelo memorial “Carmelitas da Divina Providência”. Juntos, fizeram acontecer uma belíssima encenação sobre a vida de Madre Bernadete, a partir do seu nascimento, até a sua entrada na Congregação, o que encantou a todos.

Participaram desse momento as crianças e funcionários do Educandário, e crianças do Colégio “Carmo”. Presentes, a superiora geral, Irmã Imaculada Resende Pereira, e o conselho da Congregação, a Irmã Luciana Flávia, secretária, Irmãs de Juiz de Fora e Viçosa, com representantes das duas Escolas, Irmãs de Belo Horizonte, Barbacena, Teresópolis e São João Del Rei, Carmelitas leigos, Padre Renato, Padre Geovani, Monsenhor José Carlos e o Padre Nédio, de Belo Horizonte, amigos, e o Prefeito de Cataguases.

No início, a Irmã Maria Helena, também do conselho, convidou a Irmã Dahlia Peixoto e a Irmã Auxiliadora Fernandes, que foram diretoras das duas Obras, para descobrirem a bela placa em homenagem a Madre Bernadete, localizada na entrada do Prédio da Educação Infantil.

Após esse momento, Irmã Imaculada fez a leitura da carta de convocação para a assembleia capitular, que será realizada de 13 a 22 de janeiro de 2025. Momento importante para toda a Congregação.

Deu – se continuidade aos festejos programados, com a encenação da vida de Madre Bernadete, a partir da sua infância até a sua entrada no Carmelo de Madre Maria das Neves.

As crianças do Educandário e do ensino fundamental I do Carmo cantaram lindamente, em todos os momentos, com vida e entusiasmo. No final, muitas fotos foram tiradas, e o mais importante foram as demonstrações de alegria, e gratidão por tudo o que aconteceu. Impossível expressar tudo. Somente podemos dizer que a gratidão e a alegria eram visíveis e contagiantes. Nós, Irmãs Carmelitas, agradecemos a todos que fizeram acontecer esse momento tão sublime e lindo. Demos graças a Deus! Em uníssimo, cantamos: Somos todos Carmelitas.

Irmã Maria Auxiliadora Fernandes


Missão Vocacional na Paróquia Nossa Senhora da Conceição São Miguel do Anta

Nos dias 18 a 21 de abril, aconteceu a Missão Carmelita na cidade de São Miguel do Anta/MG, onde nós, Irmãs Carmelitas da Divina Providência, juntamente com uma equipe de leigos, adultos e jovens, estivemos, atendendo ao convite do Pároco, Pe. Robson Cunha Chagas. Tal missão nos possibilitou transmitir a espiritualidade Carmelita nas visitas às famílias, nas escolas, nos encontros de formação e nas celebrações.

O Tema foi: CARMELO: Um Lugar, Um Caminho, Uma Missão,inspirado no texto bíblico: “Levanta-te e vem beber desta fonte” (1Rs 17, 1-6). Nossa equipe foi constituída pelas Irmãs: Graça Fernandes, Fransinette Ramos e Marlene Valdevina; Postulante Izabela Maria; Vocacionadas Daniela Caetano e Vitória Aparecida; e os leigos: Pedro Lopes, Anália Ataíde, Arlete Rocha, Lucineia Silva, Giovanna Almeida. Colaboraram, como assessores, em algumas atividades: Irmã Rita de Cassia, Juliana Fontes, Seminarista Samuelson Mesquita, da Arquidiocese de Mariana, e Francis Paulina, da Fraternidade dos Carmelitas Leigos.

Na noite do dia 18, nossa equipe foi recebida com alegria pela liderança leiga da Paróquia, e nos dedicamos a preparar o ambiente e fazer os primeiros contatos com a Comunidade.

Dias 19 e 20, uma equipe dedicou-se às visitas às famílias e outra equipe, às Escolas Estaduais.  Houve uma tarde de formação, coordenada por Francis, sobre a Espiritualidade do Carmelo. O Seminarista Samuelson coordenou a Celebração da Palavra na Capela Santa Filomena. À noite, tivemos a oportunidade de rezar, à maneira Carmelita, o Terço Vocacional e o Oficio de Nossa Senhora do Carmo.

Houve, também, à noite, encontros com os coroinhas e com os jovens da Paróquia, além de celebrações.

Em todos os contextos, tivemos a oportunidade de divulgar a nossa espiritualidade, despertando a todos para a importância da consciência vocacional.

Trabalhamos, com os jovens, o texto proposto pela Irmã Marlene Frinhani, Venham ver comigo uma Fonte especial, despertando-os para a oportunidade de refletir sobre o ver: a realidade que nos cerca;pensar: possibilitando termos uma consciência crítica, e a nos questionarmos diante de determinadas situações; escutar: aprendendo com Elias a estar atentos para ouvir a voz de Deus, diante da situação que nos cerca, compreendendo o que Ele quer nos falar; e amar: sendo capazes de nos lançarmos em prol de nossos irmãos e irmãs,  colocando-nos a serviço, pelo bem estar e a paz de cada um, como Jesus viveu e nos ensinou.

No dia 21, também dedicado às orações pelas vocações, encerramos nossas atividades missionárias, durante a Celebração Eucarística, às 10h. O Pe. Robson agradeceu à equipe, convidou as Irmãs e os missionários a se apresentarem, e deixarem sua mensagem aos presentes. Oferecemos, a cada Comunidade da Paróquia, um quadro de Nossa Senhora do Carmo, como lembrança da nossa visita missionária. Em seguida, a senhora Isabel da Silva Fontes leu uma mensagem de agradecimento, em nome dos paroquianos, e o Pe. Robson orientou os fiéis sobre a forma como seriam recebidos os Escapulários. Enfim, após a bênção, foi realizada a imposição do Escapulário de Nossa Senhora do Carmo, para aqueles que fizeram a preparação.

Durante os dias da missão, mais do que levar uma contribuição ao povo, tivemos a oportunidade de viver nossa espiritualidade, indo ao encontro de Deus, na vida de cada pessoa. Assim, pudemos experimentar o sentido da sinodalidade, que o Papa Francisco nos vem incentivando a vivenciar.

Nós, Irmãs Carmelitas da Divina Providência, em nome da equipe envolvida nessa Missão, queremos, aqui, manifestar nossa gratidão a todos os que, de alguma forma, nos prestaram seu apoio, desde o tempo de preparação, até a realização do trabalho missionário. Seja com suas orações, no suporte material, na organização e no desenvolvimento, tantos foram protagonistas imprescindíveis, para que pudéssemos levar a mensagem de Cristo, do jeito de ser Carmelita! O alegre testemunho fraterno de tantos nos faz experimentar o verdadeiro sentido de sermos Igreja em saída.

Na pessoa da Irmã Sônia Estevam, expressamos nosso agradecimento especial à Comunidade Educativa do Colégio Nossa Senhora do Carmo, de Viçosa, pelas doações e impressão de uma parte do material que utilizamos nesses dias.

Enfim, destacamos o papel significativo da equipe de acolhida e apoio da Paróquia, desde os adultos, jovens e crianças, que nos acompanharam em todas as visitas às famílias e escolas, e demais atividades realizadas. Assim, também, as pessoas que cuidaram de nosso bem-estar, alimentação e repouso. Tudo, graças ao zeloso Pároco, Pe. Robson que, com sua competência e carinho de pastor para com suas ovelhas, organizou e proveu tudo, junto à Coordenação Paroquial, pelo bom êxito da missão.

Por tudo, demos graças ao Senhor, que realiza em nós maravilhas!

 

 

Irmã Maria Fransinette Ramos

Postulante Izabela Maria da Silva Santos


Encontro Formativo da USGCB

“Os religiosos e as religiosas, como todas as outras pessoas consagradas, são chamados a ser “peritos em comunhão.”

(Papa Francisco)

 

 

Aconteceu, nos dias 06 e 07 de abril de 2024, na Casa de Retiros Santíssima Trindade, em Belo Horizonte/MG, o Encontro Formativo da USGCB (União das Superioras Gerais – Congregações Brasileiras) do Regional Minas e Espírito Santo.

O Encontro, com foco formativo, foi aberto para os Governos das Congregações, contando, assim, com a presença não somente das Superioras e Superiores, mas, também, das Conselheiras, Ecônomas e Secretárias. Participaram do Encontro as nossas Irmãs Imaculada Resende, Teresa Cristina Carvalho, Meiriane Rodrigues e eu, Luciana Flávia. A temática abordada foi a seguinte: “COMUNICAÇÃO NÃO VIOLENTA E RESOLUÇÕES DE CONFLITOS NA VIDA RELIGIOSA CONSAGRADA” que o Assessor Nilton Cesar Boni, Claretiano, sabiamente modificou para “AS CONVERSAÇÕES E A RESOLUÇÃO DE CONFLITOS DENTRO DA VIDA RELIGIOSA CONSAGRADA”.

O encontro se iniciou com uma bela oração a partir da mística do tempo pascal, bem como nos introduzindo na temática do mesmo. O ponto alto da oração foi a proclamação do evangelho de Jo 8,2-10 que, mistagogicamente, conta a cena da mulher pecadora, a quem Jesus não julga e nem condena, mas a traz para o centro, restituindo sua dignidade e liberdade. Características próprias de uma conversação geradora de encontros e de espiritualidade e, portanto, uma ação apreciativa que tira do interior da pessoa o seu melhor, fazendo com que as relações se tornem mais humanas, assertivas e positivas no  dia a dia.

O Padre Nilton desenvolveu o tema de uma maneira muito pedagógica e dinâmica, proporcionando uma comunicação interativa, apreciativa e próxima. Não deixando, porém, de abordar questões pertinentes, fazendo sérias interpelações ao grupo, com apresentação e exemplos de diversas situações concretas que vem acontecendo na Vida Religiosa Consagrada.

O ponto de partida para iniciar a conversa teve como norte a seguinte pergunta:  Qual é o Raio X da Vida Religiosa Consagrada Hoje? Esta foi sendo respondida tranquilamente pelo grupo, trazendo partilhas que se tornavam comuns às realidades particulares de cada Instituto. Foi, realmente, um bonito e profundo espaço de abertura e humildade, feito através das colocações de cada Irmã e Irmão. Assim, destacamos algumas preocupações, apresentadas pelas Superioras/res, que tem acometido nossa vivência enquanto Vida Religiosa Consagrada e, portanto, interferindo em relações conflituosas. São as seguintes: "Está faltando identidade e comunhão na Vida Religiosa Consagrada; falta de paciência e escuta, por faltar tempo; Envelhecimento humano, cada vez mais aumentado entre os membros; Carência de afetos; Relações reais, relações virtuais, Afetos mal trabalhados; Perda do sentido da Consagração; Acúmulo de funções; Projeto Pessoal, superando o Projeto Institucional; muitas obras e pouco pessoal; Vida Religiosa Consagrada em processo de transição; Conflitos geracionais e falta de recreação".

Diante deste quadro apresentado pelas Congregações, o assessor foi trabalhando a temática, considerando que a Vida Religiosa Consagrada é chamada a ser luz onde ela está. Trouxe, assim, luzes para estas questões, e apresentou outras ambiguidades que tem sido frequentes entre os consagrados. A saber: "o império do individualismo; poder e autoridade exercidos sem caridade; espiritualidade não religiosa, sem líderes e sem instituição; crise do servir, querem ser servidos; geração “fast”, rapidez, sucesso e lucro; cansaço marcado pelo egocentrismo; a influência da sociedade líquida; do cansaço; do desempenho, entre outras realidades que tem constantemente distraído o estilo de viver a Consagração. Porque estamos imersos no mundo, e não à parte. Dessa maneira, aqueles/as que chegam até nossos Institutos carregam as características da atualidade. A superficialidade tem sido a marca de muitos Consagrados/as. Outro ponto muito debatido pelo Padre Nilton foi sobre a fidelidade ao Carisma. Nossos Institutos devem ser fiéis ao Carisma. Esse é inegociável, ou seja, deve-se ser fiel ao Carisma fundante, pois ele é DOM.  O Carisma é a verdade, e a credibilidade passa por ele. A pastoral vocacional deve ser feita na verdade, apresentando o real. Devemos ser transparentes e sinceros com aquelas/es que nos buscam. Segundo Padre Nilton, “o Conflito na Vida Religiosa Consagrada acontece por falta de autoconhecimento, pela mistura de questões pessoais, pela falta de definição como pessoa e pela busca de desculpas”. Nesse sentido, em se tratando de resoluções de conflitos, deve-se ter sempre como foco o Mestre Jesus, que faz uso da Conversação Espiritual, como no Episódio de Emaús que prioriza a fala, a escuta, o reconhecimento e a partilha.  E toda forma de resolução de conflitos deve ser feita na sinodalidade. Isso acontece a partir da transformação que envolve a Misericórdia, a descida até o outro, ver de dentro. Enfim, a resolução de conflitos se dá quando há compreensão, respeito e amor, acontece no coração. Em síntese, o assessor nos indica, como caminho de resolução de conflitos na Vida Religiosa Consagrada, o seguinte: é preciso “Voltar às fontes da própria vocação; Reintegrar o carisma; Projeto Pessoal de Crescimento; Projeto Comunitário; Fazer uma releitura da própria história; Abrir-se à prática das conversações (CNV (Comunicação Não Violenta), Geradoras e Espirituais); Formação permanente intensa; Diálogo, Direção Espiritual e Terapia.”

Deixemo-nos tocar pela outra que nos cerca, com toda sua realidade, e sejamos luz e transformação em nossas divergências interpessoais. Que os nossos conflitos nos tornem mais humanas e misericordiosas e que sejamos, de fato irmãs e compassivas.

 

Irmã Luciana Flávia Gonçalves

 

 

 

 


Família Carmelita em Missão no Pará

Como proposta do ano Vocacional da Família Carmelita do Brasil, foi realizada uma missão, nos dias 22 de março a 01 de abril de 2024, na Prelazia de Itaituba/PA, onde é bispo nosso irmão Carmelita Dom Vilmar Santini. Estavam presentes missionárias de nossa Congregação num total de nove, incluindo as Irmãs que vivem lá, três das Missionárias de Santa Teresinha, Frades das duas Províncias e do comissariado do Paraná, num total de doze, e três leigas da Ordem Terceira, de Pernambuco, Aracaju e Manaus. Frei Luís Maza, representante da Ordem para as Américas, e Frei Tobias kraus, responsável pelos Mosteiros, também estiveram presentes, apoiando a iniciativa da missão.

Foi um tempo de graça, partilha, alegria de encontros e reencontros. Os dois primeiros dias foram dedicados ao conhecimento da realidade local e da presença Carmelita nas terras amazônicas desde a vinda dos primeiros frades para o Brasil.  Contamos com a assessoria do dom Vilmar, como bom historiador, e de um sacerdote de Santarém, conhecedor da realidade missionária na Amazônia. No sábado, à noite, tivemos um momento cultural, com a apresentação do carimbó, e de comidas típicas, como: tambaqui assado com açaí e farinha de mandioca, pupunha, tacacá, doces de Murici, sucos de Buriti e Murici, etc. Forró e muita animação.

 No domingo de Ramos, iniciamos a missão, participando das celebrações nas diversas comunidades.  

Encontramos uma realidade de grande carência de presença da Igreja Católica e forte presença de igrejas evangélicas, desafiando e clamando a atração de mais missionários. A cidade tem crescido, assustadoramente, em pouco tempo. Escutamos os clamores do povo em relação à destruição da natureza, com presença de madeireiras, plantações de soja, queimadas, fumaça, calor excessivo, secas, garimpos, espalhando mercúrio, provocando a morte dos peixes, e adoecendo a população. Em contrapartida, muitos vivem do trabalho nos garimpos, madeireiras, vendas de peixe, etc., e acham normal o que fazem. Falta consciência ecológica e política. Trabalho desafiante, é pisar em campo minado!

Foi constatar o que se ouvia pelas noticiais.

A maioria das equipes ficou na Paróquia recém-criada, Santa Teresinha. Duas equipes foram para comunidades ribeirinhas, mais distante da cidade de Itaituba. As equipes se entreajudaram para realizar as celebrações da Semana Santa, pela primeira vez, nas comunidades. Foi um mutirão de visitas às famílias em cada setor. A Igreja saiu, foi ao encontro do povo. Participaram, diretamente, da equipe da missão: três seminaristas, o diácono Mateus, um casal e duas leigas. E, nos setores, outros se uniram, participando das visitas e atividades realizadas. No sábado, à tarde, houve um encontro com uns 30 jovens na sede da Paróquia. Foi um tempo forte de vivência da fé, de incentivo ao povo para se unir, e formar comunidades discípulas missionárias, um escutar com o coração o clamor da vida, das pessoas, da casa comum.

 Irmã Gorete (Irmã Maria Alves de Farias)


Dimensão Humana Afetiva

O primeiro POSTULINTER do ano de 2024, aconteceu em Belo Horizonte/MG e abordou o tema "Dimensão Humana Afetiva", foi assessorado pela Irmã Mônica Tereza, da Congregação das Irmãs Carmelitas da Divina Providência.

Em suas colocações Irmã Mônica apresentou o RUAH DIVINO (o Sopro de Vida), exercício de respiração profunda, em que nos ajudou a tomar consciência de nossa identidade, nosso ser no mais íntimo e profundo do coração. Esta atividade do RUAH DIVINO foi retomada durante todo o encontro.

A Assessora nos apresentou o conceito de Formação Humana, e os níveis que a constituem: Corporal, Emocional, Intelectual e Espiritual. Formação Humana significa fazer um processo contínuo e constante de busca do equilíbrio em todos estes níveis. Assim, o texto bíblico de Lc 2, 52: “Jesus ia crescendo em sabedoria, estatura e graça diante de Deus e dos homens”, nos mostra que a dimensão humana abrange todos estes níveis.

A seguir, Irmã Mônica nos falou sobre Afetividade, mostrando-nos os seus vários significados. Disse que afetividade é, também, aquilo que faz o nosso coração arder, aquilo que vai no mais profundo do ser, como aconteceu com os discípulos de Emaús após o encontro com Jesus.

Após estas colocações, em outro momento de RUAH, fomos convidados a deixar ecoar em nós o sentimento, a experiência do primeiro chamado e a palavra forte, com a qual o Espírito Santo de Deus se expressou em nosso coração, pela oração, ao olhar no nosso ser mais íntimo.

Ela nos disse, ainda, que: "Vivemos em uma sociedade na qual, em determinados momentos, sofremos com a falta de foco em uma coisa, tentando realizar multitarefas". Assim, nos ajudou a tomar consciência da importância de se ter compromisso com aquilo que é preciso executar, sem fazer várias coisas de uma vez. Em seguida, fizemos um momento orante, refletindo sobre o mistério da Encarnação, e contemplamos a estampa da Sagrada Família, em que o Menino Jesus segura um passarinho próximo a um cãozinho. Irmã Mônica motivou-nos a um comentário, a partir de algo que nos chamasse a atenção na cena. Essa atividade nos despertou para as diferentes formas de olhar a partir de uma realidade.

Nesse momento orante, refletimos sobre a espiritualidade de cima e a espiritualidade de baixo, sendo que devemos buscar o equilíbrio entre as duas. Na espiritualidade de cima, enxergamos nossos valores e, na de baixo, expressamos nossos sentimentos e emoções. Depois, a Assessora falou de três modos de lidarmos com nossos sentimentos: 1° - Negar o sentimento, 2° - Exprimi-lo, direta e impulsivamente, 3° - Sentir, refletir, avaliar para, depois, sabermos agir de forma consciente e responsável.

A seguir, assistimos ao filme "O rei leão ", orientados a percebermos os sentimentos e as ações dos personagens, o quanto uma história figurativa traz traços com os quais nos identificamos, em nossas experiências vividas. Após o filme, houve um momento de interiorização, com algumas perguntas sobre o mesmo.

No dia seguinte, iniciamos os trabalhos a partir da celebração da Santa Missa.  Seguiu-se a partilha sobre as perguntas relacionadas ao filme. Concluímos que o referido filme nos ensina a lembrar a importância de nos confrontarmos, dia a dia, com nossos medos, e a aceitar os nossos erros para, assim, podermos nos tornar mais fortes, e seguir em frente, em busca de nosso verdadeiro propósito. Para isso, devemos procurar apoio em pessoas, ao nosso redor, pessoas dispostas a nos ajudar e a nos guiar no caminho certo. Como nos disse Irmã Mônica, a pérola nasce da ferida mais feia da concha. Assim, também, Cristo quer nascer no fundo de nossa concha, do nosso Eu profundo, ou seja, da nossa mais profunda ferida e fragilidade.

Aconteceram outras atividades e experiências junto ao grupo. Porém, detalhei, aqui, o que foi mais significativo para minha formação. Este encontro ajudou-me a adentrar no mais profundo do meu ser, como, também, me possibilitou a convivência com outros postulantes e formadores de outras Congregações, mostrando que somos únicos diante de Deus, e somos todos irmãos e irmãs.

 

 

Postulante Izabela Maria da Silva Santos

 

 


Encontro da Fraternidade Carmelitas Leigos Madre Bernadete

No dia 09 de março a Fraternidade Madre Bernadete reuniu-se, como de costume, no auditório do Memorial das Irmãs Carmelitas da Divina Providência, localizado no prédio do Educandário Dom Silvério em Cataguases/MG. Foi o segundo encontro deste ano e teve como tema a vida e as obras de nossa querida fundadora, Madre Maria das Neves.

Tivemos como orientador o professor e historiador Gilmar Moreira, também membro da Fraternidade. Todos puderam, em um clima aconchegante e tranquilo, relembrar a vida daquela que iniciou seu lindo jardim, a Congregação das Irmãs Carmelitas da Divina Providência, da qual a Fraternidade é parte. O palestrante conduziu a reunião compartilhando o conhecimento adquirido com anos de estudo e pesquisas sobre a história da fundadora.

Foi um momento muito enriquecedor onde todos os participantes puderam se encantar e compreender as origens do Congregação. Assim, a exemplo de nossa querida Madre, queremos seguir o caminho de Jesus, vivendo no amor e na fraternidade, com a consciência tranquila, para termos o Céu perto de nós.

Há 118 anos, no dia 8 de março de 1906, as Irmãs Carmelitas da Divina Providência se despediam de Madre Maria das Neves. Sua história de fé e fraternidade está preservada no Memorial Carmelitas da Divina Providência, que funciona no segundo andar do Educandário Dom Silvério, e no oratório dedicado a ela, na Capela do Colégio Carmo.

 

 Simone Siervi e Magno Oliveira

 


Celebração dos 124 Anos da Congregação das Irmãs Carmelitas da Divina Providência

Foi com muita leveza e alegria, que, no último dia 02 de dezembro, o Albergue “Santo Antônio”, de São João Del Rei/MG, foi o centro das comemorações dos 124 da Congregação das Irmãs Carmelitas da Divina Providência.  Irmãs, leigos, colaboradores e amigos, vindos de diversas partes, participaram de uma Celebração Eucarística de Ação de Graças na Capela do Albergue, presidida por Dom José Eudes Campos do Nascimento, Bispo de São João Del Rei. Nessa oportunidade, foi celebrado, com toda a Família Carmelitana do Brasil, a abertura do Ano Vocacional Carmelitano.

Na celebração, foi feita a memória de nossa querida Fundadora, Madre Maria das Neves, que, com sua coragem e fidelidade, disse sim ao serviço do Reino, no findar do século XIX. Não foram esquecidas suas companheiras de primeira hora. Um grupo diversificado, porém, de uma forte união em Cristo e fiel aos acontecimentos dos primeiros tempos. Aquela mensagem inicial foi tão forte, que se faz sentir, 124 anos depois, no coração de cada um de nós.

O local para a Ação de Graças não poderia ser mais apropriado, pois o Albergue “Santo Antônio”, fundado em 08 de setembro de 1912, por iniciativa do padre Frei Cândido Wroomans (1868-1937), um religioso holandês da Ordem dos Franciscanos Menores – OFM, com o objetivo inicial de dar socorro os pobres e os desvalidos que perambulavam pelas ruas da cidade. A partir de fevereiro de 1927, já com o nome de Albergue “Santo Antônio”, a entidade passou para a responsabilidade das Irmãs Carmelitas da Divina Providência, as quais, até hoje, dedicam seus trabalhos em benefício dos internos no albergue, procurando seguir o exemplo de sua Fundadora: “SERVIR A DEUS, AOS POBRES E ENFERMOS.

Após a celebração religiosa, todos nós, junto às Irmãs presentes, participamos de um delicioso almoço de confraternização. Foi tudo muito bom! Momento de darmos graças, e seguirmos firmes nas trilhas de Madre Maria das Neves! Por tudo damos Graças!

 

Gilmar Moreira

Carmelita Leigo da Fraternidade “Madre Bernadete”, em Cataguases/MG

 


Encontro de Espiritualidade

“Jovem, venha beber desta fonte”. Este foi o tema do nosso encontro do dia quinze de novembro, aqui no Noviciado “Nossa Senhora do Carmo”, Viçosa/MG, do qual cinco jovens, da Cidade e vizinhança, puderam participar. O encontro foi preparado e conduzido pela Irmã Gislane Paiva Araújo e as Postulantes Ana Lucia Felício e Izabela Maria da Silva Santos, também, com o apoio de toda a Comunidade formativa.

Com alegria, recebemos as jovens com um café da manhã. Em seguida, iniciamos nosso momento com uma música de acolhida e apresentação. Em conformidade com o Ano Vocacional, cantamos um refrão meditativo, durante uma das meninas levou à frente a vela acesa de Madre Maria das Neves, ao mesmo tempo em que as portas da Capela foram abertas, trazendo a ideia de que, daquele momento em diante, estaríamos nos preparando para adentrar na espiritualidade carmelita.

Dentro da capela, ao redor da fonte e do Monte Carmelo, a exemplo dos primeiros Carmelitas, apresentei às jovens o objetivo do encontro, e trouxe o questionamento para que pudessem expressar o que esperavam viver durante esse dia conosco.

Fundamentada no livro de Frei Carlos Mesters: “Ao redor da fonte”, trouxe um pouco do contexto em que surgiram e viveram os primeiros Carmelitas, como chegaram a Terra Santa, e quais foram seus objetivos, como viviam e se adaptaram à realidade urbana; a presença de Elias e Maria, e como nasceu nossa Congregação, a partir do grande desejo Madre Maria das Neves em se doar e servir a Deus nos pobres e enfermos, e beber desta fonte: a espiritualidade carmelita. No final, cantamos a música: “Este é o nosso ideal”.

Dando continuidade, a Postulante Ana Lúcia conduziu a Lectio Divina com o texto do Evangelho de João, que relata o diálogo de Jesus e a Samaritana no poço. Adiante, fizemos um breve exercício de relaxamento e explicação do método da Leitura orante, para melhor compreensão. Depois da leitura do texto bíblico, as jovens tiveram um tempo de deserto para a interiorização do mesmo e partilha em comum do que rezaram. Em seguida, concluímos nossa manhã, recorrendo ao auxílio de Maria, e elevando a ela a nosso amor com o canto: “Alegra-te ó Maria”.

Na parte da tarde, fizemos uma roda de conversa, para que pudessem perguntar, tirar dúvidas e curiosidades. Foi uma boa oportunidade para partilharmos nossa experiência a partir das inquietações.

E, para fecharmos nosso dia, não poderia faltar um momento de descontração. Além das brincadeiras, danças e músicas, fizemos, também, um caça tesouro bíblico. Foi divertido e desafiante encontrar o baú escondido no jardim. Porém, como recompensa, o tesouro partilhado foi um saquinho com guloseimas, um escapulário e a estampa de um/a santo/a carmelita, para que pudessem ler e conhecer mais sobre sua história de vida. Assim, com um lanche gostoso, concluímos nosso dia de convivência.

Irmã Gislane Paiva Araújo


Juventude e Vida Religiosa Consagrada

No final do mês de setembro e início de outubro, aconteceu, em Belo Horizonte/MG, o terceiro e último encontro do Juninter, com o tema: “Vocação: a missão e a juventude na Vida Religiosa Consagrada”. Esse momento de encontro foi conduzido pelo Doutor Carlos Eduardo Cardoso (Cadu), especialista em juventudes, e teve a participação de, aproximadamente, oitenta junioristas de diferentes congregações e ordens.

Na primeira parte da reflexão do assunto, vimos sobre o contexto histórico, social e eclesiológico que caracterizou os três anos vocacionais no Brasil, realizadas a cada duas décadas. Houve partilhas, provocações e trabalho em grupo, para que pudéssemos aprofundar melhor tema, para sairmos da superficialidade para a consciência mais crítica.

Vimos, também, a diferença entre o SAV (Serviço de Animação Vocacional) e a PV (Pastoral Vocacional), e a importância de ambas se tornarem um processo único: O SAV desperta, e a PV cultiva e ajuda no discernimento vocacional. Diante isso, foi discutida a necessidade de animar vocações não somente fora, mas dentro das Congregações.

Além disso, o assessor nos ajudou a perceber os desafios que as Ordens e Congregações mais históricas têm enfrentado com relação ao número de vocações e ao envelhecimento, realidade esta, que vem atingindo a grande maioria das mesmas. Nesse ponto, o assessor nos ajudou a compreender os desafios atuais, as vocações fluidas que buscam Institutos fluidos, devido à necessidade do jovem de fazer um processo mais rápido de acompanhamento.

No segundo dia, foram muitas as colocações e dúvidas sobre as dificuldades que as Congregações, de modo geral, têm enfrentado com relação à perseverança, fidelidade e permanência na caminhada após os primeiros votos, ou a Profissão Perpétua. Em outras palavras, “a síndrome do impostor” que é, justamente, uma questão psicológica e interna que nos traz medo, por pensarmos que não vamos dar conta do que nos é pedido. Com isso, Cadu nos fez um alerta para trabalharmos em nós o autocuidado vocacional, a autoestima, a resiliência interna, para não desanimarmos e chegarmos à conclusão de que não temos vocação.

Em seguida, dando continuidade ao tema, nos apresentou os dados de sua pesquisa com os jovens formandos, sobre quais as motivações e desmotivações que eles veem dentro da Vida Religiosa Consagrada, e disse que a melhor propaganda vocacional, não são os cartões e banners, mas o testemunho.

 Diante dessa pesquisa, a maioria das respostas obtidas foram: Motivações: seguimento a Jesus, carisma e missão, felicidade, alegria e testemunho. Desmotivação: contratestemunho, poder e estruturas. Após essa colocação, tivemos um momento de conversa em duplas para partilharmos, também, nossa motivação, ou não, para continuarmos a caminhada.

Por fim, citando a fala do Papa Francisco: “Eu encorajo você a permanecer fiel à Inspiração e ‘sair’ para a humanidade ferida e descartada, com escolhas evangélicas eficazes, nascidas da capacidade de olhar o mundo com os olhos de Cristo”, nos incentivou a levarmos na nossa mochila a coragem, a motivação e a vontade de fazer a diferença.

 

Irmã Gislane Paiva Araújo


Setembro – mês da Bíblia

 

         Estamos no mês de setembro. No Brasil, celebra-se neste mês, de modo especial, a Palavra de Deus. A Palavra de Deus é sempre luz e força. Nela, podemos encontrar encorajamento para enfrentar e superar os problemas que nos desafiam. Ao celebrar o mês da Bíblia, a Igreja destaca a importância da Sagrada Escritura, e nos convida a conhecê-la mais a fundo, a amá-la, cada vez mais, e a fazer dela, diariamente, uma leitura meditada e rezada. A Palavra de Deus é um meio, uma oportunidade “para o encontro com Jesus Cristo vivo, caminho de autêntica conversão e de renovada comunhão e solidariedade (DAp 248). Não podemos nos distanciar desta fonte de vida e de esperança. “Sem a Palavra bíblica facilmente se esgota o diálogo com Deus; sem a leitura da Palavra não é possível o encanto por Jesus Cristo e o encontro com Ele” (Doc. CNBB, 111, n. 21)

          A instituição do Mês da Bíblia tem suas raízes em 1947, quando a Liga de Estudos Bíblicos (LEB), organizou a Primeira Semana Bíblica Nacional. Participaram dela biblistas de diversas partes do País. Eles apresentaram a proposta de se criar o Dia da Bíblia. A data escolhida foi o último domingo do mês de setembro, por ser o dia mais próximo da comemoração de São Jerônimo. Este grande santo dedicou sua vida ao estudo da Bíblia. Viveu nos anos 340 a 420 depois de Cristo. Era possuidor de uma grande cultura literária e bíblica. Amava as Sagradas Escrituras, e afirmou que “quem ignora as Escrituras ignora o poder e a sabedoria de Deus”. O dia da Bíblia foi crescendo em importância na vida da Igreja. Então, algumas dioceses, e depois, todas elas passaram a celebrar a Semana da Bíblia e, a partir de 1971, iniciou-se a celebração do mês da Bíblia.

         Neste mês, somos convidados, cada ano, a nos enriquecermos com a leitura e aprofundamento de um livro da Bíblia. Assim, à luz da Palavra de Deus, com a ajuda do Espírito, podemos crescer no conhecimento da Bíblia. A Bíblia contém tudo aquilo que Deus quis nos comunicar em relação à nossa salvação. Jesus é o centro e o coração da Bíblia. Toda leitura dela, deve levar-nos ao encontro pessoal com Jesus Cristo. Pois, “ignorar as Sagradas Escrituras é ignorar a Cristo”(S.Jerônimo).

           Neste ano de 2023, o tema proposto para ser aprofundado e refletido é: “A Carta aos Efésios”. E o lema é: “Vestir-se da nova humanidade” (Ef 4,24).    

         A Carta aos Efésios apresenta, como tema central, a unidade do Corpo de Cristo, isto é, a Igreja, que tem Cristo como cabeça. O autor realça, sobretudo, na primeira parte da Carta, a unidade de judeus-cristãos e gentios-cristãos no Corpo de Cristo, a Igreja. “Pelo batismo, os cristãos, “ressuscitados” com Jesus Cristo, são libertados do pecado (o poder das trevas) e, unidos ao Filho de Deus, [...] formam uma nova humanidade” na Igreja (Ef 4,3-6).

       A carta pode ser dividida em duas partes. A primeira é a parte doutrinal. Trata da grande obra salvífica (o mistério) de Deus, realizado em Jesus (Ef 1,3-14) e desenvolvido na Igreja, cuja cabeça é Jesus Cristo (Ef 1,15-2,22), e anunciado por Paulo (Ef 3,1-21). A segunda parte é exortativa: trás um apelo a dinamizar a vida cristã: viver na unidade (Ef 4,1-16), viver como filhos da luz (Ef 4,17-5,20), ser família cristã (Ef 5, 21-6,9), e lutar contra o mal (Ef 6,10-20). A pessoa renovada em Cristo deve revestir-se do “homem novo”, caminhar no amor, e romper com o mal, viver no cotidiano uma vida digna de filha de Deus.

 

Irmã Ilva Vasconcellos de Paiva


Celebrar com Gratidão a Vida Religiosa Consagrada

Iniciamos no dia 20 de agosto, com muita alegria e entusiasmo, a  IV Semana da Vida Consagrada do Brasil. É tempo de louvar e agradecer ao Senhor, pelo dom da vocação de cada uma de nós. Celebrar a Vida Consagrada é, pois, fazer memória do nosso primeiro chamado, e, portanto, renovar e animar o nosso compromisso de resposta fiel ao Deus da vida.

Este ano, a Conferência dos Religiosos do Brasil, em comunhão com o III Ano Vocacional Nacional, nos convidada a entrar em comunhão com o tema: “Vocação: Graça e Missão” e o Lema: “Corações Ardentes, pés a caminho” (Lc 24,32-33). Assim, imbuídas do desejo ardente de fazer de nossa Consagração dom e missão para Cristo e os irmãos, sejamos luz a apontar o caminho que leva ao Mestre Jesus. Neste sentindo, o Papa Francisco nos aconselha: "Que a Virgem Maria nos obtenha a graça de que a nossa vida de consagrados seja sempre festa do encontro com Cristo, e assim, como ela, poderemos levar a todos a luz de seu amor: a sua luz, não a nossa! Levar Ele, não a nós mesmos".

Em nossa Comunidade da “Casa Central”, esta Semana começou animada e com gestos de gratidão. Durante a Celebração Eucarística das 8h, na comunidade paroquial de São João Evangelista do bairro Serra, em Belo Horizonte, nosso Pároco, Padre Marcelo Lacerda, ressaltou a grata alegria de ter a presença das Irmãs Carmelitas da Divina Providência nesta Paróquia.  Em toda a celebração, houve gestos de ternura e carinho para com a Vida Consagrada, através dos comentários e preces. Ao final da Missa, Padre Marcelo, reiterando os cumprimentos às Irmãs, convidou todas nós para irmos à frente, e nos deu oportunidade de falar da nossa vida e missão.

Esse momento foi conduzido pela Irmã Imaculada Resende, nossa Superiora Geral, que o fez com simplicidade e espírito de fraterna comunhão, apresentando um pouco da nossa espiritualidade e carisma. Concluindo, cantamos juntas um trecho do Hino à nossa Madre Fundadora - “Madre Maria das Neves, teus lírios vê, o jardim floresceu”.

Oxalá esta Semana seja, para nós, tempo de esperança fecunda em nossa caminhada vocacional, e que possamos ser testemunhas do Amor misericordioso e acolhedor da Santíssima Trindade.

Irmã Luciana Flávia Gonçalves

 


Juventude Acumulada em Ação

No último dia 05 de maio, foi iniciado um projeto, utilizando da Dança Sênior, com as integrantes da Fraternidade “Madre Margarida”, na cidade de Juiz de Fora-MG, organizado pela fisioterapeuta responsável pelo trabalho nesta comunidade, Maressa Vieira Ferreira.

A dança é uma atividade lúdica, composta por diferentes coreografias, com movimentos rítmicos simples, movidos por canções folclóricas, cuja execução pode ser realizada com os participantes sentados, formando um círculo ou semicírculo.

O trabalho está sendo realizado como mais uma estratégia para prevenção da inatividade e incentivo à atividade física.

Dentre tantos benefícios oferecidos por este trabalho, pode-se destacar: a estimulação de funções cognitivas, como: atenção, concentração e memória, melhora da socialização, troca de experiências, além da promoção da qualidade de vida, no processo de envelhecimento das integrantes desta Comunidade.

No mês de agosto, foi realizada a terceira edição da dança, trazendo, desta vez, um ritmo mais agitado, em que foram trabalhados movimentos de membros superiores (braços) e membros inferiores (pernas), além de coordenação motora, memória, socialização, com muitas risadas na troca de experiência.

O “estalar” de dedos e as palmas, contidos na coreografia, deram um toque descontraído e alegre à atividade, enquanto as participantes se exercitavam, realizando os movimentos propostos, de forma rítmica e animada

É importante destacar as faixas etárias das participantes: 04 nonagenárias, 05 octogenárias, 01 septuagenária, 2 sexagenárias e 01 quinquagenária.

Admiramos Maressa pela sua capacidade, extrema delicadeza e paciência, revelando ser uma exímia Fisioterapeuta.

Agradecemos à nossa Congregação por nos ter proporcionado – nas  primeiras sextas-feiras de cada mês - este grande benefício ao nosso bem estar.

Maressa Vieira Ferreira e Irmã Maria Magdalena da Silva


Primeira Profissão Religiosa

No dia 20 de julho de 2023, Solenidade do profeta Elias, fiz minha Profissão Religiosa na Congregação das Irmãs Carmelitas da Divina Providência. A Celebração Eucarística aconteceu no Santuário Santa Rita de Cássia, em Viçosa/MG, e foi presidida pelo Pároco, Padre Paulo Dioné Quintão, e concelebrada pelos padres José Evangelista Gomes, vigário paroquial, e José Afonso Lemos, da Paróquia São Sebastião, de Ponte Nova/MG.

Na homilia, com simplicidade e profundidade, Padre José Afonso, situou-nos dentro da dinâmica do Ano Vocacional, recordando-nos do lema: “Corações ardentes e pés a caminho”, destacando, ao mesmo tempo, a fala do Papa Francisco, que diz: “Toda vocação nasce e persevera na oração”.

Além disso, trouxe o sentido e importância da Vida Religiosa Consagrada, como um anúncio e grito profético para o mundo e os jovens; como um caminho que nos leva na contramão do modismo, para desapegar-se das estruturas que nos são oferecidas, e esvaziar-se em busca da vontade de Deus.

Dirigindo-se a mim, disse para recorrer sempre a Jesus nos momentos das dificuldades, alimentar-me da Eucaristia, a exemplo do Profeta Elias, e florescer onde Deus me plantar.

Após esse momento, apresentei-me diante da Superiora Geral, Irmã Maria Imaculada Resende Pereira, que acolheu a minha Profissão Religiosa. Em seguida, juntamente com os padres presentes, assinei a fórmula, e entoamos o canto “Vinde prestes ao Carmelo”. Ao mesmo tempo,  recebi, pelas mãos da Irmã Terezinha Rodrigues, minha Mestra de Aspirantado, o santo Escapulário da Ordem, como sinal da minha pertença a esta Família e do compromisso de estar a serviço de Deus, da Igreja e do povo.

Ao final da celebração, expressei os sentimentos do meu coração, elevando ao Senhor, minha oração de louvor, alegria e ação de graças por toda essa trajetória, marcada pelos cuidados Providenciais de Deus e por todas as  pessoas, amigos e Irmãs que foram intermediação da Providência Divina em minha vida:  minha família, que me deu apoio mesmo nas dificuldades do discernimento vocacional; o Governo Geral, que me acolheu e olhou com carinho e cuidado pela minha formação; minhas formadoras, Irmãs Terezinha Rodrigues de Lima (Aspirantado), Sebastiana Pereira Pires (Postulado) e Rita de Cássia Silva (Noviciado), que acreditaram na minha vocação, e contribuíram significativamente para o meu crescimento humano-espiritual e para me sentir parte  desta Família Religiosa; a Comunidade do Noviciado, que me acolheu com carinho, alegria e fraternidade, dando-me apoio e suporte nestes dois anos de formação, para que pudesse vivenciar esse tempo de maior aprofundamento dos valores da espiritualidade; e, por fim, todas as Irmãs com quem convivi nas casas de formação e estágio, e que me enriqueceram com sua presença, amizade e partilha de vida.

Portanto, desejo que, neste Ano Vocacional do Brasil, mais jovens possam sentir e escutar o chamado do Pai, como graça e missão. Graça, pois Deus nos chama na gratuidade do Seu amor; e missão, pois quer contar conosco, para juntos, edificarmos o seu Reino de paz, justiça e fraternidade. Deus Pai chama a seguir Jesus, na força do Espírito. Sigamos em frente, com confiança, à procura da face do Senhor.

Senhor, é Vossa face que eu procuro, não me escondais a Vossa face” (Sl 26, 8-9).

 

Irmã Gislane Paiva Araújo


Culturas musicais pelo mundo: o que rolou na Semana do Carmo 2023

Registramos as belíssimas apresentações dos estudantes, e reunimos as fotos em diversos álbuns, aqui no site. Veja o que rolou na Semana do Carmo 2023:

Com a presença das famílias na Escola, assistindo às últimas apresentações, o Colégio Carmo de Cataguases encerrou, no sábado, 15 de julho, a edição 2023 da sua tradicional gincana com os estudantes do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental e do Ensino Médio.

Neste ano, o tema da Semana do Carmo foi uma pergunta: “Que som é esse? No ritmo da diversidade de culturas musicais pelo mundo.” Do Brasil, alguns gêneros selecionados são pouco conhecidos dessa nova geração, como o manguebeat, a MPB e a Bossa Nova. De outros países e continentes, muitos dos participantes ouviram, pela primeira vez, os sons do tango, jazz, blues e fado. Girando o globo, para ouvir o que toca nas rádios mundo afora, sintonizaram nos sucessos do reggaeton latino, kuduro angolano e afrobeat, que surgiu na Nigéria e, hoje, é popular em toda a África.

Como apresentou a coordenadora do evento, Luciana Melo, “música e juventude são inseparáveis, sempre que se envolvem em questões sociais, ouvindo e levantando suas vozes em prol de causas importantes. Ampliando-se os horizontes para o conhecimento de outros ritmos, além daqueles que já ecoam massivamente nos nossos ouvidos, despertam-se as consciências com aquela vontade de mudar o mundo para melhor, algo tão genuinamente juvenil.”

A força dramática das encenações emocionou a plateia, quando os estudantes abordaram a História presente em letras de música como “Cálice”, de Chico Buarque, “Mississippi Goddam”, de Nina Simone, “Rosa de Hiroshima”, do grupo Secos e Molhados, e “Alexander the Great”, da banda Iron Maiden. São canções que levantam questões sobre a ditadura militar no Brasil, o racismo e as guerras.

“Especialmente entre os jovens, a música é companheira de suas jornadas de autodescoberta, expressão de suas opiniões e sentimentos, encorajando-os a acreditarem em si mesmos, e seguir seus sonhos”, destacou Luciana, citando algumas das atividades realizadas pelos estudantes. “As 12 turmas, cada uma se unindo como um time, participaram de oficina de composição de letras de música, desfilaram em homenagem a cantores e cantoras que são ícones de diversos ritmos musicais, criaram instrumentos de cordas, de sopro e de percussão, e dançaram com entusiasmo e alegria.”

“As Semanas do Carmo são sempre muito festivas e de muito aprendizado”, afirmou a Diretora, Irmã Maria Helena. No encerramento, ela agradeceu a todos os envolvidos no evento, entre professores, demais colaboradores, alunos e seus familiares. “Não podemos deixar de registrar o legado da estimada Cecília Poyares, idealizadora que esteve à frente desse projeto, há duas décadas, criando uma linda tradição na Escola. A ela, nossa eterna gratidão!”

Como parte da gincana, os estudantes se mobilizaram e arrecadaram, para doação, alimentos não-perecíveis, fraldas geriátricas e latinhas de alumínio. Estas últimas são parte de um projeto social que, a partir da reciclagem, adquire cadeiras de roda, muletas, camas hospitalares e outros itens para serem emprestados a pessoas com necessidades especiais na cidade.

Em breve, publicaremos o resultado final, detalhado, com a planilha de pontos em todas as tarefas e a classificação das equipes.

 

Luciana Mendonça de Melo

Colégio Carmo de Cataguases/MG


Entrada no Postulado “A caminho do Carmelo de Madre Maria das Neves...”

“ Buscando a confirmação da Vontade do Senhor!” 

Com a celebração Eucarística presidida pelo Padre José Evangelista, a Reverentíssima Irmã Maria Imaculada Resende Pereira, em nome de todas as Irmãs da Congregação das Irmãs Carmelitas da Divina Providência, acolheu, na manhã do sábado, do dia 20 de maio de 2023, Ana Lúcia e Izabela Maria, para a etapa de formação do Postulantado.

Em preparação para este momento importante e significativo da caminhada vocacional, ambas as candidatas puderam refletir, em vários textos bíblicos, as narrativas da vida, missão e vocação do Profeta Elias, bem como, aprofundar um pouco mais sobre o legado que nos foi dado através do carisma expresso no “Carmelo de Madre Maria das Neves”.

Recordando um pouco da ação de Deus na vida do Profeta Elias, percebemos que Elias “buscava Deus, voltando às origens do povo”. Entretanto, os critérios de sua busca estavam desatualizados, ou seja, preso ao passado, Elias encerrou Deus dentro de seus próprios critérios, querendo que Deus se manifestasse a ele nos antigos sinais: furacão, terremoto e fogo... E isso levou Elias à desintegração total, pois, Deus não se encontrava mais nesses sinais.

Foi no silêncio de todas as vozes que a voz de Deus se manifestou novamente a Elias.

Após a passagem pela “noite escura”, e de ter descoberto a nova Luz da presença de Deus, podemos nos reencontrar com o centro, com Deus. O reencontro com Deus produz em nós um efeito integrador e transformador.

A partir daí, podemos nos reencontrar conosco, com as demais pessoas, com o cosmo, com a realidade que nos cerca, com a natureza e com a própria missão à qual Ele nos chama.

Olhando a história do Profeta Elias e da Madre Maria das Neves, fundadora da Congregação, podemos ver que ambos buscaram ouvir e acolher a vontade de Deus em suas vidas. Em seu percurso de pouquíssimo tempo, como é o caso de Madre Maria das Neves, por exemplo, eles conseguiram configurar as suas vidas à semelhança de Jesus Cristo, numa entrega e doação total de si mesmos ao projeto de Deus, num SIM para sempre.

Assim como Elias e Madre Maria das Neves, nos sentimos confiantes na presença de Deus em nossa vida, e nos sentimos motivadas a dar continuidade neste processo de discernimento de nossa vocação. Contamos com as bênçãos de Deus, de Nossa Senhora do Carmo e de Madre Maria das Neves.

Agradecemos a todas as Irmãs Carmelitas da Divina Providência pela acolhida, e contamos com suas orações.

Ana Lúcia Felício


Com Maria em Busca do Carmelo

É com muita alegria que apresentamos a você o livrinho da Novena de Nossa Senhora do Carmo, infanto juvenil, intitulado: "Com Maria, em Busca do Carmelo" de autoria da Irmã Sebastiana Pereira Pires.

A autora, brincando com as letras e com os bonitos desenhos, nos conta a história linda deste Jardim florido que é o Carmelo.

O Carmelo é um dos locais mais lindos e coloridos da Terra de Israel, a prática de Jesus e de Nossa Senhora. Suas montanhas floresciam como um jardim - por isso, seu nome "Jardim florescente", tendo, abaixo, a beleza azul do Mar Mediterrâneo.

Ali morou o Profeta Elias. Depois dele, também o Profeta Eliseu e muitas pessoas foram morar naquelas montanhas, retornando a memória profética de Elias, e se comprometendo a viver sua missão: -ser fiéis à Palavra de Deus, zelosos por Seu Nome Divino, Sua honra, e ajudando o povo na fidelidade ao seu verdadeiro e único senhor.

Seus moradores, os primeiros carmelitas, prepararam um lugar de honra para a Mãe de Jesus e nossa. Os primeiros Carmelitas tinham muita afinidade com Maria. Eles a consideravam com sua Irmã maior. Maria é a Mãe do Carmelo, Nossa Senhora do Escapulário. Ela nos chama a viver como seus irmãos no Carmelo, a Fraternidade no Carmelo. Com Maria, é mais fácil chegar a Jesus! Jesus, o doce Amor de Maria! Maria, aquela que soube ler, viver e praticar a Palavra!

No Carmelo, encontraram um local adequado à sua busca de silêncio, meditação, rico da memória profética de Elias e seus seguidores. Eram conhecidos como Carmelitas, mesmo depois de se espalharem por outros lugares.

Sua veste distintiva era uma capa, lembrando o seu modelo, o Profeta Elias. Mais tarde, conforme o costume da época, adotaram, também, o escapulário, veste própria dos servos, caindo dos ombros, sobre o peito e as costas, como um avental.

Vamos passear por este jardim tão bonito que Irmã Sebastiana nos apresenta?


CONFRATERNIZAÇÃO DE PÁSCOA

No dia 08 de abril de 2023, nós, Irmãs da Comunidade Ir. Claret, e as Aspirantes Isabela Maria da Silva Santos e Michaiany Vitória Pereira, participamos da Vigília Pascal, às 17:00hs, na Comunidade Madre Margarida, a qual foi presidida pelo Padre Geraldo Luiz Alves Silva. Iniciamos no refeitório, com a procissão, levando o Círio Pascal, e cada Irmã, com sua vela acesa, seguiu em direção à capela. Durante a procissão, cantamos: Eis a Luz de Cristo!

            Após a Celebração da Vigília Pascal, foi servido um delicioso jantar, do qual participamos com muita alegria, confraternizando-nos pela Páscoa do Senhor.

             No domingo da Páscoa, nós, Irmãs e Aspirantes, nos reunimos em Comunidade, no café da manhã, para nossa Confraternização. Nesse mesmo dia, nossa comunidade participou da Celebração Eucarística na Comunidade Santa Cecília, às 9:00hs, presidida pelo nosso Pároco, Padre Sávio José Ricardo. Fomos acolhidas com muita alegria pela Comunidade. No momento da Profissão de Fé, Padre Sávio convidou a Aspirante Michaiany para ficar próxima do Círio Pascal, enquanto a comunidade rezava o Credo.

            Para completar a nossa alegria, convidamos as Irmãs das Comunidades “Madre Margarida” e “Fraternidade Carmo” para participarem conosco da confraternização Pascal e da entrada oficial da Michaiany para o Aspirantado. Às 11h15min, rezamos a Hora Média que foi conduzida pela Irmã Júlia Antônia do Passos (Mestra do aspirantado), realizada com muita vibração e entusiasmo.

Nesse momento orante, a Aspirante Michaiany partilhou um pouco do seu retiro, e leu a Carta do pedido para sua entrada na etapa do Aspirantado. Em seguida, a Irmã Maria das Graças Fernandes leu a Carta da Superiora Geral, Irmã Maria Imaculada Resende Pereira, oficializando a Entrada da Aspirante Michaiany na nossa Congregação.

Nós, Irmãs, a acolhemos com muita alegria, cantando o Hino da nossa Madre Fundadora (Olhai as aves do céu) ...

Após esse momento de oração, foi servido um delicioso e farto almoço. As Irmãs ficaram felizes e agradecidas pela oportunidade de nos encontrarmos, depois de tanto tempo.

   “Este é o dia que o Senhor fez para nós, alegremo-nos e nele exultemos”. Aleluia!

 

Irmã Zelina da Costa


Retiro de Discernimento Vocacional

Nos dias 11 e 12 de março de 2023, aconteceu o Retiro Vocacional das Irmãs Carmelitas da Divina Providência no Noviciado “Nossa Senhora do Carmo”, em Viçosa/MG. O Retiro teve como tema “Mostra-me, Senhor, os teus caminhos”, levando as 6 jovens encontristas a refletir sobre o chamado que Deus faz às suas vidas.

Iniciamos o primeiro dia do encontro com um momento de oração, refletindo sobre os diversos chamados que Deus faz a cada pessoa. Logo após, nos apresentamos umas às outras, compartilhando as expectativas para o retiro que faríamos. Terminamos nossa manhã com um momento de deserto, em que, por meio da oração, pudemos ter um encontro pessoal com Cristo.

Iniciamos nossa tarde, ouvindo os testemunhos vocacionais das Irmãs Osmira Gonçalves e Rita Silva, além da vocacionada Michaiany Vitória, que está se preparando para iniciar o aspirantado na Congregação. Em seguida, assistimos a um vídeo, através do qual pudemos conhecer a missão que as Irmãs Carmelitas realizam e a espiritualidade que vivem. Cabe destacar, também, que vimos o Filme “Santa Teresinha do Menino Jesus”, que, por meio do seu testemunho de vida, nos inspira a, também, consagrar a nossa juventude a Deus, e deixar que Ele realize em nós a Sua vontade. Terminamos nosso dia com um momento de adoração ao Santíssimo Sacramento.

Tivemos a oportunidade de rezar a vocação de alguns seguidores de Jesus e, a partir daí, a Ir. Fransinette nos propôs rezar, também, a história sagrada do nosso chamado.

Cada momento foi vivenciado com dinâmicas, tempo de oração pessoal, partilha em grupos, vídeos, o que nos ajudou a vivenciar com profundidade esta oportunidade que nos foi dada. Também, participamos da Santa Missa no Santuário Santa Rita de Cássia. Fizemos a última etapa do deserto, retomando o nosso chamado vocacional, assim como uma avaliação e, depois, o tempo de oração e partilha, em que cada uma recebeu uma sandália, como símbolo de compromisso e perseverança na caminhada. Voltamos muito felizes para nossas casas.

 

Jovens Michaiany Vitória Pereira e Lindineuza Oliveira Virgilino


Palestra Sobre a Realidade Local de Cataguases

Reunimos as turmas do Ensino Médio no dia 24 de março, pela manhã, para assistirem a uma palestra relacionada ao tema da Campanha da Fraternidade 2023: "Fraternidade e Fome". Os convidados foram o Presidente do Conselho dos Vicentinos na Paróquia de Santa Rita, Júnio Valentim, e a Secretária de Assistência Social de Cataguases, Carol Damasceno. 

Os palestrantes apresentaram a realidade local em números, e falaram das ações que são realizadas, tanto através do trabalho voluntário, quanto das políticas públicas de assistência àqueles que vivem em situação de vulnerabilidade social, passando por insegurança alimentar. 

Carol Damasceno explicou aos estudantes que a assistência social é uma política pública garantida pela Constituição Federal. Programas como o Bolsa Família e a distribuição de cestas básicas devem atender a esses direitos humanos fundamentais, apesar de ser reconhecida a incapacidade do Estado de suprir todas as demandas.

Júnio Valentim mostrou como o trabalho dos voluntários tem sido essencial no combate à fome em Cataguases. Durante a pandemia, foi doada uma tonelada e meia de alimentos, conforme relatou. Os Vicentinos fazem a ponte entre quem doa e quem recebe. 

Os estudantes foram convidados a participar, com os Vicentinos, dessa distribuição e, também, a visitar os centros de referência da Assistência Social (CRAS) que, em Cataguases, estão instalados nos bairros Leonardo, Justino e no distrito de Sereno.

A realidade de Cataguases* em números:

  • No Cadastro Único da Secretaria Municipal estão 11.601 pessoas (dados de janeiro de 2023) classificadas como baixa renda. Dessas, 1.560 pessoas estão em situação de pobreza extrema, vivendo com menos de R$ 200,00 mensais per capita. 
  • 8.193 famílias residentes em Cataguases têm uma renda per capita de até meio salário mínimo (informações de janeiro de 2023).
  • Um total de 3.934 famílias de Cataguases são beneficiadas com o Bolsa Família (dados de março de 2023), recebendo em média R$ 601,90, mensalmente. 

*Informações da Secretaria Municipal de Assistência Social.

 

Luciana Mendonça de Melo

Colégio Carmo de Cataguases/MG

 


Encontro de Lideranças da Congregação

Tema: “Animação e administração das comunidades em vista de uma vivência autêntica da fraternidade através das relações.”

Antes da chegada deste informativo, nossas comunidades, certamente, foram noticiadas por quem participou desse importante momento de convívio, formação e informação da nossa Família Carmelita da Divina Providência.

Foi uma experiência planejada e vivida, realmente fraterna, do tema proposto. Assim o experimentei naqueles quatro dias incompletos, mas repletos de momentos orantes, próximos, reflexivos, avaliativos, enriquecedores, abençoados.

Desde o alegre e acolhedor abraço da nossa Superiora Geral, Irmã Imaculada Resende, até a costumeira saída corrida, que aguça o nosso “quero mais” do convívio experimentado, mas não possível de ser prolongado.

Desde os momentos orantes, bem planejados, conduzidos e participados; passando pela experiente partilha da Irmã Sônia Conceição Soares, tão simples, fraterna, acolhedora e experiente.

Passando pelas informações distribuídas entre as Conselheiras, cada uma com sua originalidade, cumprindo a tarefa que lhe competia. E, encerrando com chave de ouro, nossa Irmã Imaculada Resende, tão nossa, tão “simplicidade carmelita”, pontuando a nossa vida, nossa Quaresma, nosso presente – futuro congregacional, nossa missão, passando a palavra à Irmã Ideneide do Rego, nos seus minutinhos finais. Mas reservou-nos um momento último para a visita- surpresa da Irmã Natalícia, tão sumida dos nossos encontros.

Encontros nossos. Tão fraternos, formativos, aproximantes – tão nossos – tão bons!

Somos agradecidas. A Deus e a nossa Mãe, que celebrou conosco o esposo São José. Ao nosso Governo Geral. A todos e a todas que colaboraram para que ele acontecesse. Em cada encontro, a gente cresce!

 

 Irmã Liza Helena

 


Abertura da Campanha da Fraternidade no Carmo de Juiz de Fora

Na segunda-feira, dia 27 de fevereiro, aconteceu a abertura da Campanha da Fraternidade de 2023 no Carmo de Juiz de Fora. No turno da manhã, a apresentação foi orientada pelo professor de Ensino Religioso dos Anos Finais do Ensino Fundamental, Flávio Rufino, e, no turno da tarde, pelas professoras Luzia Helena e Tatiane Dias, professoras de Ensino Religioso dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental e da Educação Infantil.

Como um gesto concreto de envolvimento na Campanha, foi designado para cada turma um tipo de alimento não perecível, para doação. Se todos nós ajudarmos o próximo, da forma que pudermos, estaremos um passo mais próximos de acabar com a fome no mundo.

“Em consonância com o tema da Campanha da Fraternidade 2023 ‘Fraternidade e Fome’ e com o lema ‘Dai-lhes vós mesmos de comer!’, procuramos desenvolver com nossos alunos atividades que despertem neles o altruísmo, o cuidado com o outro e o desejo de compartilhar e ajudar os irmãos mais necessitados, conscientizando-os de que, no Brasil, existem muitas pessoas que sofrem por não terem acesso aos alimentos mais básicos. Com isso, nossos alunos vão, aos poucos, percebendo que o gesto de amor e de solidariedade para com o próximo não pode se resumir a um período apenas, mas precisa acontecer todos os dias. É isso que Jesus nos ensina no milagre da Multiplicação dos Pães: se cada um doar um pouquinho do que tem, esse pouquinho se tornará suficiente e poderá alimentar muitos irmãos.”

Luzia Helena – Professora de Ensino Religioso dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental do Carmo de Juiz de Fora

 


Madre Maria das Neves sua Vida e Missão

Madre Maria das Neves

Nasceu num lugar de beleza radiante

Fazenda Patrocínio, município de Franca

No amor familiar, seu ninho aconchegante

 

Madre Maria das Neves

Numa grande mulher se transformou

Foi esposa, viúva e um sobrinho adotou

Artur Aguiar, como mãe, o educou

 

Madre Maria das Neves

Ouviu um chamado divino

E no seu interior cultivou o sonho

De servir aos pequeninos

 

Madre Maria das Neves

De São Paulo ao Rio de Janeiro migrou

Na Igreja do Carmo, na Lapa

Como Carmelita se consagrou

Fez votos de pobreza, castidade

Obediência e, de humildade, acrescentou

 

Madre Maria das Neves

Parte para Saquarema, em missão

Cuida de famílias e crianças órfãs

Com muito amor no coração.

 

Madre Maria das Neves

Era catequista de primeira,

Evangelizava e preparava

Para o encontro primeiro

Com Jesus eucarístico

Nosso amor verdadeiro

 

Madre Maria das Neves

Não conhecia acomodação

Além das crianças pobres

Que moravam no casarão

Visitava os doentes

Com amor e determinação

 

Madre Maria das Neves

Era mulher de fino trato

A todos acolhia, de fato

Seu olhar contemplativo

Era o seu melhor auto retrato.

 

Madre Maria das Neves

Não agia sozinha,

Com outras Irmãs

Enfrentava o que vinha

Com a força   de Deus

E a devoção que tinha

 

Madre Maria das Neves

De tanta entrega e doação

Sua saúde ficou frágil

sentiu a limitação

Da tuberculose que

Atingiu os seus pulmões

 

Madre Maria das Neves

Soube enfrentar a doença

Com humildade e paciência

Deixando um legado espiritual

De fé, amor e sapiência

 

Madre Maria das Neves

Uma trilha nos deixou

Seguir a Jesus Cristo

Por quem se apaixonou

Servindo aos pobres

A quem tanto se dedicou

 

Madre Maria das Neves

Sua vida é inspiração

Pra quem na vida quer

Encontrar   sua vocação

Deixar a semente

Brotar e virar plantação

De bondade e caridade

Numa eterna floração.

(Irmã Joelma Gomes de Meneses)

 

 

 

 

 

 

 

 


NOVICIADO: CHAMADO A NAZARÉ E CAMINHO PARA CAFARNAUM

Deixando Nazaré, foi morar em Cafarnaum (...) para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta Isaías: “Terra de Zabulon e Neftali, caminho do mar, do outro lado do Jordão, Galileia das nações! O povo que estava assentado em trevas viu uma grande luz” (...) (Mt 4, 16).

No Evangelho de São Mateus 4, 12-23, Jesus, ao saber da notícia de que João tinha sido preso, dirige-se novamente à Galileia, não mais para continuar a sua vida no escondimento, maspara uma nova etapa: anunciar o Reino de Deus. Assim, deixa Nazaré e vai para Cafarnaum, terra dos pagãos, de pessoas tidas como impuras e excluídas do convívio dos judeus do Sul.

Porém, é ali que inicia a sua grande missão, para se cumprir o que foi dito pelo profeta Isaías: “O povo que vivia nas trevas viu uma grande luz”, evocando, ao mesmo tempo, a profecia de Zacarias: “Sol nascente que nos veio visitar, como luz resplandecente a iluminar a quantos jazem entres as trevas e na sombra da morte estão sentados”. A partir desse momento, Jesus começa a anunciar o Evangelho, dizendo: “Arrependam-se, pois o Reino de Deus está próximo” (Mt 4,17).

Tendo a consciência de que a messe era grande: “Pedi ao Senhor da messe que envie operários” (Mt 9, 38), Jesus chama algumas pessoas para ajudá-lO: “Venham após mim e farei de vocês pescadores de homens” (Mt 4, 19). Com este chamado, convidava-os para um discipulado, para uma mudança total de vida, e algo mais pleno: deixar as redes e “pescar homens” (Mt 4, 19) a fim de anunciar o Reino dos Céus.

Com efeito, trazendo o Evangelho para perto da minha realidade, posso dizer que também estou saindo de Nazaré, ou seja, do Noviciado, tempo de crescer “em estatura e em graça diante de Deus e dos homens” (Lc 2, 52), de perceber a presença de Deus na “brisa suave” (1 Rs 19,12) como Elias, para dirigir-me, nesta nova etapa, com Jesus, para Cafarnaum, onde moram as pessoas carentes, vulneráveis, que buscam um novo sentido de viver: “Jesus percorria toda a Galileia, ensinando em suas sinagogas, proclamando a Boa Nova do reino e curando todo tipo de doença e debilidade entre o povo” (Mt 4, 23).

Por conseguinte, ao seguir os passos do Mestre, sou chamada a ser sinal de luz, anunciar o Seu Reino nesta realidade, a deixar as redes do medo, da insegurança, da comodidade, e estar aberta e disponível para a missão e, a exemplo de muitas Irmãs, ser chama viva, seguindo a trilha de Madre Maria das Neves.

De modo semelhante, ao recordar a história dos primeiros carmelitas, que precisaram deixar o Monte Carmelo e se adaptarem à nova realidade das cidades, trazendo, porém, gravados em seus corações, os valores do Carmelo, sou desafiada a encontrar, no dia a dia, o equilíbrio entre Nazaré e Cafarnaum. Em outras palavras, a cultivar a busca do escondimento, recolhimento, da presença de Deus e, ao mesmo tempo, sair em missão, estar no meio do povo para comunicar a Boa Nova.

Por fim, a partir da ótica do evangelista Mateus, cada pessoa, sem exceção, é chamada e provocada a encontrar sua Nazaré e Cafarnaum, a percorrer, diariamente, este itinerário físico e espiritual com o Mestre, a encontrar o equilíbrio entre as duas realidades, e deixar transbordar, na missão que Deus Pai nos chama e confia, por meio de Jesus, na força do Espírito, o que está em nosso coração, “pois a boca fala do que está cheio o coração” (Mt 12, 34).

 

Noviça Gislane Paiva Araújo

 


Escola Vocacional - 2023

Entre os dias 23 a 28 de janeiro de 2023, aconteceu a Escola Vocacional em Brasília, promovida pela Província Marista Brasil Centro-Norte (PMBCN), em parceria com a Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB) e Universidade Católica de Brasília. Ao todo, éramos um grupo de 50 pessoas, sendo religiosas (os), padres, formandos e leigos.

No primeiro dia, trabalhamos a temática sociológica/antropológica, com assessoria de Regina Novaes. Ela trouxe as concepções e definições, contextos das realidades das diversas Juventudes. As novas formas de expressão contemporâneas e o impacto para as Instituições Religiosas. Também foram abordados os novos mecanismos de discriminação socioespacial (discriminação por endereço). As Juventudes (situação do jovem – no Brasil) convivem com desigualdades tanto por renda, como por escolaridade, disparidades regionais, no contexto urbano e rural, religião, gênero, orientação sexual, raça e etnia, deficiências físicas, emocionais e cognitivas, dentre outras.

Na temática eclesiológica, tivemos, como assessor, Luiz Vieira. O caminho percorrido foi de reconhecermo-nos como grupo, depois de olhar para nossa realidade onde estamos inseridos, para melhor compreendê-la. Com o auxílio dos documentos das Conferências do CELAM (Conselho Episcopal Latino-Americano)e da Assembleia Eclesial, percorremos esse caminho, terminando com as contribuições da Pastoral da Juventude Latino-americana para pensar a Animação Vocacional.

Na temática psicológica, tivemos a assessoria de Sara Guerra. Ela trouxe o cuidado do animador vocacional, tendo em vista que devemos cuidar de nós primeiro para, depois, podermos cuidar do outro. A dinâmica da escuta ficou bem forte, e nos ajudou a perceber como é importante estar bem. O processo do cuidado começa com o EU-EU que, depois, passa para o EU-TU e, por último, chega no EU-NÓS, é um processo gradual, que é necessário em vista de melhor ajudar na nossa missão no cuidado com o outro.

Aconteceu um momento de escuta das Juventudes: dois jovens partilharam suas realidades, expectativas e sonhos: Kiara Rodrigues e Walisson Souza. Eles trouxeram a questão das redes sociais e a necessidade de se comunicar pelas mesmas. Deram-nos dicas de onde a juventude frequenta, como o Instagram e Tik Tok, e de onde eles não estão muito, como o Facebook. As juventudes estão num momento de inação, pois são maduros fisicamente, mas, na ação, ainda não têm a iniciativa que esperamos. Eles precisam de ajuda para fazer junto, caminhar junto; e existe uma necessidade da juventude periférica de se estar conectado com Deus, que passa, também, pelo simbolismo nas tatuagens, camisetas, bonés e, muitas vezes, as Igrejas Evangélicas conseguem atrair mais essa juventude do que nós Católicos. 

No campo metodológico, tivemos, como assessor, Joaquim Andrade. Ele nos ajudou a perceber como é importante um bom planejamento, trazendo a questão do mundo VUCA (volátil, incerto, complexo e ambíguo) que, agora, também é BANI (frágil, ansioso, não linear e incompreensível).

O campo bíblico/teológico, assessorado por Alex Pin, foi um tempo de deserto, de retomada dos diversos momentos vivenciados na Escola Vocacional.

Houve, também, uma roda de conversa sobre o terceiro Ano Vocacional do Brasil, com a Irmã Maristela Ganassini, que ajudou a todos a entender a temática e propósito do mesmo- Vocação: Graça e Missão; “Corações ardentes pés a caminho”.

Tivemos a oportunidade da Noite Cultural, momento de descontração e alegria, que favoreceu a partilha de alimentos típicos das diversas regiões de onde viemos e, também, de apresentações e danças típicas.

Por tudo demos graças a Deus!

Irmã Maria Fransinette Ramos

 


SER DISCÍPULA E COMUNICAR A NOVIDADE DE JESUS

Com alegria e esperança, celebramos no dia 19 de janeiro, p.p, dentro da Santa Missa, presidida pelo Padre Róbson Chagas, o encerramento de mais uma etapa do Noviciado e, ao mesmo tempo, a bênção de envio para a nova realidade neste período apostólico. Estiveram presentes as Irmãs da Comunidade “Madre Santa Face”.

A acolhida, feita pela Irmã Rita Silva, mestra de Noviças, recordou que este foi um tempo de aprofundamento da vivência das dimensões da contemplação e da fraternidade, bem como, das exigências da Espiritualidade e do Carisma da Congregação. Ao ser enviada para um novo contexto, sou chamada a ser sinal de luz na Comunidade Religiosa e na vida das crianças, adolescentes e famílias que integram o “Projeto Vida Nova”, da Obra Social de Petrolina/PE.

Em sua homília, Padre Robson nos chamou a atenção para o objetivo do Evangelho de São Marcos: sermos discípulos de Jesus. Assim, a partir do texto bíblico, nos interpelou a viver o discipulado, a continuarmos a missão de Jesus junto com a Igreja, a nos jogarmos com confiança filial nos braços do Pai, tendo sempre a consciência de que a missão não é nossa e que, se Deus nos chama, é porque está conosco. Além disso, dirigindo-se a mim, expressou seu desejo de que eu possa continuar a missão de Jesus, e levar a sua novidade aos mais vulneráreis, lembrando, também, a minha condição de vulnerabilidade.

Ao final da Celebração Eucarística, foi feita a cerimônia de envio, com Irmã Maria da Natividade dos Reis lendo os Artigos quinto, sexto e oitavo das nossas Constituições. Em seguida, expressei as minhas disposições para a nova etapa, com a minha oração de louvor e oferta ao Senhor. Após esse momento, recebi, da Irmã Rita, a pasta com os estudos e orientações para o Estágio Apostólico. E, como presente simbólico, Irmã Leonor de Jesus Garcia me entregou uma vela com a imagem de nossa Madre Fundadora, juntamente com o tema da celebração dos 123 anos da Congregação: “Ser chama viva nas trilhas de Madre Maria das Neves”, com o convite para que eu seja sempre uma chama de luz na vida das pessoas, onde estiver, e possa continuar fazendo a experiência do amor de Deus.

Com o canto final, encerramos o nosso momento celebrativo com simplicidade e alegria, próprio da nossa família religiosa e, juntos, cantamos: “Quero ouvir Teu apelo Senhor, ao Teu chamado de amor responder”.

 

Noviça Gislane Paiva Araújo


UMA PEDIATRA NO CÉU

COMO ASSIM?

            A jovem Isabel Cristina se preparava para fazer o Curso de Medicina, quando foi brutalmente morta, no apartamento onde morava, em Juiz de Fora, com seu irmão Paulo Roberto. Um fato doloroso que abalou profundamente a sociedade cristã de Barbacena. E sem conta o número de jovens cujos sonhos são interrompidos por causa da maldade humana. O feminicídio está se tornando uma condição de proporções incalculáveis. A beatificação de Isabel Cristina é um momento profético da Igreja que, em meio a tantos assédios e desrespeito aos direitos humano, grita profeticamente: Basta! Os autores do hino, em honra da futura beata Isabel Cristina, destacam o que muitos de nós queremos dizer:

Abençoa nosso povo machucado

Mostra aos jovens o valor da santidade

Que contigo construamos todos juntos

Novo mundo de amor, paz e amizade.

Os autores são: José Mário Santana Barbosa, do 4º ano de Teologia, do Seminário de Mariana, e o organista Walace Gabriel Moura da Silva. Eles expressam o que a vida cristã nos ensina: respeito pela vida. Isabel Cristina morreu, defendendo a vida, tornou-se mártir e se transformou no símbolo da beleza de toda Mulher, sua integridade. Deixou-se morrer para preservar sua integridade moral, tão difícil para os brutos reconhecerem. Eles não sabem o que fazem? Certamente, sim.

Aos pais de Cristina e de tantas outras “Cristinas”, o consolo da MÃE DOLOROSA, ao ver seu FILHO JESUS, pregado na Cruz.

Aos jovens, uma inquietação prolongada e interpretada nas atitudes de cada dia. O amor, o respeito, o entendimento das diferenças de raça, de gênero e da condição humana.

Pistas para reflexões:

Aprofundar a condição humana.

Perceber a “maldade” e saber se preservar do mal.

Compreender as contradições e absurdos do “fraco poder do machismo”. Combatê-lo.

Praticar a resiliência diante dos “delírios” da sociedade insatisfeita.

Aprofundar os valores da vida cristã, na vida cotidiana.

Irmã Marlene Frinhani, CDP 

 


Ser chama viva na trilha de Madre Maria das Neves

Frase melhor não definiria o que as Irmãs Carmelitas da Divina Providência buscam viver, com seu testemunho e, principalmente, com sua alegria. Ser chama viva no mundo e, em especial, na vida dos que mais necessitam, na vida dos pobres, enfermos e idosos, levando a alegria, o amor, e a fé, trilhando os passos daquela que se entregou Cristo. Nos dias 29 de novembro a 02 de dezembro, em Cataguases – MG, participamos da missão de encerramento do Ano Vocacional da Congregação, quando pudemos visitar nossos irmãos e irmãs enfermos e idosos, e, assim, levarmos a palavra de Cristo, e rezar com e para eles. Tivemos também momentos com adolescentes e jovens, em que buscamos falar sobre nossa Congregação e como a mesma chegou no município de Cataguases. Encerramos nossa missão com a Celebração dos 123 anos de sua Fundação, no Santuário Santa Rita de Cassia – Cataguases - MG, onde podemos dar graças a Deus que, por Sua providência nos tem permitido estar atuantes em diversos lugares, e nos conduzindo sempre em frente, para dar continuidade ao sonho iniciado por Madre Maria das Neves. Acreditamos firmemente que, se buscarmos o Reino de Deus, se buscarmos fazer a Sua vontade, Ele nos providenciará o que precisarmos durante a caminhada. Basta jogar nossas redes, tendo a confiança de Pedro, que mesmo estando cansado mesmo achando estar tudo perdido, acredita, e se mantém confiante em Deus.


Por tudo, demos graças, na certeza da presença Daquele que nos conduz a caminhar em frente, e nos providencia o que nos for preciso.

Aspirante Izabela Maria da Silva Santos


123 Anos de Alegria e Bênçãos

 "Ser chama viva na trilha de Madre Maria das Neves!"

Este foi o tema da celebração dos nossos 123 anos de existência e caminhada. Que bênção e alegria podermos celebrar esta data, ao mesmo tempo em que concluímos o Ano Vocacional Carmelita da Divina Providência. Tão festivo acontecimento contou com a presença e participação de muitas Irmãs das nossas Comunidades, leigos, paroquianos e Fraternidade de Carmelitas Leigos.

Iniciamos nossa preparação para este dia, seguindo o exemplo de Madre Maria das Neves: ”servir a Deus, aos pobres e enfermos”, indo ao encontro daquelas pessoas que, por motivos de saúde, não têm mais condições de sair de casa e frequentar a Igreja.

Nesses dias de missão, pude fazer a experiência de me tornar próxima, fisicamente, dessas pessoas de partilhar de suas realidades e desafios, e sentir a alegria e o acolhimento das famílias. Como é bom dispor um pouco do nosso tempo para ouvir, dialogar, aprender com as vivências e testemunhos de fé de pessoas que, apesar de todas as dificuldades, continuam a sua caminhada, rezando e fazendo de suas casas verdadeiras Igrejas domésticas.

 Além disso, nos poucos encontros com a juventude, o contato com suas histórias, transparecidas em suas atitudes, evoca o texto bíblico de Mt 9, 36,  que diz: “Ao ver as multidões, teve compaixão delas, porque estavam aflitas e desamparadas, como ovelhas sem pastor.”

 Terminadas as visitas e os trabalhos de preparação, realizados em conjunto, com muito bom gosto e carinho, iniciamos nosso momento celebrativo na capela do Colégio, com o luzcernário. Nessa hora, fomos recordando as luzes que foram se acendendo ao longo da história da Congregação, a começar por Madre Maria das Neves e as primeiras Irmãs, e concluindo com as atividades do Ano Vocacional, realizadas nas comunidades durante todo o ano, sendo intercaladas com mantras que nos convidavam à oração e interiorização.

Em seguida, nos dirigimos, em procissão, ao Santuário Santa Rita de Cássia, onde aconteceu a celebração da santa Missa, presidida pelo pároco, Pe. Renato, e concelebrada pelos padres Márcio e José Carlos. Na homilia, cada um deixou uma breve mensagem de gratidão e alegria a Deus, pela nossa Família religiosa e pela nossa presença na cidade.

“Ser chama viva, nas trilhas de Madre Maria das Neves”, eis o convite para cada uma de nós que deseja seguir os passos de Jesus, a exemplo da nossa Fundadora, na realidade atual com seus desafios, com criatividade e fidelidade dinâmica, no esforço diário de conversão, para sempre irmos ao encontro do outro.

Agradeço a todas as Irmãs e pessoas que nos acolheram e se empenharam, com muito esforço, trabalho, carinho e dedicação, para que pudéssemos viver estes dias intensos de encontro e celebração.

Entoando o canto, a Deus podemos elevar nossa gratidão: ”Por tudo dai  graças, dai  graças por tudo. Por tudo daí graças, dai graças “.

                                                                                            Noviça Gislane Paiva Araújo

 


Conselho Ampliado - CDP - 2022

Em novembro, p.p, realizou-se o Conselho Geral Ampliado da nossa Congregação, na Casa de Retiro Santíssima Trindade, em Belo Horizonte/MG. Iniciou-se o encontro com a Celebração Eucarística, presidida pelo bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte, Dom Joaquim Giovani Mol Guimarães. Ele veio celebrar para os leigos que estavam na mesma Casa de Retiro, participando do Encontro do CNLB (Conselho Nacional dos Leigos do Brasil) da região leste do Estado de Minas Gerais. As Irmãs Filhas de Jesus, nossas anfitriãs, também celebraram conosco. Acolhemos essa Eucaristia, como presente da Divina Providência. A presença leve, alegre, despojada, de palavras inspiradoras e proféticas de Dom Mol foi fonte de inspiração, de fundamentação para as nossas reflexões.

Foram dois dias de intenso estudo e reflexão, a partir do tema: “Funcionários na Congregação das Irmãs Carmelitas da Divina Providência: Implicações Legais, Humanas, Financeiras e Missionárias”. A metodologia utilizada foi integrando os diversos aspectos desse tema complexo e desafiante.

A Sandra Inês Alves, contadora da Congregação, fez a introdução geral, trabalhando conceitos e objetivos relativos ao tema. A Irmã Júlia Antônia dos Passos, responsável pelo Departamento de Pessoal do Escritório “Madre Bernadete”, apresentou a realidade atual do quadro dos funcionários, quantitativo, custos, aspectos legais e seus desafios. Para complementar e problematizar estes aspectos, foi realizado um trabalho de grupo, com base em estudo de casos concretos que acontecem na realidade das nossas Comunidades e Obras Sociais.  No plenário, conduzido pela Irmã Teresa Cristina Duque de Carvalho, Assistente e Ecônoma Geral, foram apresentadas e discutidas várias possibilidades de atuação para vivência, de acordo com o aspecto legal e fraterno. Na sequência, a Irmã Teresa Cristina compartilhou duas experiências, bem sucedidas, de organização e convivência no cuidado com as Irmãs idosas e doentes das Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo.

 O Governo Geral participou ativamente de todo o Encontro. A Irmã Maria Imaculada Resende, nossa Superiora Geral, com suas palavras de acolhida e de gratidão e, principalmente, com a sua presença terna e fraterna. A Irmã Teresa Cristina conduziu o encontro, esclarecendo as dúvidas, juntamente com Sandra e Irmã Júlia. As conselheiras Meiriane Coelho, Rita de Cássia da Silva e Maria Helena Lomeu, além de outras atribuições, conduziram os momentos orantes, que foram culminando, na perspectiva da espiritualidade, todos os pontos abordados. Após um momento de gratidão e comunicações, conduzido pela nossa Superiora Geral, celebramos o último momento orante na capela, onde cada uma das Irmãs participantes ofertou ao Senhor todos os funcionários das suas Comunidades e Obras, e agradeceu as luzes recebidas, durante estes dias de reflexão e aprendizado sobre a vivência e o acompanhamento dos trabalhos daqueles que, no dia a dia, nos ajudam a vivenciarmos a nossa missão de Irmãs Carmelitas da Divina Providência. Resta-nos agradecer, à Irmã Imaculada e ao seu Conselho, mais uma oportunidade de formação na busca da corresponsabilidade, na vivência da justiça, da humanização nas nossas relações, e nas atitudes evangélicas, de acordo com o carisma de Madre Maria das Neves.

 Irmã Joelma Gomes Meneses

 


Retiro dos Educadores Carmelitas

Educadores dos Colégios Carmo de Cataguases/MG, Viçosa/MG e Juiz de Fora/MG participaram, neste final de semana, do Retiro Espiritual para Educadores Carmelitas. O evento anual é promovido pela Congregação das Irmãs Carmelitas da Divina Providência, no Seminário da Floresta, em Juiz de Fora. Neste ano, teve início na noite de sexta-feira, 28, seguindo até a manhã de domingo, 30. 

As palestras foram ministradas pelo Padre Cássio Barbosa de Castro, com o tema "A espiritualidade de Santa Teresinha do Menino Jesus". Padre Cássio é Mestre em Teologia Patrística e História da Teologia, pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma, na Itália. É pároco da Paróquia Cristo Rei, em Juiz de Fora.

O professor Magno Oliveira, do Carmo de Cataguases, esteve presente com o grupo e compartilha, aqui, sua experiência: 

"No primeiro dia, os participantes refletiram sobre a educação como projeto de vida e a vocação de ser pessoa: já no segundo dia, foram feitos estudos sobre o que é espiritualidade e as doenças da alma, fundamentados na Mariologia de Santa Teresinha. Além das reflexões, foi exibido um varal Teresiano, com fotos e relíquias, e um filme sobre a vida da Santa. No último dia, como culminância do encontro, o Padre Cássio celebrou, pela manhã, a Santa Missa.

Foram momentos de muita interiorização e crescimento, na busca de um equilíbrio espiritual essencial na vida e no ofício do educador. Aprendemos a mudar o modo de pensar para gerar novas ações, a confiar na Divina Providência, a amar o mundo, cuidando de si para cuidar dos outros.

Assim como nas edições anteriores, o Retiro de 2022 foi um sucesso, conduzido com muita maestria e sabedoria por seus organizadores, um presente para todos os educadores que tiveram o privilégio de participar. Levamos para a nossa vida ensinamentos valiosos que nos ajudam a seguir na missão de educar, inspirados no amor de Maria."

Professor Magno Oliveira

 Colégio Carmo de Cataguases


Uma Feliz Visita!

 

 

Nós, Irmãs Maria Goreth Ribeiro, Maria Niêta Oliveira e Ideneide Rêgo, da Comunidade Intercongregacional de Nazaré – Haiti, tivemos a alegria de receber a visita de Irmã Maria Imaculada de Resende Pereira, Superiora Geral da Congregação das Irmãs Carmelitas da Divina Providência e Coordenadora da REMIS (Rede Missionária Intercongregacional Solidária) como da Irmã Teresa Cristina Duque de Carvalho, Conselheira Assistente e Econôma Geral da mesma Congregação.

A visita ocorreu dos dias 04 a 09 de outubro. A data do retorno estava prevista para o dia 10 de outubro, porém foi antecipada, pelo fato de o País estar bloqueado e com fortes manifestações.

O objetivo da visita foi as Irmãs conhecerem a missão do Haiti, proporcionar momentos de convivência com a Comunidade, e partilharmos os nossos sonhos e esperanças.

As Irmãs Imaculada e Teresa Cristina chegaram num período muito delicado na História do Haiti, pois o País passa por um momento bastante violento e sangrento. As ruas bloqueadas, não há combustível no País, a inflação altíssima, o povo sem poder sair para vender seus pequenos produtos, gerando muita fome, sede, e um caos social.

Foi com este cenário que as Irmãs Imaculada e Teresa Cristina chegaram aqui, porém, a presença fraterna delas nos proporcionou momentos de alegria, fraternidade, e a certeza de que não estamos sozinhas.

Tivemos a oportunidade de nos encontrarmos com os seguintes grupos de assistidos: Idosos, Nutrição, Jovens do Artesanato, Criança do “Projeto Leitura”, e o Grupo das Mulheres. Visitamos algumas famílias, e nos reunimos, pessoal e comunitariamente, com a Irmã Imaculada, para refletirmos sobre a realidade do Haiti, principalmente, com o futuro do Projeto, assumido por esta Comunidade Intercongregacional. Refletimos sobre a demanda de trabalho, bem como a dificuldade de encontrar Irmãs para integrar esta missão. Irmã Imaculada Resende nos trouxe uma palavra de esperança, quando nos comunicou a possibilidade da vinda da Irmã Maria Alves de Farias (Irmã Gorete Alves), Carmelita da Divina Providência, prevista para chegar a esta Comunidade no mês de janeiro ou fevereiro de 2023.

Em meio à tantos desafios da missão, porém, o mais significativo desta visita foi a presença alegre das Irmãs, nos fortalecendo como Irmãs. Os grupos dos assistidos, na simplicidade, manifestaram sua alegria com a presença das Irmãs visitantes.

Irmã Maria Goreth Ribeiro, que fazia parte desta Comunidade, também regressou ao Brasil, viajando com as Irmãs Imaculada Resende e Teresa Cristina.

Por tudo, rendemos graças ao Senhor!

Irmã Ideneide do Rego


Assembleia Congregacional – CDP

Nos dias 26 a 29 de setembro, de 2022, na Casa de Retiros “Seminário da Floresta”, em Juiz de Fora/MG, aconteceu a Assembleia Congregacional das Irmãs Carmelitas da Divina Providência, com a presença de cerca de 50 Irmãs, havendo a representação de quase todas as Comunidades do Brasil e Equador. A assessoria foi de Irmã Marlene Frinhani, CDP.

No dia 26, a Assembleia se iniciou com uma dinâmica de acolhida, que transcorreu da seguinte maneira: a partir de uma mochila vazia, símbolo missionário, que passava de Irmã para Irmã, para que cada uma colocasse o que trouxe de onde veio. Assim, cada Irmã, ao receber a mochila, citava seu local de missão, expressando seus desejos e expectativas para este momento congregacional. As Irmãs, “empolgadas” ora contando histórias vocacionais e/ou missionárias, deixaram na mochila o seu “quase nada” que nos unia, à medida que nos identificava como ser Único na convivência que se iniciava, no reconhecimento do momento atual das travessias que tecem a História iniciada pela Madre Maria das Neves, e que continua com afluentes acolhidos pela Fundadora.

                Em seguida, a Superiora Geral, Irmã Maria Imaculada Resende Pereira, apresentou sua palavra de abertura da Assembleia, e nos acolheu para esse momento, com o tema: De Travessia em Travessia, “Construímos” Nossa História” – “Na Mochila, Quase Nada!”.

Passamos o segundo dia 27, buscando a nascente de Madre Maria das Neves, que em sua origem quase oculta, se escondia e surgia como fio d’água como afluente da Ordem do Carmo. Em sua nascente, a Fundadora de Franca São Paulo, vai para Saquarema/RJ e segue seu curso afluente para Cataguases/MG. Ao final do dia, fomos convidadas a identificar nossa nascente pessoal – vocacional e características diversificadas dos afluentes.

                No terceiro dia 28, Irmã Marlene Frinahni, apresentou os Marcos de nossa História, explicada, rememorada em forma de travessias em travessias, oportunizando as partilhas de vivências dessas jornadas.

                No último dia, tivemos o tempo para redimensionar novos rumos, para continuarmos a mirar a Nascente, em contínua travessia, ressignificando a Missão nascida da pureza de coração e consciência tranquila.

Irmã Ildete Pena Loures


Assembleia Formativa Da CRB – Regional Minas

 

VIDA RELIGIOSA CONSAGRADA: fonte de um novo impulso. Este foi o tema que motivou a Assembleia da CRB de Minas Gerais, nos dias 11 e 12, pp; em Belo Horizonte, no Colégio Arnaldo, da Congregação do verbo Divino.

A participação das Religiosas e Religiosos foi bastante expressiva. Nossa Congregação esteve presente nas pessoas das Irmãs: Imaculada Resende, Teresa Cristina, Luciana Flávia, Rita Silva e Maria Edwiges. Foram dois dias bem aproveitados: momentos orantes, alegria, acolhida fraterna, partilhas nos grupos, confraternização: músicas, danças, caldo, etc. Todos estavam com saudade destes encontros.

Para aprofundar o tema, tivemos a ajuda de Irmã Adilse Xavier de oliveira, fsp, da Congregação das Irmãs Paulinas.

Pergunta provocatória: Como a Vida Religiosa Consagrada é, ou pode ser, fonte para um novo impulso? Nossa FONTE É O PRÓPRIO SENHOR! Vida Religiosa é fonte, é luz. Jesus confia a nós o lugar onde Ele mesmo devia estar. Narrar a História de Deus em nossa vida. O desejo de Deus nos leva à comunhão com Ele e com os Irmãos. È preciso voltar ao primeiro amor. Não perder nossa essência. Ser presença. Nosso testemunho, o estilo novo que assumimos, é profético.

Foram levantados, também, os desafios, quase todos ligados à Vida Comunitária.  E, a partir daí, foram desenvolvidos os seguintes assuntos:

Maturidade relacional em Comunhão Fraterna;

Sororidade (fraternidade);

Sair do “Refúgio pessoal” (vitimismo) para uma Vida Consagrada Autêntica;

Resgate da Ternura e da Leveza.

Para um novo ardor:é preciso ter o Espírito de Cristo. Enraizar nossa vida numa relação afetiva com o senhor, nos sacramentos, na Palavra. A profecia da Vida Consagrada e sua frutificação hoje, neste mundo marcado pela pandemia, é testemunhar a alegria, porque a Vida com Jesus é alegre.

            Como ser feliz? Como ser alegre? Permitir que Ele entre no mais profundo do meu ser, sem medo de ser julgado(a). Ter a certeza de que Jesus olha para mim com amor e ternura.

             Para o trabalho em grupo, tivemos a oportunidade de refletir sobre a pergunta motivadora: Como deve ser o “Rosto Mineiro da CRB”? Na plenária, percebeu-se a integração nas respostas dadas. No entanto, o tempo foi curto para se fazer uma síntese.  

               A proposta combinada foi que a Coordenação da CRB irá elaborar essa síntese, e partilha, oportunamente, com as Congregações. Tivemos, também, a possibilidade de esclarecimentos sobre o funcionamento da Regional de Minas.

               Para mim, este encontro foi uma oportunidade muito boa de reflexão, revisão, crescimento, e o desejo de uma caminhada mais autêntica. Agradeço à Irmã Imaculada pela oportunidade a mim oferecida e, também, às Irmãs, pela boa companhia.Irmã Maria Edwiges Teixeira


VIII ASSEMBLEIA FORMATIVA DA CRB DOS NÚCLEOS DO SERTÃO

Finalmente, após 2 anos de pandemia, pudemos realizar a tão esperada e desejada Assembleia da CRB dos Núcleos do Sertão, que teve como tema: Sinodalidade: caminho para a missionariedade e o profetismo da Vida Religiosa Consagrada. Desta vez, a edição aconteceu aqui em Petrolina, num lindo trabalho conjunto das congregações aqui presentes.

Formam os núcleos do Sertão: Afogados da Ingazeira, Floresta, Petrolina, Salgueiro. Destes, somente o núcleo de Salgueiro não estava presente.

A assembleia aconteceu nos dias 26, 27 e 28 de agosto. Na noite de sexta-feira, fizemos o credenciamento e a memória das assembleias anteriores.  A primeira e quinta assembleias, também aconteceram aqui em Petrolina.

Éramos 66 religiosos, de 19 congregações diferentes. Contamos com a presença dos coordenadores da CRB Regional Recife durante todo o encontro e, como exemplo de irmão e pastor, participou conosco o querido Dom Frei Paulo Cardoso.

Ficaram hospedadas em nossa casa, 14 irmãs pertencentes ao núcleo de Floresta. Ao passo que os demais foram recebidos pelas outras congregações.

Para o momento formativo e refeições, encontramo-nos no Centro Social Pio XI, das Irmãs Medianeiras da Paz.

No dia 27, sábado, o Padre Walterson Vargas, da Diocese de Juazeiro/BA, foi o assessor que discorreu sobre o tema e orientou os trabalhos.

O domingo foi dedicado ao lazer. Desta vez, dirigimo-nos à Chácara Madre Mazzarello e, ali, após a Missa, passamos uma manhã bastante agradável, com brincadeiras, conversas, banho de piscina, churrasco e fraternidade. Podemos cantar com o poeta: “Oi que prazer que alegria o nosso encontro de irmãos!”

Irmã Mellina Clemente Botelho

 


DESCONSTRUIR PARA NASCER DE NOVO...

A convivência na Região Norte nos traz um desconstruir, que vai além do material e superficial, passando pelo que há de mais profundo da nossa alma. Começando no conviver com ribeirinhos, indígenas Munduruku, paraenses, migrantes: do sul, do maranhão e do Ceará, de um jeito que nos provoca a mudar o nosso modo de pensar, agir e sentir, para fazer parte do todo com humildade, e aprendendo a aprender.

A primeira lição é saber escutar. Escutar o que esses povos têm a nos dizer e ensinar.  Acolher o Verbo de Deus presente em cada cultura, com cores, formas, sons, ritos, sabores e gestos totalmente diferentes dos que estamos acostumadas. Abrir mão “das nossas verdades”, para fazer uma nova experiência de vida.

Assumir um novo vocabulário, para acolher as sementes da Palavra de Deus que permeiam a vida amazônica.

Saber silenciar, para dar espaço à transformação do desconstruir da nossa alma, brotando, assim, um novo olhar da vida, dentro de nós.

Saber deixar a mãe natureza, as plantas, animais, no nosso Rio Tapajós, a terra que nos sustenta, os sons da mata. Tudo isso possa se conectar com o nosso ser, no tempo deles, na forma deles ...

Quanto mais nos deixamos configurar com as riquezas e fragilidades da região amazônica, sentimos que não somos mais as mesmas pessoas, no pensar, no agir e sonhar... abandonamos a vida que tínhamos, e assumimos uma nova vida, que nos lança na direção do respeito às nossas origens ancestrais mais profundas, à humanidade e à Casa Comum.

Não abandonamos nossa cultura de origem, mas vamos percebendo que não temos todas as verdades e, assim, neste chão, tudo nos modifica, nos refaz, e nos reconfigura comum novo olhar, para caminhar com um Jesus amazônico.

Sentimos que a nossa conversão na direção de Jesus, aqui, fica mais acelerada, deixando marcas profundas, nos fazendo mais e mais apaixonadas por este Jesus cheio de faces multiculturais.

Por isso, agradecemos por estarmos aqui!

                                                                                                          Irmã Liene Gomes


Semana do Carmo Cataguases 2022

Sétima Arte inspirou apresentações de estudantes do Ensino Fundamental II e Médio

 

“O cinema não tem fronteiras nem limites. É um fluxo constante de sonho.” A frase de Orson Welles, estampada no cartaz da Semana do Carmo 2022, apresenta a temática do evento neste ano: “Sétima Arte em Foco”. Realizada nos dias 11 a 14 de julho, a tradicional gincana do Colégio Carmo, de Cataguases, movimentou as onze equipes participantes, formadas por estudantes do 6º ao 9º Ano do Ensino Fundamental e do 1º ao 3° Ano do Ensino Médio.

 

As apresentações culturais são o ponto alto da Semana do Carmo. As turmas capricharam nas coreografias, ao som de famosos musicais do cinema, e transformaram em teatro algumas cenas icônicas de filmes que eles mesmos escolheram, entre clássicos e grandes bilheterias. Na abertura, um tapete vermelho foi estendido no pátio central da escola, para um desfile de personagens marcantes do cinema. Com uma maquiagem primorosa, um estudante se destacou fantasiado de Neytiri, a princesa de Avatar.

 

Bonito também foi ver o ginásio da escola parecendo um grande ateliê de artes, onde 68 grupos faziam desenhos a mão, pinturas e pesquisas para estampar cartazes informativos e ilustrativos. Dentre as abordagens estavam a recriação de pôsteres de filmes de animação, linhas do tempo sobre grandes diretores e suas obras, confecção de flipbooks, o “Especial Harry Potter” e um tributo a Charles Chaplin.

 

Os trabalhos apresentados se inspiraram nos clássicos, grandes produções internacionais e nacionais. Destacaram, naturalmente, Cataguases, que é conhecida como o berço do cinema nacional, por obra de Humberto Mauro. Como a cidade despontou, nos últimos anos, como um importante polo audiovisual brasileiro, onde têm sido gravados diversos filmes, cinco deles foram escolhidos na Semana do Carmo. Os estudantes produziram mini-documentários, que agora estão publicados no canal da escola no Youtube, em www.youtube.com/c/CarmodeCataguases.

 

Em análises críticas de filmes, os alunos demonstraram sensibilidade nas abordagens de questões como racismo, negacionismo científico, nazismo, desigualdade de gênero, exclusão escolar, fome e miséria. A comissão organizadora do evento escolheu onze dramas do cinema que abordam esses problemas sociais, ampliando as oportunidades de discussão e conscientização dos jovens.

 

Como não poderiam faltar nessa gincana, as brincadeiras, atividades lúdicas e esportivas deram o tom de festa para o evento, tão importante para o fortalecimento dos laços de amizade entre os estudantes. As torcidas organizadas, com suas camisas na cor que identificava a turma, tiveram quatro dias de muita diversão na escola. Essa alegria ganhou um brilho mais que especial, depois de dois anos de pandemia, com traumáticas vivências para a comunidade escolar.

 

"O cinema é vida, é conhecimento, é diversão, é alerta, denunciando preconceitos e injustiças; o cinema nos encanta, desvendando realidades inspiradoras; o cinema nos ensina, mostrando fatos reais da história; o cinema nos fascina, criando mundos imaginários cheios de fantasia. Que esta Semana do Carmo nos traga muita inspiração, emoção, alegria e conhecimento", afirmou a Diretora Pedagógica, Cecília Poyares, ao apresentar a proposta aos estudantes.

 

Além da programação cultural, todos participaram, também, da gincana solidária, que contou com a mobilização de estudantes, familiares e uma grande comunidade de benfeitores. Os donativos já foram entregues a Instituições assistenciais de Cataguases. Foram beneficiados a Sociedade São Vicente de Paulo de Cataguases, o Lar de Idosos São Vicente (no bairro Bandeirantes), a AFAN (Associação Fraterna de Assistência aos necessitados), o Educandário Dom Silvério e o Grupo Missão Barsanulfo.

 

Nos próximos dias serão anunciadas as turmas vencedoras da gincana. Enquanto isso, a equipe organizadora convida a comunidade a visitar o site do Colégio Carmo, em www.colegiocarmo.com.br, para ver os álbuns de fotos do evento.

 

Luciana Mendonça de Melo


Festa de Nossa Senhora do Carmo e confraternização

“Saquarema, és nosso poema” assim começa a música composta pela Congregação das Irmãs Carmelitas da Divina Providência em homenagem a Saquarema, nossa cidade querida, que foi testemunha do florescimento da vocação de Madre Maria das Neves.

        De fato, Saquarema é um poema: banhada pelo mar e pela lagoa, margeada por verdes montes, céu brilhante durante o dia, e límpido durante a noite. Esta cidade é, verdadeiramente, um poema, e um poema dedicado à Virgem Maria. A vocação de nossa cidade é mariana, e poderíamos ser mais específicos, é uma vocação carmelitana. Pois, ainda não existia Saquarema, não existia a poética Igreja Matriz, e estas terras já estavam consagradas a Nossa Senhora do Monte Carmelo. Foi em 1594 que chegaram aqui os primeiros frades da Ordem do Carmo, e deram início à construção de um convento dedicado ao Patriarca de Jerusalém, Santo Alberto. Quis, porém, a Divina Providência, por misterioso desígnio desconhecido pelos homens, que essa obra nunca fosse concluída. Todavia, este não foi o fim da história de amor e salvação entre a Ordem do Carmo e Saquarema.

        Séculos mais tarde, chegou aqui a Sra. Rita de Cássia, cujo único desejo era servir a Deus nos irmãos e irmãs mais necessitados. Esta alma, enamorada de Deus e dos mais pobres, ardia também de amor pela Virgem Maria, sua Mãe Santíssima, e, por isso, guiada pelas mãos de Deus e da Igreja, assumiu o compromisso com a Ordem do Carmo, tornou-se terceira carmelita, e passou a se chamar Maria das Neves. Sua passagem por Saquarema foi rápida, porém, marcante. Seu odor de santidade ainda pode ser sentido em nossa cidade, através da Casa Mãe das Irmãs Carmelitas da Divina Providência.

        A Virgem do Carmo e Deus Providentíssimo queriam, contudo, que o Carmelo florescesse, ainda mais, em Saquarema e, por isso, surgiu, no ano de 2018, a Ordem Terceira do Carmo, no mesmo lugar onde desabrochou a vocação carmelitana de Madre Maria das Neves. Para o nosso Sodalício, é uma alegria saber que vestimos o mesmo hábito de Madre Maria das Neves, e que trilhamos um caminho semelhante ao dela, pois começamos nossos encontros em Saquarema na mesma casa onde ela começou sua missão, fomos à Lapa, pedir o ingresso na Ordem Terceira do Carmo, no mesmo lugar onde ela fez sua profissão e recebeu o hábito carmelita. E, agora, temos a oportunidade, como Irmãos e Irmãs da Ordem do Carmo, de fazer o Carmelo florescer aqui em Saquarema, de tornar conhecida a espiritualidade carmelita e de propagar a devoção a Nossa Senhora do Carmo, nossa amada Mãe e Irmã.

        Este ano de 2022 foi particularmente especial para a família carmelitana de Saquarema, pois foi realizada a primeira Profissão Solene deste nosso Sodalício, tendo 15 Irmãos sido definitivamente admitidos na Ordem do Carmo. Para completar nossa alegria, estamos vendo o reflorescer desta Casa Mãe da Congregação das Irmãs Carmelitas da Divina Providência, com a chegada das, já muito amadas, Irmãs Maria Eunice e Lucenir. Não só nosso Sodalício, mas toda a Paróquia está em festa pela chegada dessas duas Irmãs, que prometem continuar e aperfeiçoar o trabalho que esta querida Congregação vem desempenhando em Saquarema há tantas décadas.

        Não poderia deixar de falar da alegria em celebrar Nossa Senhora do Carmo. Após dois anos de dificuldades, de medo e limitações, neste ano a nossa Família Carmelitana pôde celebrar, com toda a dignidade a sua Senhora e Rainha. Foi como uma coroação, diante das conquistas que o Carmelo de Saquarema alcançou neste ano de 2022. Novena, Missa Solene e Procissão marcaram os festejos de Nossa Senhora do Carmo. Unidos à Paróquia, e com o apoio da Congregação, especialmente das Irmãs Lucenir e Maria Eunice, que nos abraçaram e incentivaram, nosso Sodalício pode realizar uma grande, bela e digna homenagem à Bem-Aventurada Virgem Maria do Monte Carmelo, uma festa que desejamos que se repita e cresça a cada ano.

        Porém, as celebrações não pararam no dia 16 de julho. Ainda tivemos a alegria de comemorar o nosso Pai, o Profeta Santo Elias. No dia 20 de julho, incentivados pela Irmã Lucenir, nos reunimos todos na Capela da Casa Mãe da Congregação, para a Missa em honra do Profeta e Patriarca do Carmelo e, após   a mesma, tivemos um descontraído e prazeroso momento de confraternização entre as Irmãs Carmelitas da Divina Providência, a Ordem Terceira do Carmo e os Padres de nossa Paróquia. Quero expressar meu agradecimento, e o de todo o nosso Sodalício, à Irmã Lucenir, por ter preparado um momento tão agradável e inesquecível para todos nós, na qual pudemos conversar, nos alimentar, e até jogar bingo, numa divertidíssima e especial noite que, sobretudo, fez estreitar, ainda mais, os laços de amizade, respeito e carinho que unem nosso Sodalício e a Congregação das Irmãs Carmelitas da Divina Providência.

        Que Nossa Mãe Santíssima do Carmo possa nos auxiliar a subir o Monte Carmelo, a fim de um dia contemplarmos Deus face a face e que, pela sua intercessão, sejam concedidas santas e verdadeiras vocações carmelitas, como insistentemente pedimos ao longo de sua novena, para nosso Sodalício, para a Congregação das Irmãs Carmelitas da Divina Providência e para toda a Ordem do Carmo. Que Madre Maria das Neves possa também servir de modelo para todos nós, e interceder pelo crescimento e florescimento do Carmelo em nossa poética Saquarema.

 

Salve Maria!

Salve o Carmelo!

 

Anderson Afonso Serafim, OTC


Encontro de Educadores Carmelitas da Divina Providência

A Congregação das Irmãs Carmelitas da Divina Providência promoveu, no dia 25 de junho de 2022, o Encontro Anual de Educadores Carmelitas, no formato on-line, pela plataforma digital Google Meet. O evento contou com participação de diretores, coordenadores, professores e funcionários de suas quatro unidades escolares: Cataguases/MG, Juiz de Fora/MG, Viçosa/MG e Teresópolis/RJ. O objetivo principal foi o aprofundamento da espiritualidade carmelita.

Momento I

Palestrante: Ir. Marlene Frinhani 

 Tema: “Interpelações do Amor”

Na parte da manhã, tivemos a participação da Ir. Marlene Frinhani, que nos conduziu numa profunda reflexão sobre as “Interpelações do Amor”. Ela iniciou sua fala, fazendo memória de personalidades históricas que, com suas atitudes, foram capazes de deixar um rastro de amor e um modelo a ser seguido pelas gerações que as sucederam. Irmã Marlene apontou a coragem de Nelson Mandela, a firmeza e a coerência de Dom Hélder Câmara, o senso de justiça de Mahatma Gandhi e a caridade de Santa Dulce dos Pobres.

Deste modo, a Irmã nos apresentou a carmelita Santa Teresinha do Menino Jesus. Uma jovem francesa, de família burguesa, que abriu mão das regalias de sua classe social, para viver a austeridade do Carmelo. Assim, mergulha na espiritualidade do Carmelo, a qual ela denominava “teologia do Pequeno Caminho’’, significando que a prática do amor a Deus não se baseia em grandes ações, mas em pequenos atos do dia-a-dia.

Irmã Marlene nos levou a refletir como a busca do ordinário, ou seja, simplicidade do dia-a-dia, vivido por Santa Teresinha, pode nos ajudar a alcançar uma espiritualidade mais profunda. Apontou, também, a coragem de Teresinha em não abrir mão de seus princípios.

De que modo podemos dialogar com os jovens de nosso tempo? Como lhes transmitir os valores do Evangelho, diante de tantas influências que lhes chegam pelas redes sociais? Estes e outros questionamentos foram levantados ao término na manhã de espiritualidade. Numa partilha construtiva, a comunidade educativa pôde concluir que, para enfrentar os desafios destes novos tempos, faz-se necessário a paciência, tão presente na vida de Santa Teresinha do Menino Jesus.

Tal paciência não pode ser passiva, mas acompanhada de atitudes que nos levem a dialogar com esta juventude que, diante de tanta informação e pontos de vista, encontra-se confusa e desnorteada.

Concluímos que é preciso abrir espaço para o diálogo, para a verdadeira espiritualidade carmelita, que segundo Teresinha, nasce das pequenas atitudes.

 

Momento II

Palestrante: Humberto Silvano Herrera Contreras

Tema: O Pacto Educativo Global

            Primeiramente, esse pacto é perceptivo a partir da Igreja Católica, na pessoa do Papa Francisco. A campanha da Fraternidade é para além do período da quaresma, deve ser vivenciada o ano todo.  A educação religiosa se aplica a todos, independente da religião. Cada colégio deve zelar pela identidade Católica de toda a estrutura, e não só de algumas partes. Identidade Católica é aquilo que há de comum em nossa pedagogia escolar, e da qual não devemos abrir mão. O Projeto Político Pedagógico do Colégio deve deixar claro esses pontos acerca da identidade Católica.

                Ensinar significa marcar o outro com sinais. A marca que desejamos deixar no outro é a marca do ensinamento. Toda escola Católica precisa se avaliar, e projetar um humanismo solidário. A fraternidade é uma experiência de encontro com o outro. A Escola é um lugar privilegiado de encontro consigo e com os outros. Um dos pontos fundamentais é que a escola Católica deve zelar por um currículo evangelizador. Uma das disciplinas que pode muito ajudar é o Projeto de Vida, inserido recentemente no currículo escolar. Um Projeto de Vida que seja pessoal e comunitário.

Você educador deve se perguntar: deixo marca na vida dos alunos? Cada Colégio vai se adequando, pouco a pouco, às orientações da CNBB. O Papa Francisco fala que é urgente uma pedagogia cristã nas escolas Católicas.

 Esse caminho não é inventado por nós, mas baseado na pedagogia do próprio Jesus Cristo. Uma passagem bíblica que mais se aproxima dessa pedagogia é a passagem dos discípulos de Emaús. Uma pedagogia que acontece a partir da escuta e do acompanhamento. Caminhar com o outro, seguir ao seu lado, e não julgar o outro. O acolhimento foi a atitude pedagógica de Jesus. Nesta passagem vemos cinco passos concretos: testemunho; discernimento; acompanhamento; diálogo e encontro.

 O Papa Francisco nos indica o caminho, quando diz que a pessoa, o ser humano, deve estar no centro das nossas atenções e atitudes. Uma metáfora à fala do Papa Francisco: é necessário uma Escola em saída! Sair do nosso “mundinho”, ou da nossa zona de conforto, e ir às periferias. Permitir que as nossas Escolas se tornem ambientes missionários. As nossas instituições não podem ser fechadas e alheias ao mundo, pois a escola tem a missão de formar e preparar os alunos para viverem no mundo.

 O professor é um comunicador e ponte de relações. O educando deve perceber que foi conduzido a encontros, que não ficou isolado ou perdido, mas que sua vida foi tocada pela vida de outros. Escutar o outro é a capacidade de sintonizar a nossa vida com a vida do outro. A questão é: como acolhemos o que escutamos? Na forma como faço meu planejamento, consta uma capacidade de escuta? O diálogo nasce da aproximação. A partir do documento Laudato Sí, o Papa nos questiona: O que está acontecendo com nossa casa? Não é hora de fazermos uma revisão do nosso ensino?

                O Projeto de Vida não pode se reduzir a um projeto sobre o futuro, mas sim deve ser um processo contínuo. Qual é o presente dos nossos alunos? Como eles estão hoje, para assumir o futuro? Entender o projeto de vida como algo que estou construindo, pouco a pouco. Nesta tarefa educacional não se pode caminhar sozinho, podemos e devemos caminhar juntos. Como a didática que estabelecemos responde às necessidades do nosso tempo?

Momento de partilha: Voltou a preocupação em como lidar com o emocional dos nossos educandos. Cuidar primeiramente de si, para melhor cuidarmos uns dos outros.

 

Segunda parte: Iniciou-se com um vídeo de animação, sob a perspectiva do cão, do pássaro e do pescador. Continuamos na dimensão da escuta uns dos outros.

                Temos três demandas a que nossas Escolas precisam ficar atentas: globalização, diálogo inter-religioso e diálogo intercultural. O ser humano é um ser frágil. Nós educadores somos frágeis e precisamos de cuidado. O plano de aula vai se modificando e se moldando, a partir do encontro com as pessoas. As incertezas fazem parte do caminho e dos desafios educacionais. Entender o pacto, a partir das perspectivas: processo (discernimento); diagnóstico (realidade) e interligado (encontro e convergência). Dedicar tempo para esta autoavaliação individual e comunitária dos educadores. Podemos encontrar três chaves para o pacto educacional: primeira chave é o currículo; segunda chave é a didática (o professor ocupa o lugar de facilitador do encontro e do diálogo); e a terceira chave é a avaliação (tudo na vida precisa de avaliação).

 

Claudenilson José da Silva e

Leandro Libanio

Professores do Colégio Carmo Teresópolis

       

            


Encontro de Animadores e Animadoras Vocacionais

Aconteceu, nos dias 03 a 05 de junho, em Belo Horizonte/MG, o Encontro de Animadores e Animadoras Vocacionais, promovido pelo Serviço de Animação Vocacional da Conferência dos Religiosos do Brasil – Regional Belo Horizonte/MG (SAV-CRB/Minas). O encontro contou com a presença de várias Congregações religiosas.  Representando nossa Congregação, estava presente a Irmã Rita de Cássia Silva, Conselheira Geral, responsável pela Dimensão da Pastoral Vocacional da Congregação e atual Mestra de Noviças.

Irmã Rita compartilha conosco, através dos registros fotográficos, bem como da “Mensagem Final”, sua participação deste momento histórico e significativo, e expressa a sua alegria e motivação imbuída de esperança e ânimo, ressaltando que é preciso acreditar, pois é tempo de “ESPERANÇAR”, acreditar nas vocações, confiar e cultivar esse dom precioso nos jovens que a nós se achegam.

Em uma palavra de incentivo e entusiasmo às Irmãs do grupo das Animadoras Vocacionais Carmelitas da Divina Providência (CDP), Irmã Rita assim afirmou: “Tempo de esperançar! Esperançar as vocações que estão aí, vamos ajudá-las a desabrochar!”

Deixemo-nos, pois, envolver pela esperança que brota do amor misericordioso do Pai, do Filho e do Espírito Santo, amor que em nós é derramado em Pentecostes, através do Espírito Santo, que nos anima, dá coragem e esperança na construção do Reino de Deus.

 

Irmã Luciana Flávia Gonçalves


Encontro de Junioristas da CRB/MG - 2022

“Oi que prazer, que alegria o nosso encontro de Irmãos!”

O segundo encontro dos Junioristas da CRB Minas, no ano de 2022, foi experimentado e vivido em clima fraterno de alegria, esperança e comunhão. Reunimo-nos, nos dias 21 e 22 de maio, no Recanto de Assis, localizado na região da Pampulha, em Belo Horizonte/MG. Foram momentos de rica partilha, festa e reflexão! O encontro foi assessorado pela Irmã Zirlaide Barreto Mendonça (Passionista), que deu continuidade ao tema proposto para este ano – “Vida Religiosa Consagrada: uma nova história ou um fim anunciado?”, com enfoque na Vida Comunitária. Com gestos de ternura e delicadeza, Irmã Zirlaide nos inseriu no texto de Mt 7, 24-29 – A CASA SOBRE A ROCHA! Esta passagem bíblica é um convite para avaliarmos quais materiais temos utilizado na construção de nossa Casa – comunidade! Espaço do encontro, do perdão e da partilha.

Nosso encontro foi realizado a partir de dinâmicas. Realizamos alguns exercícios de confiança no próximo e de autoconfiança. Uma dinâmica foi palco de muitos pontos de vista: foram formadas duplas, em que um dos parceiros deveria estar vendado, com bastante atenção aos comandos de seu companheiro. Missão dada: construir uma casa com palitos de fósforo. E havia o grupo dos que observavam. Fiquei no grupo dos que olhavam, de fora, os outros participantes, “quebrando a cabeça” para construir uma casa com palitos de fósforo. Que interessante! Pudemos ver aqueles que se esforçavam para seguir corretamente o comando de seu parceiro, havia aqueles que não compreendiam os direcionamentos, porque os movimentos estavam espelhados, observamos duplas que fizeram planejamento de construção – “que casa vamos fazer e como vamos fazer?”. E houve os que desistiram das tentativas de elaboração da dinâmica. E nós que observávamos – foram unânimes as partilhas – sentimos impotência e indiferença, porque nada podíamos fazer, a não ser observar a execução da atividade. Toda essa movimentação foi para nos mostrar as diversas expressões de vida que existem em uma comunidade. Que, se experimentadas e vividas com liberdade, verdade e muita fé, se tornarão uma bela pintura do rosto de Deus que quis ser Comunidade.

Os dias foram poucos para tanta vivência, mas ainda tivemos tempo de esquentar o corpo, dançando um bom forró, contando os muitos “causos” de nossas realidades de missão, e de tomarmos um delicioso caldo. Regressamos às nossas comunidades com a mochila repleta de aprendizados e esperanças!

 

Irmã Beatriz Marques Dias


Caminhada Carmelita

No dia 30 de abril abrimos as comemorações dos 105 anos do Colégio Nossa Senhora do Carmo na cidade de Viçosa com a Caminhada Carmelita.

 

Com muita alegria a Família Carmelita se reuniu na Univeridade Federal de Viçosa (UFV) durante a manhã de sábado para, juntos, contarmos a história do Colégio de forma diferente. Fizemos um lindo vídeo para contar como foi nosso dia.

 

Clique aqui e assista ao vídeo!

 

Durante a caminhada, tivemos cinco paradas que reproduziam a história de como as Irmãs Carmelitas chegaram à cidade, passando pela inauguração do Colégio em 1917 e terminando com algumas fotos que representam o Carmo hoje.

 

Ao final, o Coral Flos Carmeli nos agraciou com uma linda aprensentação. A caminhada foi repleta de amor e carinho!

 

Comunidade Educativa

Colégio Nossa Senhora do Carmo - Viçosa


Abertura do Ano Vocacional - Paróquia São João Evangelista/BH

No dia 08 de maio, IV Domingo da Páscoa, Dia do Bom Pastor, Dia Mundial de Oração pelas Vocações e Dia das Mães, realizamos a abertura do Ano Vocacional da nossa Congregação, na Paróquia São João Evangelista, Serra, Belo Horizonte/MG.

Tivemos uma participação especial na missa das 10 horas, no coral, no canto do salmo e na apresentação da nossa Congregação. Estavam presentes as comunidades da “Casa Central” e da Fraternidade “Divina Providência”, num total de nove Irmãs. Irmã Luciana Flávia Gonçalves e Irmã Maria das Graças Fernandes apresentaram a Congregação, o seu carisma, a sua espiritualidade e a proposta para o Ano Vocacional na Paróquia.

Foi uma alegria a comunidade Paroquial rever as Irmãs na Celebração da Eucaristia. E, para as Irmãs, foi muito importante e significativa essa participação.

À pergunta feita às Irmãs: qual foi o seu sentimento e o que achou da Abertura do Ano Vocacional na nossa Paróquia, tivemos as seguintes respostas:

“Quero parabenizar a Equipe por esta iniciativa. Foi um momento novo de nossa Congregação neste ano de 2022, quando celebramos o Ano Vocacional Carmelitano.”

“Foi uma grande oportunidade de contar, para os fieis de nossa Paróquia, quem somos nós, o que fazemos e como vivemos nossa vocação de Consagradas na Congregação de Madre Maria das Neves. Falar um pouco do nosso Carisma e Espiritualidade. E das diferentes frentes pastorais que assumimos como Congregação. Foi um momento forte de fazer uma pastoral vocacional entre as jovens e os leigos que quase nada conhecem do nosso trabalho. Foi um despertar vocacional para a vocação consagrada na nossa Congregação.”

“Lembrei-me de nossas Irmãs Maria Heloisa de Jesus Agonizantee Irmã Maria Angelina da Cruzque foram pessoas significativas na pastoral paroquial. Também expressou a unidade com nosso pároco e a Paróquia.”

Padre Marcelo Lacerda, pároco, acolheu com alegria e muito entusiasmo a proposta feita pelas Irmãs, e sugeriu algumas atividades para a elaboração do seguinte Programa:

* Continuidade dos grupos do Escapulário

* Criar o SAV juntamente com a Pastoral Familiar

* Celebrar a Novena de Nossa Senhora do Carmo na Paróquia

* Feira Vocacional

O casal Antônio Fernando Resende Tobias e Herlene Costa Tobias deu o seu testemunho de participação na Família Carmelitana, através do Escapulário.

Na oportunidade, convidamos a comunidade paroquial para uma reunião, na qual trataremos da   formação para o “Grupo do Escapulário” e da programação a ser realizada em parceria com a Paróquia.

Rezamos a Oração do Ano Vocacional, que foi entregue aos participantes na chegada. No final da Eucaristia, foi feita uma coroação da imagem de Nossa Senhora do Carmo, colocada na ornamentação muito bem preparada pela paroquiana Silvania Nascimento de Paiva e Silva. As mães e as crianças entraram ao som da música: "Flor do Carmelo nossa alegria, salve, salve Maria..." Maria foi coroada por uma mãe, enquanto entoamos com alegria o canto “Ave Maria, Virgem Mãe do Senhor. Ave cheia de graça, no Carmelo és a mais bela flor!"

Irmã Maria das Graças Fernandes


Homenagens à Irmã Dahlia: mais de 30 anos dedicados ao Carmo

Diretora-Presidente do Colégio Carmo de Cataguases de 1966 a 1971 e de 1998 até agora, Irmã Dahlia Peixoto de Rezende Filha, 91, também foi aluna carmelita, na época em que havia o internato de meninas. Como educadora, iniciou a missão dando aulas nesta escola, de 1963 a 1966. Em 2022, está encerrando o mandato. Com imensa gratidão e reconhecimento pelo seu legado, a comunidade educativa rende a ela algumas homenagens.

 

Nos próximos dias 12 e 13 de maio, estão programados momentos festivos, com a participação dos estudantes, tanto no turno da manhã quanto no turno da tarde e, na noite de 13 de maio, estarão reunidos os professores e demais funcionários da escola, com as Irmãs Carmelitas, dentre outros convidados, para a homenagem solene àquela que esteve à frente do Carmo por mais de trinta anos.

 

Foi durante o seu primeiro mandato como diretora, iniciado em 1968, que passaram a ser admitidos também os meninos. O regime de internato terminou em 1969. Naquela época, havia cerca de 120 alunos matriculados, cursando o Ginasial (hoje, seriam as turmas do 6º ao 9º anos) e o antigo Magistério.

 

De lá pra cá, o crescimento da instituição foi notável. A Educação Infantil começou na década de 1980, com uma turminha de 16 alunos cursando o antigo 3º período (hoje, 1º ano Fundamental). Os anos seguintes foram desafiadores, com oferta gradual de vagas desde o Maternal II, abrindo-se, aos poucos, para todos os segmentos da educação básica.

 

Toda essa empreitada exigiu determinação, firmeza de propósito e fé na Divina Providência. Irmã Dahlia faz questão de destacar que, para concretizar esse sonho, nunca esteve sozinha. "A escola cresceu graças a Deus e às pessoas que estiveram e estão aqui", afirmou.

 

Sob sua gestão, diversas melhorias foram realizadas. O antigo dormitório das Irmãs Carmelitas foi reestruturado para se abrirem as salas de aula do Ensino Médio. A biblioteca passou a funcionar no grande salão onde, antes, ficava o dormitório de alunos menores. Ao lado da cantina, foram construídos os aconchegantes quiosques e, ao lado da piscina principal, a pracinha foi revitalizada. Novos parquinhos e áreas de lazer também foram instalados para as crianças nos últimos anos. O Ginásio Poliesportivo Carmelitano foi inaugurado em 2003. Em 2019, foi inaugurado o novo prédio da Educação Infantil.

 

O zelo com o patrimônio da Congregação Carmelita sempre foi notável. Sob a direção de Irmã Dahlia, não se mediram esforços para preservar a segurança de todos nos ambientes escolares, com instalação de equipamentos de prevenção e combate a incêndios e adaptação dos espaços, como banheiros, rampas e calçadas, para maior acessibilidade.

 

Em 2022, voltando ao regime presencial, depois de quase dois anos de pandemia com ensino remoto e misto, o Colégio Carmo de Cataguases completa 110 anos de fundação. Assim, reafirma sua vocação, reconhecida em Cataguases e região pela excelência na oferta da Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio para aproximadamente 800 estudantes que hoje estão matriculados.  

 

"Tenho um amor muito grande pela formação escolar. Sempre acreditei que toda escola tem que ser boa e, por onde passei, levei comigo essa responsabilidade. A escola faz um bem enorme às crianças e adolescentes. Não é o prédio, são os valores, as pessoas que estão aqui", ressaltou Irmã Dahlia. "A missão mais nobre que conheço é a do professor. Com eles, o Colégio sempre pôde oferecer o que há de melhor em valores humanos. Sinto-me, hoje, gratificada! Alegro-me ao ver que a escola está em boas mãos e continua trilhando o caminho traçado pela fundadora, Madre Bernadete. Seu carisma se faz presente todos os dias; ela continua sendo a nossa diretora, guiando nossos passos, com fé em Deus e em Nossa Senhora do Carmo."

  

BIOGRAFIA: Irmã Dahlia Peixoto de Rezende Filha

 

Dahlia Peixoto de Rezende Filha nasceu em Miraí, MG, em 1º de julho de 1930. Seu pai, Adamastor Vieira de Rezende, era o proprietário da Fazenda Santa Inês, que ficou viúvo e mais tarde casou-se novamente com Dahlia Peixoto de Rezende. O casal teve quatro filhos: Fernando, Maria da Conceição, Dahlia e Leda. Eram muito religiosos, sendo devotos de Santa Terezinha, a freira carmelita que é modelo de santidade para os católicos.

 

Seus estudos iniciais foram na fazenda. Chegou a estudar parte do Primário no Grupo Escolar Coronel Vieira, mas a família se mudou para Cambará, no Paraná. Lá, Dahlia cursou o Ginasial. Na década de 1940, as três irmãs vieram para Cataguases e passaram a ser alunas internas do Colégio Carmo.

 

Depois de cursar dois anos do Magistério (hoje, Ensino Médio) no Carmo, Dahlia decidiu que queria ser freira, seguindo a mesma decisão de sua irmã mais velha, Maria da Conceição.

 

Entrou, então, para a Congregação das Irmãs Carmelitas da Divina Providência e sua formação, no noviciado, aconteceu em Mariana, MG. Concluída essa fase, foi indicada para dar aulas no Colégio Maria Mattos, em Anchieta, ES. Lecionou por dois anos, de 1953 a 1954. Foi transferida para o Colégio Nossa Senhora do Carmo de Viçosa, onde trabalhou como professora por oito anos, de 1955 a 1962.

 

Em 1963, retornou ao Colégio Carmo de Cataguases para dar aulas, de 1963 a 1966. Nesse período, cursou Letras, na Faculdade Santa Marcelina, em Muriaé. Assim que concluiu a licenciatura, foi convidada para ser a diretora do Carmo, função que exerceu de 1966 a 1971.  

 

Nesse período, visitou o distrito de Sereno e viu que as crianças de lá não tinham uma escola. Empenhou-se, então, até conseguir autorização estadual para abrir uma escola pública. Com o apoio da comunidade, fundou a Escola Guimarães Rosa, tendo sido sua primeira diretora e paraninfa da primeira turma. Atualmente, é uma escola municipal.

 

Em 1971, terminado o seu mandato como diretora do Carmo, prestou concurso público e foi aprovada para o cargo de diretora do novo colégio que seria inaugurado no ano seguinte em Cataguases, o Polivalente, um projeto de educação profissionalizante. De 1972 a 1991, assumiu a direção daquela instituição - a Escola Estadual Marieta Soares Teixeira.

 

Paralelamente, dirigiu, por seis anos, o Educandário Dom Silvério, obra social da Congregação das Irmãs Carmelitas, que na época funcionava como internato de crianças.

 

Em 1998, foi novamente chamada pela Congregação Carmelita para assumir a Direção do Colégio Carmo de Cataguases, função que desempenhou até estes primeiros meses de 2022.

 

Sua dedicação à educação em Cataguases teve notório reconhecimento público, tendo recebido, na  Câmara de Vereadores de Cataguases, o título de Cidadã Benemérita do Município, pelo Decreto nº 07/2014. Como consta no ato assinado em 5 de setembro de 2014, foi "uma homenagem ao trabalho, ao desprendimento, ao dinamismo, à amizade, enfim, a tudo o que possa engrandecer o indivíduo e o gênero humano, como reconhecimento público pelos relevantes serviços prestados ao desenvolvimento e à grandeza do Município."

 

Agora Irmã Dahlia segue sua vida religiosa, dedicada aos ensinamentos cristãos e aos princípios da Congregação das Irmãs Carmelitas da Divina Providência. Que Nossa Senhora do Carmo continue lhe abençoando todos os dias!

  

Para homenagear Irmã Dahlia, reunimos, a seguir, alguns depoimentos:

 

"Tenho um amor muito grande por essa escola. Durante muitos anos, eu e Dahlia estivemos juntas no Carmo. Nossa missão exigiu muita coragem. Tenho imensa gratidão pelo acolhimento e carinho dos professores e demais funcionários nesses anos todos. Madre Bernadete, a fundadora da escola, sempre nos inspirou, ela continua sendo a nossa diretora." - Irmã Maria Auxiliadora Fernandes, que foi Diretora Pedagógica do Carmo de 1974 a 1978 e de 1982 a 2006.

 

"A Irmã Dahlia sempre procurou promover as pessoas. Tanto na escola, com os alunos, com os pais dos alunos, com os professores e funcionários, quanto na residência (onde moram as Irmãs Carmelitas), ela sempre teve essa determinação. Ela enxerga o potencial que existe nas pessoas e faz de tudo para que elas consigam superar obstáculos e conquistar seus objetivos. Pessoas que, às vezes, estão desvalorizadas, desmotivadas e ela conversa, mostra oportunidades, acredita nessas pessoas. É dela, isso. Quando ela tem essa percepção, não desiste até que consiga encaminhar a pessoa. Aí, sim, ela fica realizada!" - Irmã Maria Izabel Saraiva de Souza, presença marcante no Colégio Carmo há aproximadamente 15 anos. Nos últimos anos, é responsável pelas orações no início das aulas e pelos serviços de reprografia da escola.

 

"Irmã Dahlia, para mim, é, no sentido mais pleno, um ícone, uma referência marcante em minha vida profissional. Nesses 34 anos de vivência no Carmo como educadora, sempre admirei seu modo de agir, sua capacidade de equilibrar autoridade com flexibilidade, firmeza com suavidade no trato com as pessoas, ingredientes indispensáveis a uma verdadeira líder. Com sua personalidade marcante, sempre defendeu suas próprias ideias, sem deixar de ouvir e ponderar diante de opiniões contrárias. E diante de situações desafiadoras, uma palavra sua, com a devida segurança, nos aproximava sempre da solução. Possuidora de grande inteligência e curiosidade, nunca abandonou a vontade de aprender, de se atualizar, procurando estar sempre bem informada sobre os mais diversos assuntos. E com um olhar atento a tudo e a todos, inúmeras foram as vezes em que, com seu exemplo, nos inspirou a motivar e dar oportunidades às pessoas, e a enxergar, em cada um, o potencial de crescimento pessoal e profissional. Por tudo isso e muito mais, registro aqui os meus mais sinceros agradecimentos por tanta aprendizagem nos anos de convívio que se passaram, bem como meu desejo de que possamos manter, com ela, esse contato tão agradável e frutuoso." - Maria Cecília Quaresma Poyares Cardoso, Diretora Pedagógica do Colégio Carmo.

 

"Falar de Ir. Dahlia é falar de uma pessoa de um coração enorme, que não cabe no peito, é falar de generosidade, é falar de uma mulher forte, que não se deixa abater por qualquer situação. A minha palavra, hoje, para a Ir. Dahlia, é GRATIDÃO. Gratidão por sua amizade, companheirismo e cumplicidade. Gratidão pela oportunidade de exercer o meu trabalho com tanta liberdade e confiança depositada em mim e por tudo o que aprendi nesses longos anos de convivênvia. Ir. Dahlia é inspiração e exemplo de vida." – Maria do Carmo Werneck, Tesoureira.

 

"Devemos ser fortes, porém suaves. Impossível retratar Irmã Dahlia e não lembrar de sua frase, que mais me impactou. Pensava comigo mesma: como alguém se propõe forte e, ao mesmo tempo, pode se tornar suave? Poucas pessoas podem imprimir em suas vidas um sentido tão amplo sobre perspectivas tão distintas. Irmã Dahlia é uma dessas pessoas. Seu jeito meigo, sua voz delicada e serena, carregada de sabedoria, muitas vezes me fazia pensar que a educação, no sentido mais amplo da palavra, é um misto desses adjetivos tão extremos. Espero em Deus que seu caminho continue sendo, a cada dia, de muita sabedoria e luz. Agradeço por contribuir na minha trajetória como exemplo de profissional e de ser humano." – Riza Athouguia, Coordenadora dos Anos Finais do Ensino Fundamental e do Ensino Médio.

 

"Sempre que a Irmã Dahlia percebe que alguém está desanimado ou triste, ela encontra um jeito especial de elevar a autoestima daquela pessoa, elogiando suas qualidades, mostrando como a pessoa é importante. Esse jeito dela contribui muito para o nosso ambiente de trabalho, pois nos sentimos respeitados e motivados." – Ana Brígida Costa Cruz Couto, Coordenadora dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental.

 

"Irmã Dahlia, com seu jeito austero, sempre se fez presente de uma maneira muito marcante. Sua postura, sua elegância e seu brio sempre me impressionaram. Às vezes, eu não me sentia à altura do que ela pudesse desejar de mim. Por isso mesmo, esse sentimento me impulsionava na minha trajetória profissional aqui no colégio. Com todo o respeito e admiração que tenho por ela, consegui perceber a importância de sermos verdadeiros e ao mesmo tempo cuidadosos com os outros – 'devermos ser  fortes, porém, suaves', como ela sempre dizia. Isso, sim, é que faz a diferença entre aqueles  que se permitem crescer, evoluir espiritualmente e saber que não só vivemos a escola Carmo, mas sim, que a VIDA é uma escola. E isso ela conseguiu me mostrar com força, determinação e fé." – Denise Furtado Machado, Coordenadora da Educação Infantil.

 

"Inúmeras vezes, observei com admiração a postura da Irmã Dahlia ao se dirigir a um estudante. Ela sempre vê, nesses momentos, uma oportunidade para educar. Mesmo quando há algum conflito entre alunos ou nota algum comportamento inadequado, seu olhar profundo e pacificador já indica que aquele momento, ali, será diferenciado. Sempre muito firme e cordial, chama o adolescente de 'meu jovem' e assim dita o tom da conversa. Ninguém sai da mesma forma que entrou da sua sala. Ela leva as pessoas a acreditarem mais em seu potencial, a desejarem ser melhores, a se superarem." – Luciana Mendonça de Melo, Professora no Ensino Médio, Assessora de Comunicação.

 

"Tenho um grande carinho e gratidão pela Ir. Dahlia. Ela foi minha diretora quando eu estudava no Polivalente. Ao final do Primeiro Grau (5ª a 8ª série), em 1984, ela me ofereceu uma bolsa para estudar no Colégio Carmo (sonho de muitos) e, ao concluir o Segundo Grau (Ensino Médio), fui convidada a trabalhar na secretaria da escola. Seu carisma e profissionalismo estão sempre presentes em sua gestão. Seu jeito firme e ao mesmo tempo suave são sua marca registrada. Só tenho a agradecer a Deus e à Ir. Dahlia, que deu a essa simples e humilde bolsista a oportunidade de fazer parte da família carmelitana em Cataguases." – Márcia Silva, Secretária.

 

"Quem quiser conhecer um pouco mais sobre a vida da Irmã Dahlia está convidado a visitar o Memorial Carmelitas da Divina Providência. Lá está disponível o vídeo com uma entrevista que ela nos concedeu, contando sua trajetória. No Memorial está guardado também o seu acervo pessoal de imagens e textos. São comunicados oficiais, diversos manuscritos e fotos tiradas desde os seus primeiros anos de vida religiosa. Devo dizer que a Irmã Dahlia foi uma das principais impulsionadoras para que pudéssemos inaugurar esse museu carmelita. Ela participou ativamente do projeto, tendo, juntamente com a Irmã Mercês Fernandes, colaborado com a montagem de um espaço fundamental do museu, que é a réplica, em detalhes, da cela onde dormia Madre Bernadete, fundadora do Colégio. Sou um admirador seu. Irmã Dahlia é uma pessoa de cabeça aberta, que acolhe o que a gente fala e valoriza as boas ideias." – Gilmar Moreira Gonçalves, Professor de História do Carmo, Curador do Memorial Carmelitas da Divina Providência.


Primeiro Juninter 2022

No dia 19 de março – dedicado a São José, reuniu-se, no Colégio Arnaldo, em Belo Horizonte, o grupo de junioristas da CRB Minas Gerais. Éramos 56 jovens consagrados, unidos pela diversidade de carismas, dons e cultura. O encontro foi assessorado pelo Pe. Jaldemir Vitório, SJ, que aprofundou conosco o tema – “Vida Consagrada: uma nova história ou um fim anunciado?” A pergunta foi respondida de imediato: uma nova história! Pe. Vitório nos conduziu a um profundo momento de retomada das nossas motivações interiores, a partir deste novo contexto mundial – a pandemia da Covid-19. Retomou muitos aspectos da Vida Religiosa Consagrada: oração, vida comunitária, profissão e vocação, carisma e instituição. Destaco, de sua colocação, o convite que nos foi feito, de olhar, com verdade e honestidade, o presente para vivenciarmos um futuro.

“O futuro do carisma da VRC está, de modo especial, nas mãos das novas gerações. Cabe-lhes escrever uma nova página de uma história milenar, com fidelidade criativa e profetismo, de modo a fazer nascer a tão ansiada figura histórica da VRC, cuja marca seja a misericórdia em favor dos últimos deste mundo, para os quais o Senhor nos chama, e nos envia. Os rostos dos empobrecidos e marginalizados devem estar sempre em nosso horizonte, e motivar nossas decisões!”, dizia, com entusiasmo, Pe. Jaldemir Vitório às novas gerações.

Foi promovido um momento de partilha, em que pudemos colocar nossos anseios e sonhos. O dia foi bonito, repleto de ternura, carinho e muita prosa espontânea e partilha de vida.

 

Irmã Beatriz Marques Dias


Ensinar com amor é tema de palestra para os educadores carmelitas

O corpo docente, administrativo e de apoio pedagógico da Escola esteve reunido na noite de ontem, para assistir à palestra proferida pela Irmã Marlene Frinhani. Ela conduziu reflexões sobre a frase "Fala com sabedoria, ensina com amor", lema da Campanha da Fraternidade (CF) de 2022. A Irmã, Carmelita da Divina Providência, é autora de livros e de um documentário que mantém viva a memória e o carisma desta Congregação religiosa, fundadora do Colégio Carmo.

A palestrante mostrou que, voltada especialmente para os educadores, a temática da Campanha deste ano destaca uma das passagens bíblicas em que Jesus, reconhecido como o grande Mestre, leva uma multidão a refletir sobre valores humanos. Como diz o Evangelho, os que ouviam Jesus ficavam encantados com sua maneira de ensinar. O modo cristão de ensinar é um exemplo constante para todos os professores, especialmente, em uma escola confessional, como o Colégio Carmo.

Para enriquecer as palavras de Irmã Marlene, um grupo de professores participou de uma encenação, reproduzindo a cena descrita na passagem bíblica (João 8:7) que é representada no cartaz da Campanha da Fraternidade 2022. A noite de ontem contou, também, com a voz da professora Flávia Lobo, acompanhada da voz e violão da Irmã Beatriz Marques, cantando músicas carmelitas e a música tema da CF.

O texto-base desta Campanha reproduz uma proposta: "para educar para o Humanismo Solidário, e construir a Civilização do Amor, é necessário promover a cultura do diálogo, globalizar a esperança, buscar uma verdadeira inclusão, criar redes de cooperação." A mensagem é impulsionada pelo Pacto Educativo Global, um chamado do Papa Francisco, feito em 2020, para que todas as pessoas no mundo, instituições, igrejas e governos priorizem uma educação humanista e solidária como modo de transformar a sociedade.

 

 

Luciana Mendonça de Melo

Colégio Carmo de Cataguases

 


Colégio Carmo comemora 110 anos em Cataguases

O dia 6 de fevereiro de 1912 foi de festa, há 110 anos, em Cataguases. Naquele dia, chegou, de Campos-RJ, de trem, por volta das duas horas da tarde, um pequeno grupo de Irmãs Carmelitas da Divina Providência. Foram recebidas na Estação Ferroviária, por uma multidão que as acompanhou, caminhando, até à nova residência delas, na Praça Santa Rita. Sua missão era trabalhar no colégio, que já seria inaugurado alguns dias depois.

O processo de matrículas das primeiras alunas do "Collegio N.S. do Carmo" já havia sido anunciado em 1º de janeiro de 1912, no jornal "Cataguazes", informando que seriam admitidas meninas para o ensino primário e secundário. A primeira diretora seria Madre Bernadete da Imaculada Conceição, que assim descreveu, em carta à Madre Superiora, o dia de sua chegada:

"Fomos recebidas com música e parecia que a metade do povo estava lá. (...) É preciso agora, a todo o custo, manter o Colégio, que já tem 48 alunas e algumas adiantadas. Eu preciso de professoras. (...) Na segunda-feira será a abertura das aulas. Temos recebido muitas atenções do povo de Cataguases e atribuo tudo isto à misericórdia de Deus e à Nossa Mãe Ssma. do Carmo."

A data oficial de inauguração da "Escola Normal Nossa Senhora do Carmo" é 10 de fevereiro de 1912, como consta na ata de fundação, documento que assim registra: "Na inauguração estiveram presentes as autoridades locais e suas distintas famílias. Falou, nessa ocasião, o Vigário Pe. João Rodrigues de Oliveira, mostrando que não é suficiente o preparo da inteligência, mas é absolutamente necessária a formação do coração."

Dois dias depois da inauguração, entraram as alunas, professoras e Irmãs. O Colégio começou em regime de internato, semi-internato e externato. As freiras acolhiam também as crianças e jovens para a recreação e catequese. 

Marcando a efeméride de 110 anos da chegada das Irmãs Carmelitas a Cataguases, no próximo domingo, 6 de fevereiro, a comunidade está convidada a participar, com essa intenção, das Celebrações Eucarísticas, no Santuário de Santa Rita de Cássia. Pedimos a Deus e a Nossa Senhora do Carmo que abençoe as Irmãs Carmelitas e a nossa escola, gratos por toda a história vivida. Repletos de esperança e disposição, que possamos continuar nessa caminhada, educando, aprendendo, vivenciando a simplicidade, a alegria e o acolhimento, que é nossa missão, tendo Maria como inspiradora.

 

Carta ao Colégio Carmo de Cataguases

 

A direção do Colégio Carmo de Cataguases recebeu com muito carinho, nesta semana, a mensagem da mãe de um dos alunos, Marcos Lavorato, que compartilhamos a seguir:

"Escolhi o Colégio Carmo como a escola para o meu filho, Marcos Pereira Lavorato, quando ele tinha 3 anos de idade. Escolha certa. Escolha feliz. Acolhida perfeita.

Em observação aos quatro pilares da educação, a escola permitiu que o Marcos: 1° - aprendesse a conhecer a si e ao próximo; 2° - aprendesse a fazer, com liberdade; 3° - aprendesse a viver os mais verdadeiros e belos momentos; 4° - aprendesse a ser ele mesmo, tendo o respeito como base do viver socialmente.

A missão da escola foi cumprida, com excelência. Educação, compromisso, vivência, simplicidade, amizade, alegria e acolhimento, tendo Maria como inspiradora. Sim. Acredito que Nossa Senhora esteve sempre ao lado do meu filho e da Comunidade Escolar.

Hoje, aos 16 anos de idade, com respeito às diferenças, senso ético, criticidade, criatividade e todos os saberes adquiridos, ao longo dos anos no Colégio Carmo, somados aos valores cristãos familiares/escolares, Marcos se despede para voar mais longe - COLUNI 2022. O sonho realizado.

Nunca me esquecerei do que diz o hino do Colégio - "O Carmo é meu chão". O chão que eu escolhi para o meu filho iniciar seus passos rumo a inúmeras descobertas e que, hoje, permite que ele trilhe outros caminhos, com prontidão. GRATIDÃO define o meu sentimento.

Obrigada a todos os membros da Família Carmelita!" Maria da Consolação Pereira Lavorato - fevereiro/2022.

 

Luciana Mendonça de Melo
Colégio Carmo de Cataguases

Vida Consagrada a Festa da Acolhida e da Alegria!

“Uma coisa peço ao Senhor e só esta procuro: habitar na casa do Senhor todos os dias de minha vida, para gozar a doçura do Senhor e contemplar o seu templo!”

Sl 27, 4

 

Comungo deste desejo junto com o salmista! Não conseguiria escrever sobre a Vida Consagrada sem falar o que me fez assumir este ideal. Duas palavras: ACOLHIMENTO e ALEGRIA! A Festa da Apresentação de Jesus ao templo é narrada por São Lucas (cap. 2 – vers. 22-40). Maria e José são acolhidos no templo por dois personagens: Simeão e Ana. Ambos viviam a serviço do templo, e esperavam o tempo de a profecia se cumprir. Como sabiam a hora em que o pequeno Messias apareceria? Não sabiam, mas eram alimentados pela esperança, na oração e na fidelidade de Deus. Simeão e Ana representam a Vida Consagrada, vigilante e atenta aos sinais dos tempos. Atualizando, à luz da Palavra, o jeito de ser Igreja.

 

Eles revelaram à Sagrada Família o que aconteceria a partir do Sim que deram ao projeto divino: “Eis que este menino vai ser causa de queda e elevação de muitos em Israel. Ele será um sinal de contradição. Quanto a você, uma espada há de atravessar-lhe a alma. Assim serão revelados os pensamentos de muitos corações” (Lc 2, 34-35). Que dura revelação! Ser profeta é sentir-se abraçado pela força do Senhor, para anunciar e denunciar o que engrandece e o que impede a vida em plenitude do povo de Deus! E só a oração nos pode dar essa força profética. Conheço muitas Ana e Simeão encarnados no tempo hoje: minhas catequistas, meus familiares, e as Irmãs Carmelitas da Divina Providência quem convivi na minha infância. O testemunho que vi e toquei foi o combustível que alimentou minha fé e escolha pela Vida Consagrada! Na família, recebi muitos valores cristãos, encontrei aconchego e segurança. Na catequese, fui inserida no “Templo”, incentivada a estar bem perto da Palavra e do povo de Deus. E com as Irmãs Carmelitas, no espaço do Educandário Dom Silvério, em Cataguases/MG, experimentei a ternura, o acolhimento e o incentivo para desenvolver meus dons. Encantava-me, naquelas Irmãs, a paixão pelo que eram e faziam.  

 

A Vida Consagrada é este acolhimento. Que observa, escuta e cuida dos Irmãos. Defende a vida, e por ela se doa cotidianamente. Fazendo-nos companheiros (as) de caminhada, ajudando o mundo, com convicção, humildade, simplicidade, criatividade e sabedoria, a não se entregar diante das dificuldades. É ser gratuito e grato! Não esperando glórias na missão.

 

Ser Consagrado é ser Amor encarnado. Ter o coração aberto a acolher Jesus Menino naqueles sofredores e injustiçados junto aos quais lutamos por justiça.

 

E a ALEGRIA é o fogo abrasador que queima e arde em nosso peito, transfigurando nossas atitudes, e trazendo leveza aos Votos que fazemos – Pobreza, Castidade e Obediência.

Eu senti a alegria das Consagradas com quem convivi na infância. Alegria de servir, cuidar e anunciar o Reino de Deus. Eu sinto esse entusiasmo e amor, pela escolha que fiz- graças a Deus! Uma certeza não permite que a Luz se apague: veremos a bondade do Pai reinar nesta terra!

 

É Festa! Parabéns, Consagrados (as)! Há um mundo necessitado da profecia, da esperança e da fé. Continuemos nossa caminhada, apoiados na força do Senhor! Entoemos, jubilosamente, hinos e cânticos Àquele que nos chamou! Que o testemunho da nossa comunhão como Irmãos (ãs) resplandeça nas trevas, levando a mensagem, a Boa Notícia: “O Ressuscitado vive entre nós!”

 

Irmã Beatriz Marques Dias.


“O Carmo é meu chão, eu sou Carmelita!”

“O Carmo é meu chão, eu sou Carmelita!” Não poderia começar o presente texto de outra forma a não ser expressando essa máxima tão conhecida em nossa comunidade e que sintetiza. Meu nome é Thaís Praxedes Rodrigues, possuo 21 anos, e atualmente curso Medicina no Centro Universitário Faminas – Muriaé, sonho que não seria possível sem a contribuição do Instituto Nossa Senhora do Carmo de Cataguases.

 

Minha trajetória no colégio teve início em 2011, no 6º ano do Ensino Fundamental (E.F.), após ter sido agraciada com uma bolsa de estudos integral. Vinda de escola pública, inicialmente, senti alguma dificuldade para acompanhar a turma que já estudava na instituição, o que foi corrigido rapidamente através do acolhimento que recebi por parte dos docentes e discentes.

 

Durante o EF, a ansiedade pelo Ensino Médio aumentava a cada ano pois o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), se aproximava e eu sabia que precisaria de ótimos resultados para alcançar meus objetivos. Entretanto, tal ansiedade, comum a todo vestibulando, foi abrandada quando percebi que estava recebendo a base necessária, com materiais didáticos e infraestrutura de excelente qualidade, profissionais qualificados e uma estratégia de treinamento que faz com que o aluno desenvolva familiaridade com a prova.

A aprovação veio com o ENEM prestado em 2017, coroando todo esforço e dedicação, mas também era momento de me despedir de uma segunda casa, de amigos, professores queridos, toda uma família... E então, percebi que criei laços que carregaria para sempre, pois fazem parte de quem eu sou. O Carmo, como o chamamos carinhosamente, é parte da minha construção como ser na vida e para mundo, me presenteou com valores e postura cidadã e por isso eu sou eternamente grata.

 

No Ensino Superior, me destaco como uma das melhores acadêmicas do meu curso pelo Coeficiente de Rendimento, já atuei como monitora e participo da diretoria de ligas estudantis, pois recebi preparação não só para tornar meu sonho realidade, mas para vivê-lo da melhor forma possível. Me despeço agradecendo novamente à comunidade carmelita, a todos os profissionais envolvidos e, especialmente à Ir. Dáhlia Resende, nos quais encontro apoio até hoje!

 

Saudosamente,

Thaís Praxedes


Noviciado Canônico

No dia dezenove de janeiro, iniciei o meu Noviciado Canônico, com a Celebração da Eucaristia presidida pelo Padre Paulo Dionê, pároco do Santuário Santa Rita de Cássia, e com a participação do seminarista Samuelson Mesquita. Além da presença da Comunidade “Noviciado Nossa Senhora do Carmo”, esteve presente a Superiora Geral, Irmã Maria Imaculada Resende Pereira, Irmã Rita de Cássia Silva, Superiora Local e Mestra de Noviça, e as Irmãs Osmira Gonçalves, da Comunidade “Madre Santa Face”, e Graça Fernandes.

 

Iniciamos a celebração com a acolhida feita pela Irmã Rita, lembrando o sentido desse momento, dentro do Ano Vocacional Carmelita da Divina Providência, ressaltando que este é o tempo de vivenciar, com mais intensidade, as dimensões da Contemplação, Fraternidade e Serviço, que são exigências da Espiritualidade e Carisma.

 

Em sua homilia, Padre Paulo destacou a importância de levar em nosso alforge, a exemplo de Davi, o nosso sim, tudo o que somos, o Diretório, as Constituições e o que a Congregação oferece. Além disso, falou-nos da necessidade de nos revestirmos da fé e da confiança, para enfrentarmos os “filisteus” de hoje, que querem nos desviar do caminho e do projeto de Deus. Recordou que a maior riqueza que podemos ofertar é a nós mesmos, o nosso sim, que é construtivo. Dirigindo-se mais especificamente a mim, disse que a maior riqueza e contribuição no Ano Vocacional é o testemunho jovem.

 

Terminando a liturgia Eucarística, Irmã Rita fez a leitura dos Artigos 78, 79, 80 e 91 das nossas Constituições. Em seguida, Irmã Imaculada explicitou um pouco sobre o processo de formação do Noviciado, em nossa Congregação, convidando-me a expressar, diante dos presentes, da Igreja e da Congregação, representadas na pessoa de Padre Paulo e da Superiora Geral, as minhas disposições interiores para vivenciar esta nova etapa. Assim, expressei o meu desejo de continuar caminhando, com esperança de dar o meu sim, primeiramente, a Deus, e, também, à Congregação, e de aprofundar a espiritualidade e o carisma, e crescer no sentido de pertença. Concluindo a minha fala, recebi em mãos as Constituições das Irmãs Carmelitas da Divina Providência e o Diretório Geral. Dirigindo-nos a nossa querida Mãe Maria, cantamos a música: "Óh! Maria, Mãe nossa querida".

 

Louvo e agradeço a Deus, por mais um passo na minha caminhada de busca e discernimento da vontade de Deus, e por esta querida família Religiosa, que me ajuda e acolhe com tanto carinho e fraternidade.

 

Noviça Gislane Paiva Araújo.

 

 

 

 


122 Anos da Congregação e Abertura do Ano Vocacional - CDP

Parabéns, Madre Maria das Neves!

Parabéns Irmãs Carmelitas da Divina Providência!

Parabéns, Jovens vocacionadas (os)!

Saquarema, 02 de dezembro de 2021! Este é o dia que o Senhor fez para nós! E, por isso, infinitas graças Vos damos, ó Senhor Deus altíssimo! “Casa Mãe” das Carmelitas, onde nossa Fundadora iniciou seus passos de profecia, aqui viemos para dar graças pelos 122 anos de História, bem vividos, com seus montes, vales e planícies. Nesta Festa da Congregação, houve uma pequena representação de 20 Irmãs e 20 pessoas da Comunidade Paroquial de Nossa Senhora de Nazaré. A pandemia limitou o número de pessoas, mas esta restrição não diminuiu o espírito de comunhão, gratidão e participação. Foi registrada a presença do Governo Geral, e da Equipe do Serviço de Animação Vocacional. Irmã Maria Imaculada de Resende Pereira fez uma linda Abertura, solenizando e dando Eco Vocacional de esperança, coragem e alegria, na Eucaristia das 19h. Foi o auge da gratidão, marcada pela liturgia bem preparada, expressa nas músicas, acompanhadas pela organista Irmã Julia Antônia dos Passos. A missa foi presidida pelo Padre Nédio dos Santos Lacerda, da Arquidiocese de Belo Horizonte,  e concelebrada por mais três Sacerdotes: o Pároco, Padre José Goretti Pio, o Padre Rhawy Chagas Ramos, grande amigo da Congregação, que também assessorou a transmissão, e o ex Pároco, Padre Jorge Ignaczuk, hoje Pároco de Bacaxá. A transmissão foi feita pelos links: canal da Pascom Paroquial e canal das Carmelitas CDP. Os Leigos, presentes em número reduzido, simbolizaram todos os fiéis daquela Cidade. Nossa Celebração marcou  também, a abertura do “Ano Vocacional Carmelita da Divina Providência,” dando início a uma programação recheada de momentos fortes trazidos no Organograma lançado. “A seara é imensa, e os operários são poucos”.

”Saquarema, és nosso poema! Teu lindo céu nos diz, teu lindo mar também: a história tão linda de alguém, Madre das Neves feliz que passou, mas em ti vive ainda...” A  Comunidade “Mãe da Providência”, de coração aberto e acolhedor, apresentou um clima “Fratelli Tutii”. Com todo carinho, ofereceu o café da manhã todo farto, um almoço típico de praiano, “peixada” deliciosa, e tendo, ao redor da mesa das Irmãs, os colaboradores, padres e alguns amigos. O calor humano era muito mais forte que a temperatura própria do Rio, e aí, o picolé esteve presente todos os dias, com muita delicadeza. Após a Celebração da Missa, que foi no alto do Penhasco, descemos do monte, e já nos esperava um farto coquetel fraterno, com variados salgadinhos, refrigerantes, e um bonito bolo de aniversário, com as velinhas dos 122 anos, os parabéns e as boas vindas de Irmã Sonia Marinho, em nome da Comunidade. Dava gosto de ver o entrosamento das Equipes: Governo geral, SAV e Comunidade. Por tudo, demos graças a Deus. A festividade foi vivida com as restrições, com o uso de máscaras, distanciamento, álcool gel, e completada com os “Mimos” que não podiam faltar, elaborados pela Equipe do SAV. A piedosa Oração da Manhã, dirigida pela Equipe do SAV, recordou nossas raízes, ajudando-nos no comprometimento com o carisma que Madre Maria das Neves nos deixou como herança, e, aos pés do altar, cantamos jubilosas: “Hoje que o tempo passou e o jardim floresceu, são flores lindas que Deus escolheu.” Ali, pedimos a interseção da Fundadora, para prosseguirmos com confiança, e entregamos nossa pequenez e nossa busca, como sinal visível do amor de Deus para o mundo.

            De todo o coração, a Equipe do SAV agradece à Inspiração Divina e ao Governo Geral. E abraça a todas e a cada uma de nossas Irmãs que assumiram este novo compromisso do Ano Vocacional, que busca aprimorar o nosso ser Consagrado, em busca de viver a radicalidade do evangelho, testemunhando-o diante dos Irmãos e, principalmente, dos Jovens.

“Deus infinito, nós Te louvamos e nos submetemos ao Teu poder!”

Irmã Ignez Miriam Calderano


Outubro Missionário

Este mês, iniciamos com a abertura, dia 3, nas Missas do domingo, em cada setor da Paróquia. Organizamos um cantinho missionário na igreja, com as cores dos continentes e frases alusivas ao tema. Animadas pelo convite do Papa Francisco, com o tema: Cuenta lo bueno que es Dios, e Lema: No podemos callar lo que hemos visto y oído. O Vicariato realizou formação com a metodologia de Santas Missões Populares, com os missionários novos, e estudo sobre o Evangelho de São Lucas, como também vídeos com a realidade daqui, incentivando a coleta pelos missionários.

Em nossa paróquia, realizamos dois momentos de formação bíblica para os missionários. Também se trabalhou o tema com catequizandos e Pastoral Juvenil, já que a Comunidade Juvenil, com 16 jovens, se chama: Juventude Missioneira Carmelita. Com eles também fizemos a vigília pelo dia Mundial das Missões, trabalhando a mística missionária. Assim vamos despertando o gosto e a responsabilidade de anunciar o Evangelho com a palavra e com a vida.  

Algumas pessoas da paróquia participaram da formação sobre as SMP, quando se retomou sua história, seus objetivos e metodologia, no intuito de dar continuidade a este processo que, por causa da pandemia, foi interrompido. Serviu para atiçar as brasas e reacender o fogo e ardor que elas trazem, lembrando-nos de que a vida é missão permanentemente.

Como Pastoral Vocacional do VAP, celebramos uma semana missionária vocacional, na qual realizamos encontros online com jovens das escolas da cidade e uma convivência vocacional na que foi trabalhado o lema do Domund, refletindo sobre aquilo que vemos e ouvimos, assim como nossas praticas, do que falamos, o que fazemos, o que testemunhamos.

 Não podemos deixar de falar o que vemos e escutamos.

Irmã Gorete


Renovação dos Votos

Com simplicidade e muita fé, na Festa da Natividade de Nossa Senhora, 8 de setembro, renovei meus Votos de Pobreza, Castidade e Obediência. A Celebração foi preparada com muito carinho pela minha Comunidade “Santa Teresa D’Ávila”. A Eucaristia foi celebrada pelo Monsenhor Danival Milagres Coelho, pároco na Paróquia e Santuário Nossa Senhora da Piedade, Barbacena/MG.

O clima era de profunda oração e comunhão com a nossa realidade mundial e, especialmente, brasileira. Um detalhe nos convidava a rezar com a vida sofrida e ceifada de tantos irmãos (ãs), devido à pandemia da COVID-19: o bordado da toalha do altar! Confeccionado com harmonia de cores e beleza, pela Irmã Marlene Frinhani, para que fosse oferecido a Nossa Senhora. Dedicando a ela cada pontinho do bordado, pela dor e luta do povo de Deus. A reflexão da Palavra foi cercada de ternura e esperança! Monsenhor Danival nos lembrou a fidelidade de Maria, muito antes de conceber Jesus. Colocou-nos no colo da Mãe, e nos convidou a sentir a luz do amor materno de Nossa Senhora, nos conduzindo nesta caminhada.

Confirmando minha pertença à Congregação das Irmãs Carmelitas da Divina Providência, sigo, com entusiasmo, as pegadas de Jesus e de Madre Maria das Neves, desejando, apoiada na graça de Deus, que meu testemunho ilumine outras jovens a começar essa linda jornada Carmelitana.

                                                 “Exulto de alegria no Senhor!” Is 61,10

 

 

Irmã Beatriz Marques Dias.


Mês da Bíblia

     “Se vivemos pelo Espírito, andemos também pelo Espírito”. (Gl 5, 25)

 

Este ano de 2021, quando se comemora os 50 anos do Mês da Bíblia, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, juntamente com a Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblica Catequética, propõe a leitura e a vivência da Carta Paulina aos Gálatas, com o lema: “pois todos vós sois um só em Cristo Jesus” (Gl 3,28d).

Portanto, a dinâmica deste mês nos introduz na mistagogia que a vivência da Palavra de Deus incute em nosso contexto diário. Somos convidados a deixar que Deus nos fale através da Sagrada Escritura, motivando-nos à abertura do coração, expressando, assim, uma resposta que nasce do fascínio de Deus, através da Sua Palavra divina.

Nesta Carta, São Paulo enfatiza que: “Em Cristo Jesus, somos todos irmãos e filhos de Deus, já não há diferenças ou divisões: somos todos um, pela graça do Batismo”(Gl 3,27). E assim, deixemo-nos envolver pela grandeza do amor divino revelado em Seu Filho Jesus, Aquele que nos salva e nos sustenta em sua divina misericórdia. Somos impelidos a uma profunda adesão a esse mistério pascal, que nos conclama a anunciar a boa nova do Reino de Deus.

Procuremos realizar, a partir da experiência cristológica, o sentido central de nossa ação missionária e evangelizadora. Inseridos, enfim, na prática cotidiana da vida imersa no Espírito Santo, vivamos, como nos é advertido em Gl 5, 22-23.25: “O fruto do Espírito, porém, é: amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, lealdade, mansidão, domínio próprio. Se vivemos pelo Espírito, procedamos também de acordo com o Espírito”. Deixemo-nos, envolver, portanto, pela mensagem da Carta aos Gálatas e, assim como Paulo, possamos, convictos, expressar: “não sou eu que vivo, mas Cristo que vive em mim” (Gl 2,20).

Oxalá, saibamos aproveitar este mês de setembro, para um profundo encontro com Deus e nossos irmãos, através da Sagrada Escritura. Que o Espírito Santo de luz e entendimento nos ajude a entrar na dinâmica da leitura e aprofundamento da Carta aos Gálatas.

 

Irmã Luciana Flávia Gonçalves

 


Testemunho Vocacional - Irmã Gorete!

CLIQUE AQUI, e confira o Testemunho Vocacional de nossa Irmã Gorete.


Mês Vocacional na Comunidade “José e Maria”, em PetrolinaPE

“Live Vocacional”

 

Atendendo ao pedido do nosso Pároco Humberto Ferreira, realizamos uma “live vocacional” no dia 18 de agosto, na nossa Paróquia Sagrada Família, às 19h15, após a celebração eucarística. O objetivo era apresentar um pouco sobre o carisma de cada uma das três congregações presentes e atuantes na Paróquia.

As três congregações são: Irmãs Carmelitas da Divina Providência, Irmãs Dominicanas de Santa Catarina de Sena e Irmãs da Caridade de São Vicente de Paulo. Tivemos como mediador o seminarista diocesano Henrique.

 

Celebrando o mês vocacional

 

Para dinamizar o mês vocacional na nossa Paróquia Sagrada Família, em Petrolina, a Comunidade Santa Teresinha, do bairro Dom Avelar, convidou representantes de cada vocação específica, de acordo com a semana no mês vocacional. Para a semana da vida religiosa consagrada, a coordenadora da Comunidade pediu a presença de uma Irmã Carmelita da Divina Providência. A Irmã Mellina Clemente Botelho esteve presente nesse encontro, realizado no dia 19 de agosto, às 19h30min, no qual estiveram vários membros da Comunidade, conversando com eles sobre vocação e o seu testemunho vocacional.

 

Exposição Vocacional

 

As Irmãs Salesianas do Colégio Maria Auxiliadora convidaram todas as congregações religiosas, presentes em Petrolina, para uma exposição vocacional em seu colégio, no dia 20 de agosto. Assim sendo, cada família religiosa teve a oportunidade de apresentar o material vocacional, e falar um pouco a história de sua congregação. Cada congregação ganhou um espaço para montar a sua tenda vocacional, que foi visitada por todos os alunos do colégio, em sistema de rodízio, no turno da manhã e da tarde. Foram, também, apresentados os vídeos e fotos de cada família religiosa.

Irmã Mellina Clemente Botelho

 

 

 

 

 

 


Festividades em honra a Nossa Senhora do Carmo e Santo Elias

Aconteceram, entre os dias 07 e 20 de julho, a Novena de Nossa Senhora do Carmo e o Tríduo de Santo Elias, no Santuário Santa Rita de Cássia, Viçosa-MG. Neste ano, as festividades tiveram como tema central “Maria, aquela que nos ensina a acreditar e esperar no Senhor”. Houve  a participação de diversos grupos, que nos ajudaram a rezar e adentrar na espiritualidade de cada liturgia, preparada com muito cuidado, expressando a piedade e a devoção da família carmelita.

          Cada dia da novena e do tríduo ficou marcado por um tema relacionado ao Evangelho, que nos trouxe o impulso de continuar caminhando, com muita fé, a exemplo do profeta Elias e de Maria Santíssima. Alunos de todos os segmentos, ex-alunos, educadores, famílias e funcionários do Colégio Nossa Senhora do Carmo, além das Irmãs Carmelitas da Divina Providência e da Fraternidade de Leigos Carmelitas, participaram das Celebrações Eucarísticas, representando todos os que gostariam de estar unidos presencialmente.

          Devido à restrição de público nas igrejas, causada pela pandemia de Covid-19, houve número limitado de participantes, mas as celebrações foram transmitidas pelo canal do YouTube da Paróquia Santa Rita de Cássia, contando com expressiva participação dos fiéis que acompanharam de suas casas. Além disso, nas redes sociais do colégio, foram compartilhados os registros de cada momento, trazendo o sentimento de unidade e comunhão de toda a comunidade escolar e família carmelita.

          As novenas compõem uma tradição antiga da Igreja, como um ato de gratidão e devoção popular aos Santos e à Virgem Maria. Teólogos, como Scott Hahn, explicam que o fundamento está exatamente no louvor a Deus (três dias de louvor a cada pessoa da Santíssima Trindade), bem como pode fazer alusão aos nove meses qm que Nossa Senhora esteve grávida de Jesus, pela ação do Espírito Santo. Há explicações, também, em torno do número 10, número redondo que representa a plenitude e perfeição (nove dias de orações somados ao dia da Festa do(a) Santo(a)).

Essas festividades devem ser sempre organizadas com muito zelo e carinho, pois nesses momentos recorremos a Deus em nossas necessidades, elevando nossas mentes e corações, sobretudo, neste tempo tão difícil em que o mundo inteiro ainda sofre com as consequências da pandemia. Que possamos, assim como a Virgem Maria e o profeta Elias, ser sal e luz, cumprindo a vontade de Deus, levando paz, alegria e muita esperança a tantos quantos precisarem!

 

Geovane Macedo da Costa

Professor de Ensino Religioso e Projeto de Vida

Colégio Nossa Senhora do Carmo (Viçosa-MG)


Abertura do Mês Vocacional - CDP

“... Mas em atenção a tua Palavra vou lançar as redes!” (Lc 5,5)

 

Em comunhão com a Igreja no Brasil, através da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), iniciamos o Mês Vocacional em nossa Congregação, com muita fé, esperança e alegria. A Dimensão da Pastoral Vocacional, por meio de sua Equipe do Serviço de Animação Vocacional, nos apresentou algumas propostas de ações que contemplam atividades específicas para as jovens vocacionadas, bem como alguns momentos de atenção, incentivo e animação, para que também rezemos a vocação de cada uma de nós, Irmãs Carmelitas da Divina Providência.

Assim, aqui na Comunidade da Casa Central, iniciamos este Mês em comunhão fraterna com nossas Comunidades de Belo Horizonte, “Madre Glória” e Fraternidade “Divina Providência”, que se uniram para rezar o Terço Vocacional, o qual abriu a programação das atividades do mês de agosto.

Foi um momento especial, e rico de convívio interativo entre as Comunidades, em que o desejo único das Irmãs se expressava através da oração, a uma só voz, louvando e agradecendo, ao Senhor Deus da vida, o dom da vocação daquelas que são chamadas a estar a caminho com Cristo.

Vivenciamos um momento forte de testemunho vocacional, ao ver contemplada, nesse cenário orante, a presença de nossas Irmãs mais experimentadas, aquelas que consagraram suas vidas a serviço do amor, e continuam com a chama acesa, doando todo o seu viver ao nosso Amado Jesus.

Outro fato considerado carinho de Deus foi a visita significativa da jovem Kathrein Kelly Sales Muniz, que está em processo de discernimento vocacional, conhecendo nossa Congregação. Ela esteve conosco no dia em que fizemos a abertura do Mês dedicado às Vocações e, na oportunidade, rezamos juntas o "Terço Vocacional", transmitido em nossas redes sociais.

Sentimos que, para nós que cremos, e queremos viver sob o olhar da Divina Providência, a presença da jovem Kathrein foi uma resposta amorosa de Deus, que nos diz:  Eu estou com vocês, e continuo a passar entre as jovens, e a chamá-las para a Vida Religiosa Consagrada.

Confiantes na proteção de nossa querida Madre Fundadora, que nos assegura: “Não tenham medo! Lá do céu ser-me-á mais fácil guiar e proteger a querida família religiosa que vou em breve deixar no mundo”,  prossigamos com fé e coragem.

Por tudo, demos graças ao Senhor, na fiel esperança da continuidade de nossa Família Religiosa na Igreja de Jesus Cristo!

 

Comunidade da Casa Central


Mês Vocacioanal - 2021

A Igreja no Brasil propõe, para o Mês Vocacional deste ano de 2021, o seguinte tema: “Cristo nos salva e nos envia” e o lema: “Quem escuta a minha palavra possui a vida eterna” (cf. Jo 5,24). Esta temática nos introduz na dinâmica da oração dedicada às vocações, a partir da Exortação Apostólica Pós-Sinodal Christus Vivit (Cristo vive), do Papa Francisco. Assim, somos impelidas(os) e desafiadas(os) a rezar, refletir, escutar e pensar ações vocacionais, tendo como pano de fundo essa Exortação Apostólica. A qual contempla a juventude, abrangendo questões relevantes em âmbito das convicções da fé, ao mesmo tempo em que encoraja os jovens “a crescer na santidade e no compromisso em prol da própria vocação”.

E, deste modo, a exemplo de Jesus, estar “entre os jovens, para ser o exemplo dos jovens e consagrá-los ao Senhor" (Christus Vivit). Realidade essa, tão próxima da Vida Religiosa, que tem a missão de  fazer o irmão descobrir, e se lançar à santidade a que Deus o chama, a partir do batismo. No entanto, tal desafio se faz cada vez mais complexo diante do atual contexto histórico da sociedade.

Assim, o Papa Francisco nos convoca a deixar-nos enamorar por Cristo, pois, “nada pode ser mais importante do que encontrar Deus, ou seja, enamorar-se d’Ele de maneira definitiva e absoluta” (Christus Vivit). Desta relação nasce a íntima comunhão de amizade e cumplicidade que nos lança à resposta vocacional. Porque, “aquilo de que te enamoras, prende a tua imaginação e acaba por ir deixando a sua marca em tudo” (Christus Vivit). É neste contexto de amizade e intimidade com o Senhor que a vocação vai se desvelando e se firmando.

Tal chamado  “tem um grande valor, porque coloca toda a nossa vida diante de Deus que nos ama, permitindo-nos compreender que nada é fruto dum caos sem sentido, mas, pelo contrário, tudo pode ser inserido num caminho de resposta ao Senhor, que tem um projeto estupendo para nós. A tua vida deve ser um estímulo profético que sirva de inspiração para os outros, que deixe uma marca neste mundo, aquela marca única que só tu poderás deixar” (Christus Vivit).

Dedicar-se, portanto, ao Mês Vocacional, implica sair de nós mesmas, ir em direção do outro. E, por que não dizer, uma Vocação em saída? Estar atentas(os) ao cuidado com o nosso irmão mais necessitado de nós. Assim, sobre a vocação, ressalta o Papa Francisco: “orienta-te para tirares fora o melhor de ti mesmo para a glória de Deus e para o bem dos outros. Não se trata, apenas, de fazer coisas, mas fazê-las com um significado, uma orientação” (Christus Vivit).

Neste sentido, nasce a cultura vocacional, que é uma proposta bem mais ampla em relação ao chamado vocacional. É deixar-se conduzir pela mística do chamamento, implica a aproximação e a intimidade divina, é, assim, viver a missão a partir da experiência da graça de Deus, que nos chama a conviver em Comunidade, e anunciar a boa nova aos pobres.

          É, portanto, descobrir “que Deus o chama para uma coisa concreta, que está feito para isso [...]; então será capaz de fazer desabrochar as suas melhores capacidades de sacrifício, generosidade e dedicação. O fato de uma pessoa saber que não faz as coisas por fazer, mas com um significado, como resposta a uma chamada – que ressoa nas profundezas do seu ser – para contribuir com algo a bem dos outros, isto faz com que estas atividades deem ao próprio coração uma particular experiência de plenitude” (Christus Vivit).

          Sabemos que Jesus continua a passar em nosso meio, caminha  em meio às juventudes, e insiste em chamar as(os) jovens, fixando o Seu olhar de amor e misericórdia, fascinando e atraindo os seus corações para o Reino de Deus.

 Procuremos, pois, promover “espaços de calma e silêncio” que permitam a essas (esses) jovens “refletir, rezar, ver melhor o mundo ao seu redor e, então sim, juntamente com Jesus, poderás reconhecer qual é a tua vocação nesta terra”.

Sejamos luzes que indicam o caminho às(aos) vocacionadas(os), ajudando-as(os) a escutarem a voz do Senhor, dando  suas respostas, impelidas(os) pelo fascínio do Amado.

Quanto a nós, que já discernimos nossa vocação, cuidemos, para que ela seja, a cada dia, alimentada pela energia do primeiro sim, que vem da Fonte da Vida que nos impulsiona a seguir amando.

Porque a vocação é dom de Deus, que se concretiza em ser dom para o outro.

Deus seja louvado por tanto amor dispensado a nós!

 

Irmã Luciana Flávia Gonçalves


PARTILHA MISSIONÁRIA DA MISSÃO EM IATAITUBA/PA

MOMENTO DE FORMAÇÃO DA PASTORAL DA CRIANÇA 

 

Em nossa Prelazia, a Pastoral da Criança foi muito afetada pelo isolamento social, em consequência da pandemia provocada pelo Covid-19. Muitas líderes ficaram doentes e muitas ainda lutam com as sequelas, além do sofrimento causado pela perda de familiares. Fátima Costa (Coordenadora da Prelazia), Pe. Carlos Eduardo (Pároco) e eu, Irmã Liene Gomes do Nascimento (Assessora da Pastoral da Criança da Prelazia), tivemos uma reunião com os líderes da Paróquia Nossa Senhora do Bom Remédio e ficou combinado que, para a retomada dos trabalhos, teríamos um momento de formação humana e espiritualidade para as líderes.

A formação aconteceu na residência das Irmãs Carmelitas da Divina Providência, aproveitando, assim, o espaço verde e silencioso, oferecido neste ambiente tranquilo e aconchegante.

Na tarde dessa formação, sob a orientação de Irmã Liene, foi refletido o seguinte tema: “DEUS VIU QUE TUDO ERA BOM!”, que foi trabalhado com dinâmicas de interiorização e autoconhecimento, subdividindo-se nos tópicos: “como escutar”, “a criança interior”, e “a integração da história pessoal”, terminando o conteúdo com momento de massagem em duplas. Foi uma ocasião de muita profundidade para as líderes, no “cuidar de si” para “cuidar melhor do outro”.

Terminamos esse dia de formação, com um gostoso lanche partilhado, e muita alegria por parte das líderes.

 

NOVENA DE NOSSA SENHORA DO CARMO

 

A Novena de Nossa Senhora do Carmo, deste ano, foi iluminada pelo documento Fratelli Tutti e as questões sociais; foi tempo de muita reflexão e, por que não dizer, de conversão pessoal; um olhar transformador das nossas vidas. Nossa Novena aconteceu nos momentos de oração comunitária.

Muitas perguntas surgiram: Como é a nossa presença neste mundo? Não basta estar na Amazônia, precisamos sempre buscar uma presença de qualidade, e acompanhando o que Jesus disse: lancem as redes do outro lado da margem... onde é o outro “lado da margem”? Nós estamos junto aos que estão à margem, os que não contam, os que não têm voz e nem vez...?

Louvamos a Deus por esta novena, e pedimos a Ele que nos ajude a dar forma aos questionamentos que ela nos motivou.

No dia 16, nossa Festa foi bem simples, mas bem vivida. Tivemos a Missa presidida pelo Dom Frei Wilmar Santin, O.Carm., com a presença dos Frades Franciscanos, Padres Diocesanos, Frei Romualdo O.Carm., e alguns leigos amigos. Durante a missa, fizemos nossa renovação dos Votos, sendo um momento de muita comunhão com toda a Congregação.

Após a celebração, tivemos um gostoso almoço, espaço de compartilhar a vida e vivenciar entre nós, missionários e missionárias, a fraternidade.

Dando continuidade ao tempo festivo, iniciamos no dia 17, até 26 de julho, o Festejo de nossa Paróquia e Prelazia dedicada à Sant’Ana.

Este ano, após o falecimento do nosso Pároco, Frei Manoel Lima, OFM (falecido no dia 16 de abril/2021, de Covid-19), foi designado para assumir a paróquia Frei Francisco Paixão, OFM. Frei Paixão já iniciou seus trabalhos, com a missão de organizar o Festejo da Paróquia, contando com a ajuda de todos/as os(as) paroquianos(as), criando laços e conhecendo as comunidades.

Foi a primeira vez que tivemos um momento de agregar as comunidades como Paróquia, desde o início da Pandemia. Seguindo os protocolos de saúde, e com as devidas adaptações, foi possível reanimar as comunidades e, assim, começamos a retomar a caminhada de fé.

Frei Paixão solicitou que nós, Irmãs, fizéssemos parte da Comissão Geral da festa e, também, que ficássemos à frente de alguns serviços. Assim, a Irmã Nelza Rodrigues da Silva ficou na Comissão de Liturgia, e eu, Irmã Liene, na Comissão de Música e Animação.

Todos os dias, a festividade contou com a presença de um grupo das comunidades, Pastorais, Serviços e Movimentos; da Área Pastoral III (Comunidades de Miritituba, do outro lado do Rio Tapajós) e Área Pastoral São Francisco do Tapajós administrada pela nossa Irmã Creusa da Costa Lima.

Foi um tempo de muita fé, religiosidade popular e revigoramento das comunidades, após tantas perdas humanas que tivemos em nosso meio. Depois de uma uma linda e animada carreata, os festejos foram encerrados com a Missa Solene, presidida por Dom Frei Wilmar Santin, O. Carm., Bispo da nossa Prelazia.

 

VISITA ÀS COMUNIDADES DA ÁREA SÃO FRANCISCO DO TAPAJÓS

 

Com as vacinas chegando a todos em nossa região, e começando o verão amazônico, aos poucos, as comunidades vão retomando as atividades e recuperando o ânimo à luz da fé, depois de tantas perdas em nosso meio, e ainda com inúmeras pessoas, lutando com as sequelas da covid-19.

Nas visitas, organizadas pela Irmã Creusa, Administradora Pastoral, além dos leigos da coordenação, participam o Seminarista João Witor, da Prelazia de Itaituba (que está fazendo estágio pastoral na área), e eu.

Essas visitas têm vários objetivos, como: mutirões de organização da parte externa das capelas, cursos de formação, visita às pessoas doentes, Celebração da Palavra, Celebração dos Festejos, Sacramentos e visita às famílias que sofreram perdas durante a Covid-19. Isso traz para a nossa alma uma riqueza sem igual, que nos leva a uma contemplação silenciosa da ação de Deus em nosso meio.

São muitas coisas que nos levam a uma transformação da alma: as dificuldades das estradas, que são de chão, com pontes de madeira, bem diferentes das que temos em outras regiões do nosso País; buracos e animais selvagens pela estrada; a beleza da mata e dos animais selvagens; as flores e árvores imensas, próprias da região Amazônica, a diversidade de frutas, sucos e carnes de caça... vamos a lugares distantes, no meio da mata. 

E pensar que as pessoas, que ali vivem, chegaram lá, abrindo caminho a mão, com suas ferramentas de agricultura, cortando a mata, desbravando-a para realizar o sonho de ter uma terra para plantar e viver. Vieram, de outros estados, em busca de uma vida melhor. Ouvir essas histórias de migração, suas lutas e sofrimentos, conquistas e novos sonhos, nos emociona e nos motiva a enfrentar as dificuldades da missão, dando continuidade ao trabalho de vários missionários e missionárias, que se despuseram a estar no meio dos pobres e migrantes, compartilhando a Palavra de Deus e acolhendo a Sua PRESENÇA VIVA no seio da Amazônia, dentro da vida das pessoas, da mata e dos rios.

Sentimos o Evangelho tão vivo, tão encarnado, que compreendemos, com muito mais clareza, o que os discípulos experimentaram da sua relação com Jesus.

Aqui, somos motivadas para deixar, aos poucos, nossas certezas, esquemas prontos, e nos colocarmos a caminho, no caminho com Jesus de Nazaré, aprendendo, aprendendo, aprendendo o sentido verdadeiro da Palavra: missão e amor.

Gratidão a Deus e a Congregação, que nos confiou esta oportunidade inigualável de transformação da alma na missão.

Irmã Liene Gomes do Nascimento


Início do Noviciado Apostólico

No dia dezenove de julho de 2021, iniciei o meu Noviciado Apostólico com a Celebração da Eucaristia presidida pelo Padre Paulo Dionê, pároco do Santuário Santa Rita de Cássia, e com a participação do seminarista Robson Chagas. Além da presença da Comunidade do Noviciado “Nossa Senhora do Carmo”, esteve presente a Superiora Geral, Irmã Maria Imaculada Resende Pereira e seu conselho: as Irmãs Teresa Cristina Duque Carvalho, Meiriane Coelho Rodrigues, Maria Helena Lomeu e Rita de Cássia Silva, superiora local e mestra de noviças e a Irmã Luciana Flávia Gonçalves, secretária geral.

Iniciamos a celebração, em comunhão e unidade com a Igreja, com a acolhida feita pela Irmã Rita de Cássia, manifestando a alegria da comunidade formadora de poder celebrar a minha entrada para o Noviciado Apostólico. Em seguida, dirigindo-me a todos que estavam presentes, expressei a minha gratidão às pessoas que me ajudaram neste processo de discernimento, e também o meu desejo e alegria de continuar a minha caminhada nesta querida Congregação das Irmãs Carmelitas da Divina Providência, deixando-me conduzir pelo Espírito Santo.

Em sua homilia, Padre Paulo ressaltou que este é um tempo de graça, um Kairós, no qual precisamos cultivar sempre a oração e a intimidade com Deus, esperando sempre no Senhor com perseverança, humildade e paciência, como está escrito do livro de Eclesiástico.

Após a Comunhão Eucarística, Irmã Rita fez a leitura dos artigos oitenta e sete e oitenta e oito das Constituições da Congregação, e a seguir, do número trinta e nove do Diretório Geral da Congregação. Por fim, Irmã Imaculada dirigiu-se a mim com palavras de alegria e ânimo, e concluiu, dizendo: “Aquele que vos chamou é fiel”. Neste momento, recebi em mãos o Diretório de formação e a Regra do Carmo. Com alegria e gratidão a Deus, cantamos o hino a Madre Maria das Neves.

 

Noviça Gislane Paiva Araújo

 

CLIQUE AQUI E CONFIRA O TESTEMUNHO VOCACIONAL DA NOSSA NOVIÇA GISLANE


Colégio Carmo de Cataguases promove gincana com metodologias ativas de aprendizagem

Estudantes criam murais multimídia com slides, vídeos, imagens e links para outros aplicativos

"Olhares para a vida" foi o tema da Semana do Carmo 2021, a tradicional gincana científica e cultural do Colégio Carmo de Cataguases, realizada online, nesta semana, de 14 a 17 de julho. Participaram, competindo entre si, as 12 turmas do Ensino Fundamental II e Ensino Médio.

A partir da aplicação de metodologias ativas de aprendizagem, os estudantes se encontraram em 74 grupos, por videoconferências, nos dois primeiros dias do evento. Foram orientados a criar documentos compartilhados, virtualmente, para edição de slides e vídeos. O resultado foi a publicação de um total de 184 trabalhos, todos postados pelas próprias equipes, em murais multimídia e interativos (os Padlets), que já estão abertos à visitação da comunidade estudantil, em links disponíveis no site da escola: www.colegiocarmo.com.br.

Professores, e os próprios alunos, se surpreenderam com a criatividade das equipes durante as apresentações, realizadas na manhã de sexta-feira. Além de slides científicos e culturais e links para diferentes aplicativos tecnológicos, os Padlets apresentam vídeos em que os estudantes aparecem, ora dançando, ora recitando poesias, ora discursando.

Com indicações das turmas, foi criada também uma playlist da Semana do Carmo no Spotify.  Esta foi uma das "tarefas especiais", intitulada "Músicas que embalam nossa vida", com uma seleção de 26 sucessos, cujas letras apresentam uma visão positiva da vida e dos valores humanos.

O clima descontraído e festivo característico das Semanas do Carmo, um evento anual realizado pela escola, chegou às videoconferências. Usando fantasias coloridas ou backgrounds digitais nas cores definidas para cada turma, tanto os alunos quanto os professores aproveitaram para confraternizar, ora reunidos com a série toda, ora com os grupos de quatro a cinco estudantes.

Como acontece todos os anos, foi realizada, paralelamente, a campanha de arrecadação de alimentos, que serão doados para instituições assistenciais locais.

Parabenizando os envolvidos no evento, a Diretora Pedagógica, Cecília Poyares, afirmou: "Meu agradecimento pela colaboração de todos os profissionais da escola, no apoio para a realização de nossa Semana, e aos alunos, por sua dedicação e comprometimento no cumprimento das tarefas propostas."

Luciana Mendonça de Melo

Colégio Carmo de Cataguases


Reflexão da Novena de Nossa Senhora do Carmo

1º Dia

Hoje, em nosso primeiro dia da Novena em honra a Nossa Senhora do Carmo, somos convidados e convidadas a refletir o tema: Com Maria, esperança de um novo tempo.  O texto do Evangelho, que acabamos de ouvir nos apresenta o anúncio do Anjo a Maria. Esse anúncio veio em uma época em que, como sabemos, havia uma sociedade marcada pela exclusão, injustiça, opressão, desigualdade social, que não valorizava o ser humano, sobretudo, os mais pobres e marginalizados. E, nesse contexto, o Anjo foi enviado a Maria, para anunciar esta grande e feliz notícia: “Eis que conceberás e darás à luz um Filho e lhe porás o nome de Jesus. Ele será grande e será chamado Filho do Altíssimo”. Assim, o povo que “andava nas trevas viu uma grande luz”, luz de esperança, paz e amor.

E hoje? Vivemos nesta esperança de um mundo melhor, onde reine a paz que vem de Deus, e que não haja lugar para o egoísmo, a indiferença, a injustiça, o descarte que nos roubam a esperança. O Papa Francisco, em sua exortação apostólica Christus Vivit, assim se expressa: “Maria é o grande modelo para uma Igreja jovem, que quer seguir a Cristo com frescor e docilidade”. De fato, podemos concluir que a resposta para uma mudança social está em cada pessoa que tem um coração de jovem. Recordemos o próprio Papa Francisco, que diz que a juventude é um estado do coração: é a Igreja em saída missionária que aceita os desafios da missão e as dificuldades, com coragem, perseverança, ânimo e fé, sempre se perguntando como a jovem de Nazaré, Maria: “Como se fará isso? ”para deixar que o Espírito Santo nos guie e inspire no nosso dia a dia, e nos faça instrumentos novos para uma sociedade nova. E o Papa Francisco ainda nos fala: “Ser jovem é uma graça”.

Somos, portanto, vocacionados e vocacionadas, enviados e enviadas de Deus, como Maria, a imitarmos seu exemplo e comunicarmos a esperança com a nossas atitudes, gestos, palavras e ações, e colocarmos a serviço do Reino todo o nosso ser, e, sobretudo, os mais jovens em idade, a doar suas forças com todo vigor.

Além disso, somos, como Maria, interpelados a confiar na presença de Deus que está conosco: “Ave, cheia de graça, o Senhor é contigo”, e nos abrirmos a graça, aos apelos divinos, e assumirmos o compromisso de ser instrumentos e protagonistas de um novo tempo, pois a esperança nasce e cresce nos corações daqueles que se dispõem e comprometem a lutar por uma sociedade “antropocêntrica”, isto é, onde todos têm valor, dignidade e igualdade.

Deixemos ressoar em nosso interior as palavras do anjo a Maria: “Não temas”, para que, sobretudo, nós jovens, presente e futuro da sociedade, da Igreja e do Carmelo, possamos potencializar nossa juventude para Deus e aprender com Maria, nossa Mãe, Irmã e Mestra, a dizer sim ao Pai, sendo protagonistas de um novo tempo e o rosto jovem de Cristo no mundo.

Postulante Gislane Paiva Araújo

 

3º Dia

Vamos refletir um pouco sobre esta passagem que acabamos de ouvir. Esta passagem do Evangelho é bem conhecida, fala sobre Maria, visitando sua prima Isabel, e conforme o Evangelho, Maria ficou até 3 meses com sua prima. São duas mulheres que se encontram em momentos diferentes de suas vidas, são momentos vitais. Por exemplo, Isabel na terceira fase de sua vida, Maria quase na primeira, entrando na segunda. Uma é estéril, já com bastante experiência de vida, tanto Isabel, como seu esposo, os dois eram velhos. A outra, era jovem e virgem. Ambas eram portadoras de uma Vida Maior. Tinham consciência, e sabiam que em seus ventres geravam duas vidas: João Batista e Jesus. Podemos destacar algumas características neste texto: a alegria e o ser feliz, a alegria do encontro. A felicidade das duas mulheres é tanta que, quando Maria chega à casa de Isabel, o que acontece? As duas crianças se cumprimentam (Jesus e João Batista).  Eles se manifestam no ventre de suas mães, e as duas exultam de alegria.

Vamos pensando no texto que acabamos de ouvir, olhando nossa própria vida: quando encontramos uma pessoa amiga, como nos sentimos? Felizes. Imaginemos Maria e Isabel, sabendo que elas carregavam em seus ventres duas vidas que seriam a salvação do mundo: João, que veio preparar o caminho para Jesus, e Jesus, como nosso Salvador. Que encontro feliz! Imaginemos esse encontro com alguém. Olhemos para o texto: foi um encontro espontâneo, gratuito. Não foi uma visita pesada, foi tão espontâneo que, quando Maria chega, quando elas se cumprimentam, eles (os meninos) também se cumprimentam. Vamos imaginar esta cena, olhando para nossas vidas. Como são nossos encontros? Quando visitamos, como são nossas visitas? A quem procuramos nas visitas? O que levamos e o que trazemos? Levamos alegria, esperança...? Depois, o texto nos disse também que, assim que ouviu a saudação de Maria, a criança deu um pulo. A presença de Maria transforma o ambiente, a presença de Maria transformou a casa de Isabel, por que não dizer, completou a alegria que já estava naquela casa.

Então, podemos nos perguntar: nossa presença transforma o lugar por onde passamos? Como é a nossa presença? Ela leva alegria, leva confiança, bem-estar, ou nossa presença não é bem-vinda, não chega na hora certa, na hora precisa?

Então, Maria e Isabel têm muito a nos ensinar. Nesta oração, renovemos nossa confiança de estar juntos, a alegria de nos conhecer, de partilhar a vida, a missão. Todos nós temos que valorizar nossa presença e a do outro, principalmente, quando vamos visitar, sempre valorizar esse encontro interpessoal.

Com Maria e Isabel, devemos aprender a viver esse encontro interpessoal em que os dois bebês, ainda não nascidos, se cumprimentam no ventre de suas mães. Nossa presença deve transformar nossas casas, o ambiente onde trabalhamos, nossa comunidade, nossa comunidade eclesial.

Maria é uma pessoa enérgica e dinâmica, os evangelhos nos dizem que, por onde Maria passa ela leva seu dinamismo. Maria estava lá, com os apóstolos, Maria estava lá, ao pé da cruz, Maria estava e está sempre presente na comunidade. Sempre servindo. Jesus, em Sua vida pública, estava por aí, pregando a Palavra de Deus. Maria também estava na comunidade, servindo, compartilhando a vida, compartilhando fé.

Este mistério da visitação nos permite recuperar o sentido e o dinamismo de um encontro interpessoal. Vamos pensando neste encontro das duas mulheres, e também pensando nos nossos encontros no dia a dia, nas famílias, nas nossas comunidades. Só o amor é capaz de nos colocar na direção do outro, na direção dos irmãos. Assim como Maria não demorou, foi com pressa para servir sua prima, não podemos estar caminhando a passos lentos, mas sentir também esta necessidade de servir, servir os irmãos, apressar nossos passos na direção daqueles que mais precisam de nós.

Já temos experiência de visitar aqui na paróquia. Não podemos estar marcando passos. Onde há pessoas que precisam de nós, lá devemos estar. A necessidade não espera. Assim como Maria tomou a iniciativa de ir até sua prima Isabel, também devemos ter a mesma iniciativa de “correr”, para atender aqueles que mais precisam. Não podemos nos acomodar. Não podemos esperar que eles venham até nós, somos nós que temos que ir até eles. Então, compartilharemos vida e alegria.

Vamos cantar um refrão que diz: “se me falta o amor, nada adianta, se me falta o amor, nada sou”.

Deus continua agindo, através de cada um de nós. Ele nos transforma com sua força divina, assim como transformou a vida dessas duas mulheres. Ouviremos   um pouco do que nos diz o documento do Papa Francisco, escutemos o que ele tem a nos dizer sobre “solidariedade e serviço”.

 A solidariedade se manifesta concretamente no serviço, que pode assumir formas muito variadas de cuidar dos outros. O serviço é, «em grande parte, cuidar da fragilidade. Servir significa cuidar dos frágeis das nossas famílias, da nossa sociedade, do nosso povo». Nesta tarefa, cada um é capaz «de pôr de lado as suas exigências, expectativas, desejos de onipotência, à vista concreta dos mais frágeis (…). O serviço fixa sempre o rosto do irmão, toca a sua carne, sente a sua proximidade e, em alguns casos, até “padece” com ela e procura a promoção do irmão. Por isso, o serviço nunca é ideológico, dado que não servimos ideias, mas pessoas». (Fratelli Tutti, 115)

Irmã Marieta Raimunda dos Santos

 

4º Dia

Acabamos de escutar, de acolher em nosso coração, o Evangelho de Lucas 1,46-55, já bem conhecido. Um Hino de Louvor, também chamado Magnificat, que Maria proclamou, ao encontrar Isabel.

Olhando atentamente este, texto vamos perceber nele as características de uma profissão de fé. Hino de louvor que mostra, claramente, o Rosto do Deus de Israel.

Qual o rosto de Deus que o texto nos revela?

Rosto de Deus preocupado com os pequenos, com os pobres, os órfãos, as viúvas, o estrangeiro. Grupos muito presentes nos textos bíblicos.

Rosto de Deus que conta com os pequenos, para que, através deles, possa realizar Suas maravilhas, realizar Suas promessas.

Foi o que aconteceu com nossa Senhora. O texto diz: “Ele olhou para a humildade de sua serva.”  Maria se considera serva humilde e pequena.   Em outro versículo: “O Todo Poderoso fez em mim maravilhas, fez em grandes coisas.”  A grande maravilha que Deus fez em Maria foi, exatamente, GERAR E TRAZER AO MUNDO O SALVADOR.

Rosto de Deus, cuja Misericórdia é eterna.  Que vai passando de geração em geração, que alcança a todos, até chegar a nós, hoje, e àqueles que precisam de Sua misericórdia.

Rosto de Deus que toma a dor dos pobres. A dor do pobre não é indiferente a Deus. O sofrimento dos pequenos não passa despercebido diante de Deus. 

Rosto de Deus que se mantém fiel à Palavra dada. “Eu serei o Deus de vocês e vocês serão o meu povo.”                                                                          

O texto apresenta, também, o rosto de Deus em relação aos ricos.

Rosto de Deus que condena a prática dos ricos prepotentes. 

Rosto de Deus que condena os opressores dos fracos, que condena os orgulhosos. 

Então, estes não experimentarão as riquezas e as maravilhas de Deus. Não é porque Deus não queira, mas porque seus corações, suas mentes, não se abrem à ação de Deus. Deus não pode realizar neles aquilo que eles não querem que aconteça em suas vidas. E o texto diz: “eles irão embora de mãos vazias.”

Contemplamos, assim, aqueles que experimentam as grandezas e maravilhas de Deus e aqueles que vão embora de mãos vazias.

É assim o agir de Deus!  Este é o Deus de Maria, o Deus dos Profetas, o Deus de Abraão, de Isaac, de Jacó. Este é o nosso Deus!

Acredito que a maioria de nós já escutou esta afirmação:  aquilo que Deus realizou em Maria, Ele deseja realizar em nós também. Assim como Deus quis a colaboração de Maria, Ele quer contar também com a nossa colaboração.

Em que sentido?

A) Criando condições para que a misericórdia de Deus possa chegar ao coração das crianças, dos pré-adolescentes, dos adolescentes, das juventudes, das famílias, a todos que são confiados a nós, através de nossas Obras Sociais.

B) Favorecendo, para que essas pessoas possam fazer a experiência do amor de Deus, da ternura de Deus, da paternidade e maternidade de Deus e de Sua misericórdia sem limites.

Alguns questionamentos à luz do texto 

1. Como Carmelitas leigos, como devotos de Nossa Senhora do Carmo, Fraternidades do Carmo, Carmelitas da Divina Providência, qual o rosto de Deus que revelamos no cotidiano da missão? 

2. Deus está realizando maravilhas em Barbacena, Teresópolis, Cataguases, Petrolina, e em  outras Obras Sociais nossas?  Conseguimos percebê-las? 

3. Cantamos e rezamos todos os dias “O SENHOR FEZ EM MIM MARAVILHAS...”

Este versículo é, de fato, uma verdade em nossa vida, é uma realidade. O Senhor fez em mim maravilhas. O Senhor está fazendo em mim maravilhas... Faço meu ato de fé nesta Palavra?

Na visita que Maria faz a Isabel, ela assume o agir de Deus. Ela vai até Isabel, sua prima, uma mulher idosa, pobre, discriminada por não ter filhos. Deus assume a causa de Isabel. As maravilhas que Deus realizou em Maria – gerar o Salvador – ela ainda jovem, também realizou    em Isabel, conceber um filho na sua velhice.

Deus quer realizar em nós, em você, em mim, muitas maravilhas! Que nossos corações, nossas mentes, nosso ser se abra à ação de Deus, assim como fez Nossa Senhora.  

“A graça de Deus não escolhe os soberbos, mas os humildes,

A graça de Deus não escolhe os poderosos, e sim os fracos,

A graça de Deus não escolhe os saciados, e sim os famintos.

“Maria Deus, Maria da gente, Maria da singeleza da flor.

Vem caminhar, vem com teu povo, de quem provaste a dor.”

Ir. Maria Edwiges Teixeira

 

6º Dia

Há vários níveis de convivência, e até de fraternidade. Temos os irmãos do parentesco do sangue, temos os irmãos de fé, temos os amigos que consideramos irmãos. Aqui, estamos entre irmãos, pois somos uma fraternidade, a Fraternidade Madre Bernadete, e, mais ainda, irmãos na Congregação das Irmãs Carmelitas da Divina Providência. E todos, irmãos em Cristo Jesus.

A Palavra que ouvimos narra o momento em que, ao redor de Jesus, estão muitas pessoas desejosas de ouvir sua palavra, quando Sua mãe e Seus irmãos chegam, e O procuram. Ao ouvir que O procuravam, Jesus pergunta: “Quem é minha mãe? Quem são meus irmãos?” E, ao olhar em volta, diz: “Eis minha mãe e meus irmãos; quem faz a vontade de Deus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe”.

Podemos observar, neste texto, que os parentes de Jesus estão temerosos quanto à Sua maneira de agir, pois Ele pode colocar em uma situação delicada a boa reputação da família. Por isso, decidem ir ao Seu encontro, e tentar controlar a situação, a fim de preservar o bom nome que têm. Levando em consideração que, na época e no contexto cultural e religioso no qual Jesus estava inserido, a família tem enorme peso e importância na sociedade, Jesus se torna motivo de escândalo, uma vez que enaltece seus seguidores, considerando-os mais que a família. Marcos faz notar o contraste entre a família que fica fora e os que estão ao redor de Jesus. Mostra, dessa maneira, a hostilidade que Jesus recebe do ambiente onde tinha vivido. Com seus gestos e palavras, Jesus esclarece que, embora a família tenha a sua importância, ela não está acima, e nem prevalece sobre aqueles que aderem à Palavra de Deus, e a coloca em prática.

Este texto nos leva a perceber que Jesus, ao colocar a pergunta sobre qual é a Sua verdadeira família, constitui uma nova comunidade, a daqueles que, compreendendo a sua mensagem, e desejando cumprir melhor a vontade de Deus, colocam-se no caminho do seguimento.

O mandamento que dá fundamento e sustentáculo a essa nova comunidade é o amor a Deus e ao próximo. É a partir da observância e vivência desse mandamento e do anúncio da boa notícia que se forma a comunidade, pois a verdadeira união com Jesus se faz pela missão comum.

Sendo assim, os laços de sangue não são decisivos. A única condição para pertencer à nova família é cumprir a vontade de Deus, pois esta é criada a partir da vivência dos valores do Reino de Deus.

Maria foi a pessoa mais unida a Jesus pelos laços do Reino, pois foi a primeira que acreditou, a que melhor cumpriu a vontade de Deus e se tornou, assim, a primeira discípula do Seu Filho

Para quem deseja ser discípulo de Jesus, fica o convite para fazer parte da Sua verdadeira família. Pois aqueles que cumprem a vontade de Deus se tornam os parentes mais próximos de Jesus.

A finalidade do relato de Marcos é definir a comunidade reunida ao redor de Jesus. Os verdadeiros parentes distinguem-se por cumprir a vontade de Deus. Jesus se sente próximo de todos aqueles que trabalham na construção do Reino, e gastam a vida amando e servindo os irmãos.

Carmelitas Leigos


Notícias do Haiti

Com o assassinato do Presidente Jovenel Moise, mais uma vez, Haiti tornou-se destaque mundial. Imagino que, também, uma grande preocupação com o futuro deste País. Porém, neste triste ocorrido, ecoa a voz de tantos inocentes pois, desde que o Presidente assumiu o poder, Haiti vem sofrendo com grandes ondas de violência, manifestações, seqüestros. Nestes últimos meses, o País está totalmente dominado por grupo de bandidos que, brigando entre si, vem aterrorizando a todos, invadindo as casas e matando tantas pessoas inocentes. A dinâmica entre as gangues é a invasão por territórios. Com isso, muitas famílias são obrigadas a deixar suas casas. As que resistem são mortas de forma desumana, e ficam no anonimato.

Partilhando um pouco da nossa vida.

Hoje, finalizaríamos o nosso retiro anual. A princípio, o tínhamos planejado com todos os missionários brasileiros. O mesmo não foi possível, pois os bandidos invadiram um trecho de Porto Príncipe, no qual ninguém entra, e ninguém sai em direção ao sul. Alguns meios de transporte que tentaram passar, os bandidos mataram, sem misericórdia, todas as pessoas, sem poupar uma vida sequer.

No entanto, nós, que moramos em Porto Príncipe, finalizaríamos o nosso retiro hoje. Quando acordamos, com a triste noticias da morte do Presidente, tivemos que mudar toda a nossa programação, finalizar sem término o nosso retiro. Algumas, que tinham possibilidade de chegar às escondidas em casa, saíram imediatamente, e as outras, que não podiam se deslocar, buscaram outros meios. Por sorte, temos uma pequena casa alugada no vilage, que reservamos para descanso e refúgio, em caso de desestabilização do País, e a mesma fica próxima à casa de retiro.

Tudo isso colocamos nas mãos de Deus, na certeza de que Ele cuida.

 

Irmã Ideneide do Rego


90 anos de Irmã Maria Auxiliadora Fernandes

A minha alegria esteja convosco

e a vossa alegria seja completa.”

Jo 15,11

 

Dia 31 de Maio de 2021, celebramos, com muita alegria, o aniversário de 90 anos da Irmã Maria Auxiliadora Fernandes. São 90 anos de muitas histórias e marcas de Deus, registradas ao longo de sua caminhada. Uma vida doada e voltada plenamente para Deus e para o próximo, pois são 68 anos de entrega ao Senhor e ao Reino.

Falar da Irmã Auxiliadora é descrever a beleza, a alegria e o entusiasmo da vida religiosa consagrada, e de fazer valer o dom da vocação à qual foi chamada por Deus no ano de 1.951. Hoje, vive o projeto de Deus em sua vida cheia de alegria, de poder estar respondendo ao chamado do Senhor.

Sua vida é uma verdadeira epifania de Deus para a Congregação, sua comunidade, seus familiares e pessoas que convivem com ela, por meio do seu testemunho de vida, revelado no cotidiano. É uma pessoa apaixonada pela vida religiosa consagrada, e comprometida com a causa do Reino, e também possui um grande sentido de pertença à Congregação.

Irmã Auxiliadora vive a sua vida, procurando se configurar à maneira de Jesus Cristo, na simplicidade, humildade, acolhimento, alegria de servir e de estar disponível ao que pedem dela, na misericórdia de olhar para o outro com compaixão. Sabe ser presença na vida das pessoas, e tantas outras atitudes valiosas aos olhos de Deus.

Ela tem como prioridade “o Evangelho como norma suprema de vida”. Participa, diariamente, com muito fervor e devoção, da Missa - do Mistério Pascal de Cristo. Hoje, diante da pandemia, participa em casa, pela televisão.

É de suma relevância destacar seu amor filial a Nossa Senhora, cujo nome – Maria Auxiliadora – lhe foi dado por sua mãe.

Louvamos ao Senhor pelos 90 anos de vida da Irmã Maria Auxiliadora, pelo seu testemunho de viver, com alegria, a beleza do projeto de Deus em sua vida. Que o Senhor continue derramando Suas divinas bênçãos sobre nossa Irmã, e que ela continue a ser presença da epifania de Deus ternura na vida de todas nós.

“Em tudo demos graças a Deus!”

 

Irmã Lucenir Fernandes


Encontro de Educadores Carmelitas

SANTA TERESA D’AVILA – DETERMINADA E DETERMINAÇÃO

 

Que afago em minha alma foi o encontro anual de educadores Carmelitas, ocorrido no último sábado, dia 29 de maio. Que sorte a minha ter participado deste encontro, em que tivemos a chance de conhecer um pouco mais das vidas de Santa Teresa D’Ávila e de São João da Cruz, através das palavras sábias e profundas de Ana Maria Scarabelli que, com seu doce sotaque mineiro, transformou nosso dia.

Em um momento tão doloroso como os dias de hoje, quando incertezas e medos nos afligem enormemente, conhecer um pouco da história e dos ensinamentos de Santa Teresa e São João da Cruz nos faz mais acalentados, serenos, mas fortes e determinados a prosseguirmos, assim como eles mesmos o fizeram.

Santa Teresa, com sua fé e determinação, nos ensina a conhecermo-nos, aprofundarmo-nos em nós mesmos. Pois esse encontro consigo é fundamental para chegarmos a Deus. Nem sempre é uma tarefa fácil, pois esse aprofundamento, essa busca, requer de nós um exercício diário, uma entrega constante, cada vez mais profunda. O silêncio e a oração são os caminhos para esse encontro consigo, e, assim, com Deus.

Santa Teresa e São João da Cruz nos fazem um convite para entrarmos nesse castelo interior que é a alma, cuja porta de entrada é a oração, o silêncio. Nesse castelo chamado alma, há muitos aposentos, assim como no firmamento, há muitas moradas. Façamos da oração um caminho até o Pai, assim como Santa Teresa o fez.

Para a Doutora da Igreja, a oração é o caminho mais rápido e seguro para se alcançar a união com Deus.

Que almas corajosas e humildes foram esses dois! Que possamos seguir os exemplos de Santa Teresa e São João da Cruz, em seu convite à uma vida mais interiorizada, e em comunhão com Deus.

Ana Maria fala que, às vezes não queremos crescer, para sermos carregados pelo Pai. Queremos o Seu colo, pois esse é o único que nos acolhe e conforta profundamente. Espero que possamos ter este encontro conosco e com Deus, sermos colo também, para nós mesmos e para o próximo, criarmos essa intimidade com Deus, através do autoconhecimento e espiritualidade, como Santa Teresa nos ensinou. Que nossas noites escuras nos sirvam para o amadurecimento espiritual, como pregava São João da Cruz.

Sejamos ainda humildes, através da caridade e do autoconhecimento, para comungarmos, ainda mais profundamente, com Deus Pai, nosso Criador.

Com gratidão,

 Fabiana Kimus - Professora de Língua Inglesa.

Colégio Nossa Senhora do Carmo/ Teresópolis


Seminário para a Vida Religiosa Consagrada

“Por isso, vem, entra na roda com a gente, também, você é muito importante, vem!”

 

Neste espírito de comunhão e reflexão, a Vida Religiosa Consagrada da Região Sudeste se reuniu no dia 15 de maio, de modo online, para refletirmos o tema – “Da Querida Amazônia à Fratelli Tutti – Provocações à VRC.” Com o lema: “Fazei tudo o que Ele vos disser!” (Jo 2,5). Participaram do Seminário as Irmãs do Governo Geral, da Comunidade Casa Central, e Ir. Lúcia Helena Torres, representando a Regional CRB Rio de Janeiro.

Iniciamos as reflexões com um momento orante, preparado, em vídeo, pelas regionais sudeste – Belo Horizonte, Vitória, São Paulo e Rio de Janeiro.

 

Os trabalhos foram divididos pela manhã e à tarde. Durante a manhã, os conteúdos foram aprofundados por Maria Helena Morra, scm, e Ir. Joílson Souza Toledo, fms à luz da Encíclica do Papa Francisco “Fratelli Tutti”. Em suas colocações, trouxeram a novidade deste Documento Pontifício: o próprio Papa Francisco nos convidando a assumir a fraternidade entre nós e a Casa Comum. Foi bastante destacada a figura do Bom Samaritano, que dedica tudo o que tem para resgatar seu irmão caído no caminho. Com a atitude do sacerdote e o levita, vimos que, muitas vezes, nossas estruturas religiosas se tornam “desculpas” para não acolhermos os sofredores.

 

No período da tarde, fomos conduzidos pela Sra. Moema Miranda – leiga franciscana –  que nos levou pelos caminhos amazônicos, conduzindo-nos a penetrar na realidade tocada pelo documento – “Querida Amazônia”.

Somos Amazônia! Apesar das regionais estarem inseridas na Região Sudeste, nossa maneira de viver interfere no meio ambiente. Como VRC precisamos tomar consciência desta realidade de exploração da Mãe Terra, e do desequilíbrio que tais ações causam em todo o mundo. Precisamos unir forças, dar as mãos, o desafio pertence a todos. Assumamos a mística do cuidado com a vida.

 

Nas partilhas dos grupos, percebemos a importância da intercongregacionalidade, integrando os carismas na construção do Reino de Deus, ouvindo o clamor do povo e da natureza. Este Seminário nos trouxe um despertar para uma ecologia integral, na busca de sermos uma Vida Religiosa Consagrada profética e itinerante na Amazônia, denunciando as desigualdades sociais e o descaso governamental.

 

Encerramos o encontro interpelados (as) a assumir a “coragem de Madalena”, acorrendo ao encontro do Senhor, mesmo na madrugada. Que nossa convicção da Ressurreição de Jesus faça vibrar o nosso coração e brilhar os nossos olhos no anúncio da Boa Nova.

“Tudo está interligado nesta casa comum.”

 

Ir. Graça Fernandes e Ir. Beatriz Marques


Novas estratégias de aprendizagem!

Os professores do Ensino Fundamental II e Ensino Médio participaram, ontem, à tarde, de um encontro, por videoconferência, com o assessor pedagógico do Grupo Bernoulli, Márden de Pádua. As novas estratégias de aprendizagem na educação híbrida foram o tema da conversa, que contou também com a presença virtual do assessor pedagógico do Bernoulli, Joani Genelhu.

Márden de Pádua, que é também professor de História, compartilhou com a equipe do Carmo uma série de metodologias ativas, amplamente recomendadas, mesmo antes do ensino remoto, abrindo novos caminhos para a educação híbrida. Destacou duas delas: a "sala de aula invertida" e a "rotação por estações". O palestrante identificou mudanças significativas que acontecem, desde que as escolas precisaram migrar para o meio digital, durante a pandemia do Covid-19. Essas novas estratégias pedagógicas, na sua avaliação, vão permanecer em uso, mesmo depois que for possível o retorno de todos para o modo presencial de ensino.

"A educação híbrida mescla espaços e tempos, aliando as melhores características do presencial e do online. Implica em repensar o currículo e a avaliação, integrando as metodologias ativas e a utilização intencional das tecnologias digitais", descreveu Márden, citando uma definição adotada pela rede Bernoulli.

De acordo com os conteúdos e particularidades das disciplinas, cada professor tem experimentado, com seus alunos, esses métodos, que tornam as aulas mais interessantes e incentivam os estudantes a aprenderem de forma mais autônoma e participativa. As estratégias contam, como enumerou Márden, com uma série de recursos digitais que potencializam habilidades. Dividiu-os em três grandes grupos, citando exemplos de aplicativos que facilitam a compreensão, análise e síntese dos domínios cognitivos do conhecimento.

Os professores do Ensino Fundamental I e da Educação Infantil também têm uma agenda, direcionada para as estratégias de aprendizagem que melhor se aplicam às crianças, tanto no ensino remoto quanto no ensino misto e presencial. Com a equipe do turno da tarde, a palestrante será a consultora do Bernoulli Alanna Landim.

 

Luciana Mendonça de Melo

Colégio Carmo de Cataguases


Encontro Nacional das Novas Gerações

De mãos dadas e com coração transbordante de esperança, a juventude da Vida Religiosa Consagrada se reuniu na manhã do dia 10 de abril, para aprofundarmos o tema – Diversidade, em busca da fraternidade. O encontro foi assessorado pelo Pe. Luiz Côrrea Lima SJ que, atualmente,desenvolve pesquisa sobre história da Igreja, modernidade, gênero e diversidade sexual.

Éramos em torno de 120 jovens religiosos consagrados. Tínhamos no grupo junioristas e recém professos perpétuos, residentes em todas as regiões brasileiras. Quanta animação e vibração! Fomos acolhidos com muito carinho, pelas coordenadoras gerais da Comissão Nacional das Novas Gerações, Ir. Maria José Xaviermjc e Ir. Maristela Ganassini fscj, juntamente com os demais da equipe nacional. Recebemos palavras de ânimo da Presidente da CRB – Nacional, Ir. Maria Inês Vieira Ribeiromad, entusiasmando-nos a ser este sangue novo na VRC, aprendendo a acolher o diferente do próximo e a não nos esquecer de encher nossas talhas de bondade e ternura.

Após a oração inicial, foi-nos apresentada a logomarca das Novas Gerações. Na imagem podemos perceber a “CRUZ: é o sinal do cristão. Recorda-nos os Mistérios da Paixão, Morte e Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo, o principal modelo da Vida Religiosa Consagrada. É também a personificação da construção do Reino de Deus a ser continuado pelas Novas Gerações. Por este motivo, as letras N e G completam a figura da Cruz. A cor predominante é o verde, cor da esperança, a esperança em Cristo Jesus.
OS TRÊS CÍRCULOS ABERTOS: a simbologia dos três (03) círculos abertos faz alusão à Santíssima Trindade, dando continuidade à missão da Vida Religiosa Consagrada de anunciar a Revelação do Deus Trino na história da humanidade. São elementos de unidade. Não estão fechados, pois enfatizam a abertura e o diálogo com as realidades emergentes. Proporcionam a participação e a contribuição igualitária, inclusiva e corresponsável dos membros, na construção da identidade das NG, neste mundo em constante mudança.
AS LISTRAS VAZADAS: remetem à identidade visual da CRB Nacional, da qual o projeto Novas Gerações faz parte. Procuramos trazer um fragmento da identidade da CRB, evidenciando
como um movimento dinâmico direcionado para as NG, demonstrando a comunhão plena entre ambas.”

Na abordagem do Tema – Diversidade, Pe. Luiz nos trouxe a mensagem da Campanha da Fraternidade Ecumênica 2021, enfatizando a Paz. Jesus Cristo, razão suprema da nossa fé, nos ensinou, com gestos e palavras, que o Reino de Deus é para todos. Tomemos como exemplo a escolha dos discípulos de Jesus, todos com sua singularidade. Aos olhos dos doutores da lei, eram todos pecadores e impuros, e isso se repete nos nossos tempos. Sim, apesar do conhecimento adquirido e dos inúmeros exemplos históricos, como a escravidão e as guerras, ainda precisamos concretizar nossos discursos de Paz e Misericórdia.

Refletimos bastante sobre a Comunidade LGBTQI+, que vem sofrendo muito com os discursos de ódio e preconceito. São privados de estar na comunidade eclesial, devido sua condição sexual, excluídos e condenados por discursos fundamentalistas religiosos. A eles Deus também convida para a Missão! Se nós somos convidadas (os) a integrar nossa sexualidade, por que eles também não podem amadurecer sua sexualidade, e assumir o seguimento a Jesus Cristo na Vida Religiosa Consagrada e nos diversos ministérios da Igreja?

Papa Francisco tem buscado, em suas atitudes como líder da Igreja, congregar de maneira saudável esses Irmãos (ãs) que são excluídos do convívio fraterno. Aprendamos a dar as mãos, e a somar nossas riquezas para a construção de um mundo, onde possamos olhar nos olhos uns dos outros, e dizer: - “A paz esteja convosco!”

Esse encontro despertou em mim um olhar mais misericordioso sobre aqueles que sofrem, por serem privados, em razão do preconceito de serem comunidade eclesial. Ajudou-me, também, a valorizar a diversidade cultural que há em nossas comunidades religiosas, fazendo da convivência um eterno louvor ao Senhor.

Ir. Beatriz Marques Dias.


Encontro Virtual - Gestores dos Colégios do Carmo de Cataguases, Viçosa e Juiz de Fora

Diretoras, coordenadoras e professores de Ensino Religioso dos colégios Carmo, de Viçosa/MG, Juiz de Fora/MG e Cataguases/MG, participaram, neste sábado, 13 de março, por videoconferência, do Encontro de Gestores Carmelitas. Esteve presente, também, a Superiora Geral da Congregação das Irmãs Carmelitas da Divina Providência, Irmã Maria Imaculada Resende Pereira. 

É um evento anual dos colégios Carmo, voltado para a reflexão sobre a missão dos educadores nas escolas carmelitas. Nesta edição de 2021, o grupo recebeu, como palestrante, Frei Jorge Jacinto Corrêa, OCD, que, há 21 anos, trabalha como Mestre de Formação Carmelita, residindo, atualmente em Piedade de Caratinga/MG. Ele esteve acompanhado da carmelita secular Ana Maria Scarabelli, responsável pela formação do Carmelo Secular de Caratinga.

Pela manhã, Frei Jorge, juntamente com Ana Maria, destacaram o exemplo missionário de Santa Teresa D’Ávila, que viveu na Espanha, no século XVI e, hoje, é reconhecida como pioneira reformadora da Ordem Carmelita. Sua história e seus diversos livros publicados contribuíram para o fortalecimento da espiritualidade católica.

À tarde, a história de vida de São João da Cruz foi o tema da apresentação de Frei Jorge e Ana Maria. São João da Cruz é outra importante figura reformadora da Ordem Carmelita, que, com Santa Teresa D’Ávila, fundou a Ordem dos Carmelitas Descalços, na Espanha, tendo publicado, também, grandes obras de literatura mística. Os dois Santos são considerados Doutores da Igreja Católica Apostólica Romana.

Ao final do encontro, o grupo, que reuniu 29 educadores, com a condução da Irmã Sônia Maria Estevam, agradeceu aos palestrantes pelas partilhas de hoje. 

 

Luciana Mendonça

Jornalista do Carmo de Cataguases


TEUS LÍRIOS VÊ! O JARDIM FLORESCEU! ...

De 02 a 08 de março, nossa Comunidade de Olinda/PE vivenciou solenemente, se assim posso dizer, a nossa caminhada vocacional de Carmelitas da Divina Providência, nos nossos 121 anos de Fundação. A Semana de Madre Maria das Neves passou a ser um tempo privilegiado da "memória viva" em nossa jornada fundacional-vocacional. O texto que o Governo Geral nos ofereceu nos foi possibilitado adentrar, a cada dia, na dinâmica da nossa "Vida e Missão", buscando trazer presente a vida de nossas primeiras Irmãs e de todas nós, suas seguidoras que, queremos ser fiéis às pegadas de Jesus Cristo e na veneração e culto a Maria de Nazaré, a Virgem do Carmo, a Senhora do Lugar: "Fazei tudo o que Ele vos disser"... Nos passos de Jesus os nossos passos! Desde o inicio, até os tempos atuais, nossa Família Religiosa de Madre Maria das Neves traz características marcantes de comunhão e unidade ao Magistério da Igreja, num esforço de fidelidade e abertura à Renovação da Vida Religiosa pós-conciliar, atentas ao nosso Carisma, vislumbrando-o no rosto dos pobres, enfermos, idosos, crianças e jovens, através de nossas Obras e de nossa inserção  nos meios populares e na  missão fronteira e além-fron-

teira.  "Se o grão de trigo não morrer não dará frutos", e a experiência pascal não acontecerá no quotidiano de nossas Comunidades de "Vida-Missão". O Papa Francisco, através de seu documento “FRATELLI TUTTI”, ajudou-nos a aprofundar cada dia de nossa oração.  O exercício da fraternidade e do perdão é o fio condutor da Vida Religiosa Comunitária, "lugar do perdão e da festa"! Penso que uma das molas-mestras de uma Pastoral Vocacional é esta: "Vede como se amam"!... Por tudo, Deus seja louvado, em qualquer tempo e lugar por onde passar uma Carmelita da Divina Providência. Amém!

 

                                 Ir. Maria Auxiliadora Marchezi


Ação de Graças da Vida Religiosa das Irmãs Carmelitas da Frat. “Divina Providência” – BH

No dia 19 de fevereiro de 2021, nossa Comunidade celebrou, com muita alegria e fervor, o Jubileu de Vida Religiosa das nossas Irmãs:

- Maria de Santa Elisa – 80 anos

- Maria Mazarelo e Maria de Santa Justina – 70 anos

- Neuza de Souza Werneck e Teresa Lords Venturoti – 60 anos

A Celebração Eucarística, presidida pelo Pe. Nédio dos Santos Lacerda, contou também com a presença da Ir. Maria Imaculada Resende Pereira, nossa Superiora Geral, e Irmãs da Casa Central.

A simplicidade própria deste tempo quaresmal não impediu a beleza da celebração com cantos de festa, um momento forte e marcante da gratidão a Deus, de corações reconhecidos pela graça do chamado à Vida Consagrada ao Senhor, na vida carmelitana, na Família de Madre Maria das Neves.

“O Senhor fez em mim maravilhas, por isso meu coração está cheio de alegria!”

O Padre Nédio, em sua homilia, ressaltou a importância e o significado deste momento, confirmando o valor do testemunho de vida, da entrega das Irmãs, sua perseverança, há tantos anos, a serviço da Igreja e do mundo.

Com a habilidade que lhe é própria, como bom pregador da Palavra, conciliou a mensagem das leituras da liturgia do dia com a motivação e sentido da celebração festiva. E manifestou sua alegria pela oportunidade de celebrar a Eucaristia em nossa Comunidade, nesta ocasião.

Desejou a todas tantos anos de vida a mais, quanto a Divina Providência o permitir.

Como é de costume, houve a renovação dos votos das Irmãs Jubiladas e benção das alianças.

O canto “Eu prometi ser de Jesus esposa” ecoou forte na pequena Capela, entoado por todas as Irmãs, com entusiasmo, e renovada entrega de vida em missão.

O canto do mantra “Por tudo, dai graças” e o Hino a Nossa Senhora do Carmo – “Ó Maria, Mãe nossa querida” – encerraram o momento celebrativo.

Após a Santa Missa, o almoço saboroso e festivo, momento de alegre confraternização.

Por tudo demos graças ao Senhor, nosso Deus

Porque eterno é o seu AMOR!

Irmãs da Fraternidade “Divina Providência”


Celebrando 25 anos de presença missionária em Puyo Equador

No dia 21 de janeiro, iniciamos a preparação para celebrar os 25 anos de nossa presença missionária em Puyo, Equador. Fizemos a experiência de percorrer o caminho que as Irmãs fizeram para chegar aqui, através da leitura das crônicas muito bem escritas, que nos contam os fatos e sentimentos, deixando transparecer encanto, beleza e as surpresas próprias de estar, por primeira vez, em missão ad gentes. À noite, na Igreja de Santo Domingo, rezamos com o povo, agradecendo a caminhada percorrida nestes 25 anos.

 

No dia 22, na oração da manhã e da noite, seguimos com a leitura, nos emocionando com os relatos, refazendo o caminho, e agradecendo a Deus a coragem e valentia daquelas Irmãs, que vieram destemidas, sem saber bem o que as esperava. À noite, celebramos com o grupo de leigos, momento em que os mesmos expressaram, com emoção, como nossa presença aqui tem influenciado na vida de suas famílias, com acompanhamento, escuta e a ajuda aos mais necessitados da comunidade.

 

No dia 23, sábado, dedicado a nossa Mãe querida, iniciamos nossa oração comunitária junto à imagem de nossa Senhora do Carmo, que foi doada por Monsenhor Flumencio Escudero, para a inauguração da primeira Comunidade. Cantamos “minha luz é Jesus...”, e Irmã Viviana Beatriz Porra, a última que chegou a esta missão, acendeu uma vela e a conduziu até a capela, levando acesa a chama do Carmelo de Madre Maria das Neves, enquanto cantávamos: “me chamaste para caminhar na vida contigo”. Em seguida, cada uma de nós acendeu uma vela cantando: “somos velas acesas por ti, cabe a nós acender outras luzes...” Neste dia, lemos sobre a primeira reunião com Monsenhor Flumencio, pela manhã, com a apresentação dos horários da casa e as atividades de que deveriam encarregar-se as Irmãs e, às 3 horas da tarde, a celebração de inauguração da Comunidade, introduzindo na residência a imagem de nossa Senhora do Carmo, que tem desenhado o nosso escudo no coração. Contemplamos o mural preparado com fotos, símbolos, e lembramos citações bíblicas que nos animam na vida missionária. Irmã Marieta Santos nos contou que, em 1996, estava no noviciado, e foi participar, em Belo Horizonte, da Missa de Envio das Irmãs para Puyo. Entrou, levando a cruz. Hoje, está aqui integrando a Comunidade, mas, naquele tempo, nem sonhava com isto. A Providência Divina a foi preparando.

 

Na Igreja de Santo, no dia 24, às 8 h da manhã, na Eucaristia dominical da Comunidade, fizemos a ação de graças a Deus, pelos 25 anos de missão nestas terras equatorianas, presidida por Monsenhor Rafael Cob, concelebrada por Padre Vinício Molina, nosso administrador paroquial.

Celebramos com entusiasmo e alegria, com a presença de paroquianos e amigos. Por motivo da pandemia, não pudemos celebrar como a data merecia mas, com simplicidade e com número reduzido de pessoas, fizemos a festa da vida, agradecendo a Deus pela caminhada. Ao final da Missa apresentamos um vídeo com testemunhos de Irmãs que viveram aqui e de leigos, além de Alexandra Narciza, nossa ex Irmã que está no grupo de Carmelitas Leigos. Às 10h da manhã, na capela São Joao XXIII de nossa Paróquia, rezaram, agradecendo a Deus nossa presença, e demonstrando carinho e agradecimento à Congregação, pela presença e o acompanhamento à Paróquia nestes 7 anos. Entregaram à Irmã Gorete, em nome da Congregação, uma placa de honor, com o seguinte escrito: “Camina no dejes de caminhar, manãna en tus huellas alguien se puede fijar.”

Com o coração agradecido, seguimos cantando: “confiamos nossa vida a Divina Providencia”.

 

Irmã Maria Alves de Farias (Gorete)


La Presencia de Las Hermanas Carmelitas de La Divina Providencia en Puyo

Han pasado 25 años desde que llegaron al Vicariato de Puyo, la Congregación misionera brasilera de las Hermanas Carmelitas de la Divina Providencia.

 

Fue el Obispo de Puyo Mons Frumencio Escudero quien con su participación en el CAM (congreso Americano Misionero) celebrado en la ciudad de Bello-Horizonte en Brasil como surgió esta decisión del envío de las primeras hermanas misioneras ad-gentes por su congregación a la Amazonia Ecuatoriana en el Vicariato de Puyo. Llegando a Ecuador el 21 de enero de 1996 y el 24 a Puyo.El equipo le conformaban 5 hermanas: María José, Vera, Cristina, María Luisa y María Auxiliadora, se harían cargo del cuidado de la casa central de la Misión y pastoral de la catedral, también de la zona pastoral de 10 de agosto y el Triunfo con un total de 18 comunidades.

 

Una experiencia nueva para ellas en este territorio amazónico de la  Misión de Puyo. Pronto se enseñaron en esta Iglesia y en este territorio, entrando fuerte al trabajo misionero, muy queridas por el pueblo, muy creativas, metódicas y responsables, fueron pasando los años y en los diferentes trabajos que se les encomendaron, pastoral social, pastoral indígena, comunidades eclesiales. Hoy desde hace 7 años atienden en la periferia de la ciudad de Puyo, el barrio y parroquia de Sto. Domingo.

 

Queremos agradecer a Dios por su perseverancia y entrega misionera, han pasado mas de 20 hermanas de su congregación, lo cual dio gran fuerza misionera a la congregación, con su mística espiritual carmelitana. Pedimos al Señor les siga dando su bendición con nuevas vocaciones en su congregación para continuar la Misión de una Iglesia misionera, fraterna y sinodal. Que la Virgen del Carmen su patrona les cuide y acompañe.

 

Monseñor Rafael Cob Garcia


MISSÃO NA REGIÃO DE MONTALVO E SUAS COMUNIDADES - MÊS DE DEZEMBRO 2020

Na quinta-feira, 3 de dezembro, partiu do Puyo a equipe formada por Vicki (Ana Victoria Muñoz) coordenadora da zona 6, padre Mauricio Espinosa e hna. Gorete Alves. Voamos com os militares, esperando desde as 7h, mas só às 14h30min viajamos. No porto (Batalhão), nos aguardava Aurea Santi, catequista e coordenadora da catequese, e a Prof. Juana, catequista de Montalvo Centro. Começamos a aventura no rio Bobonaza, em direção à casa de missão, em Boveras. O rio estava crescido e bom para navegar. Ao chegar, organizamos a casa, preparamos as músicas e alguns detalhes das diferentes celebrações e sacramentos: Batizados, Confissões, Eucaristia, Crisma e Casamentos. A Comunidade de Pukayaco celebrou a Festa Cultural de sua comunidade e a mudança de lideranças e autoridades. Foram dias intensos, de muitas atividades, alegria e prazer, de ver as pessoas felizes com a presença dos missionários, e com a possibilidade de realizar os sacramentos, após esse momento difícil de pandemia. Todos os dias, éramos acompanhados por missionários-catequistas dali mesmo: adultos, jovens e crianças que, com disposição e alegria, subiam à canoa conosco, enfrentando a chuva, a lama, o frio. Eu, pela primeira vez, vivendo essa experiência, encantada com a exuberância da vida, a selva, o rio, o céu estrelado, sentindo o vento, a chuva a nos molhar, o silêncio. Viajamos para a comunidade mais distante, Teresa Mama, 6 horas em canoa, entre chuva, canto e sorrisos. Esperavam-nos dois casais, 14 batizados e uma crisma. Eles dançavam e tocavam seus tambores, indicando que havia festa. Depois de comer na casa dos dois casais, voltamos para Boveras, com direito a desfrutar de uma chuva forte, seguida de um belo pôr do sol. Eles nos ofereceram o melhor que tinham para comer e beber, a carne da selva e a chicha. A todos falamos e cantamos o amor de Deus. 

 

A missão foi realizada em 8 comunidades e no batalhão.

 

Foi muito emocionante abençoar um novo cemitério na Comunidade de Playas Moretal, com todos os traços e costumes típicos de sua cultura. Colocado no topo da montanha, leva-se horas para chegar lá, deslizando por uma caminho de difícil acesso e pura selva.

Vale ressaltar que os jovens caminham 2 horas, para chegar à escola, às 7h, em Montalvo. 

As crianças chegam em canoas, para estudar em Boveras, trazendo seus livros sem qualquer proteção; não têm mochilas ou bolsas.

 

As pessoas vivem com muita simplicidade, andam por aí de botas, ou descalças (mulheres). Eles cultivam mandioca, banana, papa china mamão, criam galinhas e patos. Levei algumas sementes de feijão guandu, e doamos para eles semearem. Houve muito interesse, várias pessoas quiseram a semente. Também trouxemos sementes de flores, mandioca, banana, limões, e alegria em nossos corações, por ter compartilhado a fé e a vida. A casa de missão está preparada, com uma linda imagem de Nossa Sra do Carmo, água encanada, energia solar, etc, esperando alguma Congregação, com gente valente, que se anime a servir aí. Obrigada, Senhor, por Sua presença viva nesta selva viva!

 

  Ir. Gorete Alves, Comunidade de Puyo


ESCALADA EM PREPARAÇÃO PARA A CELEBRAÇÃO DOS SANTOS E SANTAS CARMELITAS

A Escalada dos Santos e das Santas Carmelitas, no ano 2020, foi uma aventura maravilhosa! Esse evento foi uma iniciativa das Irmãs Carmelitas de Madre Candelária, de origem venezuelana, intermediada por Irmã Isimar Linhares. Irmã Isimar é uma jovem Carmelita que reside em Mariana/MG, e atua no Lar Santa Maria. Seu entusiasmo contagiou a todos que participaram, toda noite, às vinte horas.

O primeiro degrau abriu a reflexão, lembrando o inspirador do Carmelo, Profeta Elias e a presença terna de Nossa Senhora do Carmo. Concluímos a escada virtual com Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein). O palestrante do dia quatorze de novembro, refletiu sobre a vocação para o Carmelo, e nossa Missão.

Os Santos e as Santas carmelitas foram contemplados, cada um na sua história, sua originalidade, sua contribuição no Carmelo, seus aspectos relevantes no caminho da santidade. Devo destacar que quase todos os palestrantes eram jovens, o que faz consolar o coração dos mais experientes em idade. Parabéns para a juventude carmelitana, atuando com empenho e alegria.

As partilhas foram ricas de conteúdo, e mostraram o gosto pela pesquisa e pelas narrativas na linha da espiritualidade. Provavelmente, cada participante tenha se identificado com a vida de cada Santo ou Santa apresentada(o).  Os Santos contemplados foram: Elias, São Simão Stock, Beato Tito Brandsma, São João da Cruz e Beato João Soret. As Santas foram: Santa Teresa do Menino Jesus e da Sagrada Face, Santa Teresa de Los Andes, Santa Teresa de Jesus de Ávila, Santa Elizabeth da Trindade, Beata Candelária de São José, Madre Maria das Neves, Santa Maria Magdalena de Pazzi e Santa Teresa Benedita da Cruz.

Alguns desses santos e santas são mais conhecidos e outros não. Sendo assim, essa iniciativa proporcionou uma oportunidade para que eles fossem apresentados no conjunto da Família Carmelitana. Cada exponente escolheu sua forma de apresentar, com criatividade e recursos visuais. Aqueles que participaram, certamente, foram provocados a continuar fazendo suas pesquisas, para aprofundar e aprender mais os valores do Carmelo.

 Percebemos a leitura feminina do Carmelo, e nos perguntamos o que nos atrai na busca desse caminho de santidade. A sensibilidade, a ternura, a presença de Maria, talvez, sejam a nossa atração, assim como a identificação com Jesus humano e sofredor, e a capacidade de amar o Amado. O Mistério da Dor e do Amor nos envolve, e nos convida à conversão permanente. O processo transformador da conversão nos atrai para o seio da Trindade Santa, e nos mantém olhando para o horizonte aberto, onde se encontram o Divino-Humano.

Sem dúvida o Carmelo é, na Igreja, a expressão do Amor encarnado na vida do seu povo. A ajuda mútua entre a espiritualidade vivida na ótica feminina e na ótica masculina é um sinal a nos mostrar a importância da caminhada espiritual. Insistimos na importância da oração, do silêncio e da solidão, meios essenciais na jornada espiritual.

A Escalada foi empolgante. Eu me sinto como uma avó, ouvindo os seus netos, seus filhos, seus sobrinhos contando histórias épicas, entusiasmados com as façanhas dos caminhantes.  Curioso foi uma menina de 11 anos, acompanhando essas histórias. Ela provocou em nós a necessidade de uma literatura infanto-juvenil, que contemple a realidade dos Santos e Santas do Carmelo. Na inocência da criança, vimos o olhar de Nossa Senhora do Carmo, nos assistindo todos os dias.

A presença mediadora da Irmã Isimar, com sua simpatia e capacidade de comunicação, ajudou muito na escalada. Sua Congregação, dando a ela o suporte necessário foi admirável. Ela soube acolher, coordenar e estimular a participação dos ouvintes, pelo que damos graças da Deus!

A novidade virtual, provocada pela Pandemia, logo vai deixando de ser difícil de acompanhar.  A aproximação fraterna da Família Carmelitana na América Latina está acontecendo. Temos saudades dos encontros presenciais, mas acolhemos a facilidade da juventude, tornando esses eventos possíveis para nós do século passado. Queridos e queridas jovens do Carmelo, a chama do Carmelo não pode apagar. Continuem passando o Manto de Elias e a Ternura de Maria, todos os dias. Avante!

Irmã Marlene Frinhani, CDP.


Encontro das Animadoras Vocacionais – CDP

"Semeadoras da esperança!"

Foram estas as palavras com as quais nos motivou e encorajou a nossa Superiora Geral, Irmã Imaculada, na reunião da Equipe de Pastoral Vocacional da nossa Congregação e Animadoras Vocacionais, acontecida no último sábado, 19 de setembro, quando tivemos oportunidade de partilhar estudos e vivências.

Foi a nossa primeira reunião virtual. A Irmã Rita nos acolheu com uma calorosa palavra de Boas Vindas, e Irmã Graça Fernandes dinamizou a oração inicial e final.

A Irmã Alenir foi a facilitadora do encontro, colocando para o grupo a análise dos estudos feitos pelas comunidades, dando espaço para partilhar experiências. Destaca-se a importância da postagem no site, na página do Facebook e, especialmente, no Instagram, por ser este o meio mais utilizado pelas adolescentes e jovens. Tem sido de grande importância essas reuniões online neste tempo de Pandemia. Irmã Rita deu testemunho de que por este meio digital, está sendo possível alcançar mais jovens, e de diferentes lugares, através das lives vocacionais.

Também destacou-se a necessidade de conhecer a realidade juvenil, e respeitar o processo das jovens que fazem discernimento, sem interferir, acolhendo-as de coração sem preconceitos, lembrando que Deus é o eternamente chamante, É Ele que chama, e chama a quem quer. Cabe a nós o testemunho, no dia a dia, de sermos apaixonadas por Deus e pelo Seu Reino. Também ressaltou-se a necessidade de a animadora Vocacional ser apaixonada pela Congregação e por esta missão, para que, assim, possamos contagiar as jovens e sermos verdadeiras semeadoras da esperança.

Foi uma pena que muitas Irmãs não puderam participar dessa reunião.

A equipe está de parabéns, pela organização e incentivo. Rezemos para que elas continuem nos motivando, e possamos ser mais encantadas e empolgadas com esta missão, que não é só da Animadora Vocacional, mas de todas nós, Irmãs Carmelitas da Divina Providência.  

Deus seja louvado pela caminhada, e nos ajude a sermos verdadeiras semeadoras de esperança.

Irmã Viviana Beatriz Porra


1ª Profissão Religiosa

No dia 8 de Setembro de 2020 – Festa da Natividade de Nossa Senhora – fiz minha profissão religiosa na Congregação das Irmãs Carmelitas da Divina Providência. A Celebração Eucarística aconteceu na Igreja da Comunidade Nossa Senhora de Lourdes – Viçosa/MG, e foi presidida pelo querido Pe. Paulo Dionê Quintão, pároco do Santuário Santa Rita de Cássia, e concelebrada pelos padres José Evangelista Gomes, vigário na Paróquia Santa Rita de Cássia, e Cônego Lauro Sérgio Versiani Barbosa, pároco da Paróquia Nossa Senhora de Fátima.

Devido à pandemia do novo Corona Vírus, houve poucas Irmãs presentes na Celebração, e também sem a presença dos meus familiares e amigos. Assim, a Missa foi transmitida pelo Youtube da Congregação das Irmãs Carmelitas da Divina Providência e da Paróquia Santa Rita de Cássia, possibilitando a participação de todos que gostariam de se fazer presentes. Esse momento foi celebrado com unção e amor.

Com palavras entusiásticas, Pe. Paulo Dionê me encorajou a carregar sempre, em minha “mochila”, a Fé e a Humildade, a exemplo de Nossa Senhora, que acolheu sua Missão, e se abandonou confiante nos braços ternos do Pai. Ainda trouxe, em sua reflexão, a imagem de Maria ao pé da cruz, que soube perseverar na fé, abraçando o Projeto do Pai. “...cultive essa humildade e fé nas promessas de Deus, para que o Senhor concretize na sua vida o propósito que Ele tem...” Pe. Paulo me lembrou que não estou sozinha nesta jornada, e que sempre devo me recordar daqueles que caminharam e que caminharão comigo.

A seguir, Ir. Maria Imaculada Resende Pereira – Superiora Geral, acolheu minha Profissão Religiosa. Enquanto assinávamos a fórmula, cantamos: “Virgem Mãe dos Carmelitas, vossa bênção derramai, sobre os Filhos rumo ao Pai...”.  Pelas mãos de Ir. Leonor de Jesus Garcia, recebi o Escapulário do Carmo, como sinal visível do meu compromisso de estar sempre a serviço de Deus e dos Irmãos, a exemplo de Nossa Senhora.

A minh’alma engradece o Senhor por este momento especial na minha vida. Agradeço à Congregação pela acolhida fraterna e apoio; a minha família, pelo estímulo na caminhada; às minhas formadoras – Ir. Terezinha Rodrigues de Lima (Mestra de Aspirantes), Ir. Sebastiana Pereira Pires (Mestra de Postulantes) e Ir. Rita de Cássia Silva (Mestra de Noviças), que, com ternura e firmeza, me ajudaram a crescer no Seguimento de Jesus Cristo, e a me encantar pela Missão da Família de Madre Maria das Neves. À Comunidade Nossa Senhora de Lourdes, pelos trabalhos pastorais que experienciei neste tempo de formação e por nos ter cedido o espaço para a Celebração e confraternização. O( Bom Deus os recompense com infinitas graças. Gratidão aos Irmãos (ãs) de caminhada, das muitas comunidades onde passei, Deus os abençoe, por me terem ajudado a amadurecer meu chamado à Vida Religiosa Consagrada. Meu carinho e ternura à Ir. Alenir Pedrosa que, com criatividade, confeccionou o convite para minha 1ª Profissão, e, pelas Redes Sociais da Congregação promoveu toda a divulgação desse momento. Muito obrigada à Comunidade do Noviciado Nossa Senhora do Carmo, pelos dois anos de convivência fraterna, apoio e suporte na formação. Minha gratidão e ternura às Irmãs da Comunidade da Casa Central e a Ir. Júlia Antônia dos Passos, pela presença fraterna, nos ajudando na organização da casa e da liturgia.

Fui envolvida de profunda alegria, gratidão e confiança em Deus. Meu coração recordava com carinho todo processo vocacional percorrido até aquele momento. Eu me senti amada pelo Senhor e por meus Irmãos (ãs) – que, com telefonemas e mensagens, me enviaram apoio e incentivo.

Que a Festa da Natividade de Maria, nossa Mãe, em que confirmei minha pertença a Família de Maria das Neves, pela Profissão dos Votos, me ajude a caminhar com olhos fixos no Senhor, para que, pela graça de Deus, eu renove, no cotidiano da Missão, meu compromisso de “servir a Deus, aos pobres e enfermos!”. Sigo confiante e, como o salmista, exclamo: “Exulto de alegria no Senhor!”

Irmã Beatriz Marques Dias


HORTA "IRMÃ PLAUTILA" - Comunidade de Itaituba/PA

Nossa comunidade, há bastante tempo, está buscando alguém que nos ajudasse a fazer uma HORTA SUSPENSA, muito comum aqui na nossa região.

A horta suspensa é feita de forma que o canteiro, ao invés de ser feito no chão, é feito no ar, com estacas e pranchas de madeira, que formam um caixote grande. Alguns ribeirinhos fazem a horta suspensa com barcos velhos, que não tem mais uso.

Como não conseguíamos uma pessoa que pudesse fazer a nossa horta, começamos a cultivar as sementes em potes de plástico, pneus velhos e latas, mas sempre com o sonho de expandir nossa horta.

Até que conseguimos um senhor das comunidades, que nos ajudou a realizar o sonho.

Começamos a maratona: comprar madeira, pensar e ajudar na construção; buscar e tratar o esterco e a serragem; buscar terra; comprar brita; encher os canteiros com brita, areia, terra, esterco e serragem. Cultivar as sementes, e buscar mudas. Molhar, cuidar e observar o crescimento, colocar suplementos e vitaminas naturais, matar as pragas.

É um processo que nos ajuda a exercitar a paciência, a meditação, a estar na presença de Deus, e a gratidão a Deus por nos ajudar na criação, que, a cada dia, nos emociona e nos transforma.

A alegria de ver as sementes germinando, os frutos que nascem, limpar as pragas... Tudo nos ensina muito no nosso caminho espiritual.

Alegria de ver as primeiras berinjelas, os quiabos, as flores do pé de maracujá e seu primeiro fruto...

Agora, com nossa horta suspensa, serão mais hortaliças, verduras e legumes que poderemos cultivar.

Nos dias da criação da horta suspensa, soubemos do falecimento de nossa querida Irmã Plautila.  Logo pensamos: nossa horta terá o seu nome, pois Irmã Plautila era alguém que viveu pela missão nos meios populares, na pastoral da criança, e amava a natureza.

Com muita alegria, nasceu nossa HORTA IRMÃ PLAUTILA, que, em breve, estará cheia dos dons de Deus.

 

Irmã Liene Gomes


NOVENA DE NOSSSA SENHORA DO CARMO - ITAITUBA/PA

Nós, aqui da Comunidade Nossa Senhora de Nazaré, tivemos uma novena bem tranquila e vivida intensamente, diferente dos outros anos. Nossa Prelazia e Paróquia são dedicadas a Sant’Ana, que se comemora no dia 26 de julho, porém, no mês de Julho inteiro são realizadas atividades, que exigem de nós muita dedicação, trabalhos e reuniões pastorais. Por isso, sempre nossa novena do Carmo é feita só internamente e de forma simples, devido ao pouco tempo que temos.

No entanto, com a Pandemia, a Festa de Sant’Ana ficou bem reduzida, iniciando só dia 15 de julho, de forma virtual. O que nos favoreceu saborear, com muita calma, toda a nossa preparação para a nossa Festa de Nossa Senhora do Carmo. Mesmo sendo só interna, foi riquíssima e, a cada dia, foi um crescente, rumo a nossa Festa.

Todos os dias, fizemos a novena na oração da manhã e, à noite, acompanhando a novena na página da Congregação.

Para nós, que estamos distantes da maioria das comunidades, e quase nunca recebemos visitas das Irmãs, foi momento de rever e alegrar o coração, com a visita virtual de cada dia. O que nos deu um calor especial no coração...

Gratidão ao Governo Geral e a equipe de organização, pela maravilhosa ideia e empenho; à Irmã Alenir, pelo apoio técnico, às Irmãs das Comunidades que participaram e a todos/as que, todas as noites, estavam lá rezando... Por fim, gratidão por nos escolherem para participar e assim, compartilhar, com toda a Congregação, esta missão que é de todas nós, nas Terras Amazônicas, onde aprendemos a viver o Evangelho, do jeito amazônico, como Carmelitas da Divina Providência.   

Irmã Liene Gomes


O ensino remoto no Colégio Carmo de Cataguases

Criatividade, união da equipe e múltiplas estratégias tecnológicas impulsionam o ensino remoto no Colégio Carmo de Cataguases

 

No próximo dia 18 de junho, completam-se três meses, desde que as atividades presenciais foram interrompidas nas escolas de Cataguases, MG, onde está o mais antigo estabelecimento de ensino, fundado pela Congregação das Irmãs Carmelitas da Divina Providência. Apesar da necessidade de distanciamento social, imposta pela pandemia do Covid-19, o Colégio Carmo, de Cataguases, mantém a rotina semanal de ensino remoto, para os estudantes de todos os segmentos, desde o Maternal ao 3º ano do Ensino Médio.

 

"Parabenizo todos os profissionais da escola, em especial, os professores, que, apesar de todas as adversidades do momento, vêm se dedicando com total empenho, adaptando-se às tecnologias disponíveis, e se reinventando, a cada dia. Realmente, essa equipe maravilhosa 'veste a camisa' da Escola, para manter os alunos em constante processo de aprendizagem", afirma a Diretora Pedagógica, Cecília Poyares.

 

Confira, a seguir, as estratégias que vêm sendo implementadas para cada segmento:

 

ENSINO FUNDAMENTAL II E ENSINO MÉDIO

 

Para os estudantes do Ensino Fundamental II e Ensino Médio, as aulas são ministradas, de segunda a sexta-feira, por videoconferências, permitindo maior interação com os professores. Cada turma tem uma sala de aula virtual no Google Classroom, onde está o link permanente, para todos entrarem no Meet, e assistirem às aulas.

 

As avaliações acontecem através do Google Forms, com questões dissertativas e objetivas, preenchidas através de formulários. Outro recurso utilizado são as planilhas de escrita colaborativa do Google Docs, para atividades em equipe.

 

Despertam o interesse dos alunos as atividades lúdicas, como os Quiz Games Virtuais. Os professores têm criado os "learning games", através do aplicativo Kahoot, abrindo saudáveis competições entre os alunos. Quem responde certo, e no menor tempo, chega ao podium.

 

Além desses recursos tecnológicos, todos contam também com uma plataforma virtual, em parceria com o Bernoulli Sistema de Ensino – o "Meu Bernoulli". Os livros didáticos são apresentados na forma de e-books. No ambiente virtual são publicadas também videoaulas, tarefas, indicações de vídeos, textos e outros links, para complementar a aprendizagem.

 

As turmas do Ensino Médio estão realizando, periodicamente, os Simulados ENEM, com questões inéditas. São aplicados aos sábados, para os estudantes de centenas de escolas parceiras do Grupo Bernoulli, através da plataforma virtual. As provas são corrigidas, utilizando-se os mesmos critérios do Exame Nacional do Ensino Médio, seguindo a Teoria de Resposta ao Item (TRI). Após corrigidas as avaliações, cada estudante tem acesso ao Simulador-SISU, que dá a ele uma noção de onde seria aprovado com a nota obtida, segundo os registros do último ENEM realizado pelo MEC.

 

ENSINO FUNDAMENTAL I

 

As turmas do 3º ao 5º anos do Ensino Fundamental também estão assistindo aulas através de videoconferências, com a tecnologia do Google Meet. Cada turma tem uma sala de aula virtual, através do Google Classroom. As aulas ao vivo acontecem à tarde, em dois ou três dias na semana. Nos outros dias, os estudantes assistem às videoaulas gravadas, e fazem tarefas orientadas pelas professoras.

 

As turmas de 1º e 2º anos também estão em atividades remotas, com videoaulas e tarefas orientadas. Para isso, todas as turmas, do 1º ao 5º ano, contam com uma plataforma gamificada de aprendizagem, o Bernoulli XP, parte da parceria do Colégio Carmo de Cataguases com o Sistema Bernoulli de Ensino. Neste ambiente virtual, estão os e-books, videoaulas, e diversos "quiz games", para estimular o interesse das crianças pelos conteúdos apresentados.

 

EDUCAÇÃO INFANTIL

 

As turmas de Maternal II, III, 1º e 2º períodos mantém uma rotina semanal de ensino remoto, contando com a indispensável parceria dos familiares. As professoras produzem videoaulas lúdicas e, a cada dia, descobrem um recurso tecnológico novo na edição, encantando os pequenos com sua criatividade.

 

A Educação Infantil também conta com o material didático do Sistema Bernoulli de Ensino, e as professoras utilizam os livros, intercalando com outras ações que estimulem a aprendizagem, como circuitos de coordenação motora, jogos, aproveitando materiais que todos têm em casa, brincadeiras, músicas e danças.

 

Luciana Mendonça

Assessoria de Comunicação

Colégio Carmo de Cataguases


Deus cuida

Seis anos já se passaram, desde que eu cheguei a estas terras sagradas do Haiti. O meu sentimento é de profunda gratidão, por tantas maravilhas que Deus realizou em minha vida, apesar de ter passado tantas experiências tristes e dolorosas, devido à situação de miséria na qual o povo vive, como também de violência, manifestada nas mais variadas formas, a ponto de os próprios haitianos falarem algumas vezes: “voltem para seus países, pois a vida de vocês é muito preciosa”. Porém, imagino que o sentido da nossa consagração está na nossa entrega, sem reservas, ao serviço do Reino. “Ninguém tira a minha vida de mim, mas eu a dou por minha própria vontade” (Jo 10:18). Sinto que esta força, que nos impulsiona e encoraja, não vem de nós, e sim da presença amorosa e protetora de Deus, na certeza de que Ele está conosco todos os dias.

 

Esta proteção temos sentido fortemente nesses tempos de pandemia, em que o mundo inteiro vive as mesmas experiências de incertezas, inseguranças e de perdas. No Haiti, também, não está sendo diferente. Estamos em quarentena, as escolas e igrejas todas fechadas... Porém, não sabemos até que ponto as notícias fornecidas pelo Ministério da Saúde são verdadeiras, pois, a cada dia novos casos são divulgados, mas a vida continua como se nada existisse. O povo na rua, como se fossem formigueiros, a minoria com máscaras e, concretamente falando, ninguém conhece nenhum caso confirmado. Imagina-se que ainda não virou um caos, porque, quando se divulgou o primeiro caso, de imediato, os aeroportos e fronteiras foram fechados. Além disso, Haiti tinha acabado de sair de uma grande manifestação, que durou três meses, bloqueado, e nada funcionava. Com isso, muitos estrangeiros saíram do Haiti. Ou seja, o fluxo era de saída, e não de chegada.

Contudo, rezamos, para que Deus continue nos protegendo, pois Haiti não tem estrutura nenhuma para enfrentar uma pandemia, já que não dispõe de hospitais capacitados. Sem falar que o povo, mal alimentado, não tem também tanta resistência.

 

Quanto à nós, Irmãs, passamos dois meses em casa, embora, diariamente, as pessoas viessem até nós, em busca de alimento, pois o que está matando o povo não é o corona, e, sim, a fome. Portanto, decidimos retomar ao nosso projeto; não estamos trabalhando com os grupos, mas atendendo as pessoas que nos procuram, principalmente, os idosos e as crianças desnutridas. Graças a Deus, que estamos bem, buscamos tomar os cuidados necessários, e, para a nossa sorte, a Adveniat nos presenteou com um projeto emergencial, pelo qual será possível distribuir alimentos para 150 famílias.

 

Por tudo rendemos graças ao Senhor!

Ir. Ideneide


DIA 14 DE MAIO DE 2020 ACONTECEU...

A nossa Comunidade “Mãe da Providência”- Saquarema/RJ, acolheu a iniciativa do Alto Comitê para a Fraternidade Humana, aprovada pelo Papa Francisco, convocando os crentes de todo o mundo para um dia de oração, jejum e obras de caridade, com o fim de suplicar ao Senhor que faça cessar a pandemia a pandemia do novo Coronavirus. Então, no dia 14, às horas, tivemos a Celebração Eucarística e, logo em seguida, o nosso Pároco, Padre Rodrigo Marques Gomes, expôs o Santíssimo, para um dia de adoração.

O Padre Rodrigo se ofereceu para, ao meio dia, rezar o terço aqui na Capela, através do facebook; ele faz isto, diariamente, na Matriz e, hoje, quis fazer conosco, aqui. Assim, a nossa Capela, a Capela de Madre Maria das Neves, visitou as famílias de Saquarema, neste tempo de sofrimento e esperança que estamos vivenciando. Foi um dia muito rico para a nossa Comunidade. Passamos um dia inteiro como verdadeiras Carmelitas junto de Jesus. O que se viveu nesta Capela de Madre Maria das Neves, neste dia 14 de maio de 2020, só no céu saberemos. Como nosso Deus é carinhoso!... Neste tempo de tanta insegurança para todos nós, ELE nos consola com um dia tão especial. Outro motivo de muita alegria para a nossa Comunidade é que o Padre Rodrigo nos está presenteando com Celebrações Eucarísticas em vários dias na semana, e, em especial, aos domingos.

Digamos sempre: “ Bendize ao Senhor, ó minha alma,

                             não te  esqueças de nenhum de seus benefícios.”   (Sl 102, 2)  

Como obras de caridade, temos dado assistência às famílias de nossas crianças, levando cestas básicas, legumes, frutas, doações da comunidade de Saquarema.

 

                                     Por tudo isso louvemos ao SENHOR!...

 

        Comunidade Mãe da Providência 

Saquarema/RJ


INFORMATIVO DA EDUAÇÃO INFANTIL E DO ENS. FUNDAMENTAL l – 1º BIMESTRE 2020

NESTE BIMESTRE... Chegamos ao final do 1º bimestre e nossos olhares continuarão atentos à aprendizagem dos pequenos, escola e família estão em união, para valorizar o que as crianças já aprenderam e acreditar que são capazes de aprender muito mais até o final desse ano.

 

ATENÇÃO! CONCENTRAÇÃO! VAI COMEÇAR A BRINCADEIRA! 1, 2, 3!

As crianças gostam e precisam muito de brincar e se divertir e desenvolver as competências físicas e motoras necessárias. Através de brincadeiras contemplaremos a multiplicidade de funções e manifestações do ato motor, como também propiciaremos situações de relacionamentos interpessoal, respeito às regras e combinados estabelecidos nos jogos.

 

ARTE DE CRIAR ARTE

No trabalho com a pintura e a colagem sempre desenvolvemos a aprendizagem de diferentes procedimentos, onde as produções serão realizadas de forma lúdica e criativa.

 

MATEMÁTICA DE FORMA LÚDICA DIVERTE

Nas turmas do infantil I e fundamental durante o 1° bimestre deste ano, as crianças já aprenderam muitas coisas. Considerando essas aprendizagens, os conteúdos de matemática são selecionados. Assim nos próximos bimestres as crianças participarão de atividades com os seguintes objetivos: - Recitar os números até 100; - Contar termo a termo até 50; - Realizar estimativas; - Ler e escrever números de 2 dígitos; - Realizar cálculos. Resolver situações problema.

 

LITERATURA E CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS

A contação de histórias é uma atividade fundamental que transmite conhecimentos e valores, sua atuação é decisiva na formação e no desenvolvimento do processo ensino-aprendizagem.  Além de alcançar o objetivo pretendido: uma aprendizagem verdadeiramente significativa. Nossos alunos adoram esses momentos que envolvem a literatura.


Carmo Conectado - Teresópolis/RJ

O Colégio Nossa Senhora do Carmo, de Teresópolis, não mediu esforços para desenvolver a sua Proposta Pedagógica em Regime Especial, em atendimento às exigências do atual cenário, por conta da pandemia do COVID-19. Para fazer a transição do ensino presencial para o ensino à distância, aulas remotas, houve envolvimento e dedicação de todos os setores pedagógicos e administrativos. Diante disso, o espírito de equipe, a união e profissionalismo foram fundamentais para essa transição de descobrir outras formas de fazer a Educação. Desde as orientações e diretrizes dos Órgãos da Saúde e da Educação, o nosso Colégio vem se destacando na cidade, com as ações rápidas e medidas tomadas, cuja prioridade é a qualidade do trabalho prestado nos processos ensino-aprendizagem, tudo de forma a manter um ambiente virtual, sem perder os valores fundamentais da Educação Carmelitana.

Contamos com um conjunto de ações, para pôr em prática o ensino, sem perder a sequência das atividades pedagógicas planejadas para o ano letivo. Desde o início, foram realizadas reuniões, encontros, treinamentos, diariamente, entre a equipe diretiva, equipe pedagógica, corpo docente e todos envolvidos. Além disso, estudos e pesquisa de novas tecnologias, metodologias e ferramentas virtuais para aplicar e, também, tutoriais, foram elaborados para ajudar os professores, estudantes e famílias. Em constante movimento, continuamos nessa dinâmica com todo suporte de TI, apoio e inovação, a cada dia, em nossas aulas.

Utilizamos como ferramenta a plataforma do Sistema Bernoulli, nosso material didático já adotado, o Google Forms ambiente, para aplicação das avaliações on-line, e o Google Meet, que é o ambiente das salas de aula. Na proposta, as aulas remotas são divididas em momentos de aulas Síncronas e Assíncronas.  O Carmo conectado permite que os professores criem ambientes vibrantes de aprendizado. Além da programação do conteúdo curricular, os professores desenvolvem atividades e projetos on-line para entreter os estudantes nesse período, atrelados ao conhecimento, pois entendemos que é importante priorizar – mais do que nunca – o desenvolvimento das competências socioemocionais, como: resiliência, automotivação, autonomia. Além das competências múltiplas nas áreas do conhecimento, oferecendo, de maneira lúdica, situações de aprendizagem no ambiente virtual e doméstico. Assim, além de manter os vínculos entre os integrantes da família carmelitana, promove, também, um espaço prazeroso e acolhedor, para dar sequência às atividades pedagógicas. Confira algumas das nossas atividades:

 

- PROJETO RECREIO INTERATIVO  (6º ano do EF ao EM) visa ajudar os estudantes, professores e familiares a criar oportunidades, para que os mesmos compartilhem momentos de brincadeiras e descontração, no intervalo das aulas remotas. Ocorre uma vez por mês, envolvendo toda a família carmelitana em uma sala virtual. A cada mês é um tema. O primeiro aconteceu no dia 30 de abril, e o tema abordado foi a Celebração da Vida – Páscoa. O professor Claudenilson José (História) abrilhantou a atividade com sua alegria, cantando e envolvendo a todos. Foi um sucesso.

 

- PROJETO DESAFIO CARMO (6 º ANO DO EF AO EM) faz parte da proposta de empreendedorismo e projeto de vida, desenvolvida no colégio. A cada semana, um professor lança um desafio para os alunos, e todos participam. Estamos no terceiro desafio: O primeiro desafio foi “Meu Pet”, o segundo Desafio, “Meu objeto especial”, e terceiro Desafio  “Meu livro preferido”.

 

- Oferecemos também os Simulados on-line, nos moldes do ENEM, para os alunos do Ensino Médio. Os Simulados são elaborados pelo Bernoulli, e os alunos obtêm os resultados via TRI. O 9ºano do Ensino Fundamental também realizou um simulado, elaborado pelos nossos professores. Mantemos o foco de preparar os estudantes para sucesso nas avaliações externas e ENEM. Além dos Simulados, as avaliações acontecem também on-line.

 

- Debate em Sociologia: “Racismo Reverso” foi o tema escolhido pela profª. Natacha, para trabalhar com as turmas da 2ª série do EM. O vídeo de standup comedy foi apresentado como introdução ao debate. Nesse debate, o aluno protagonizou o momento de fala, conseguindo coadunar a teoria a exemplos do dia a dia e nos meios artísticos, sua área de interesse.

 

- BATE PAPO DE ATUALIDADES

Aconteceu, no dia 05 de abril, um Bate Papo – Café com o Mundo – envolvendo os alunos do 9º ano do EF e séries do EM. De forma descontraída, os alunos e professores conversaram em uma sala virtual, com os convidados Felipe Medeiros - Espanha– estudante de Medicina , Débora Rocha – Irlanda – ex aluna do Carmo, estudante de Confeitaria, e Luciana Su Wer – China – ex aluna do Carmo , estudante de Comércio e Economia. O tema abordado foi o COVID-19 nesses países, e como é a vida nas faculdades no exterior. Uma manhã de grandes trocas e aprendizagem.

 

O Carmo, mais uma vez, inova e decola, unindo toda a sua equipe, no compromisso de continuar com a Educação de qualidade, respeitando a Vida, a Família e Saúde. Estamos em um momento  de desafio e de novas oportunidades e descobertas, para alunos e professores. Todos os trabalhos encontram-se nas nossas redes sociais e site.

 

Profª Ana Clara M. Coutinho

Coordenação Predagógica – EF Anos Finais e EM


Gestores dos colégios Carmo participam de encontro em Cataguases

Diretoras e coordenadoras dos colégios Carmo, de Cataguases, Viçosa, Juiz de Fora e Teresópolis, estiveram reunidas, no último sábado, 14 de março, na escola de Cataguases, participando do Encontro de Gestores Carmelitas. Com o grupo esteve, como palestrante, o Frei Cléber dos Santos, Carmelita Descalço do Convento Santa Elizabete da Trindade, de Brasília. O tema abordado foi a origem e trajetória da Ordem Carmelita.

A preservação e fortalecimento da identidade cultural carmelita, nos colégios Carmo, é a pauta que estará presente, também, nos encontros que estão por vir, com os professores, demais funcionários e estudantes das escolas, como informou a responsável geral por este movimento, Irmã Sônia Maria Estevam, do Carmo de Viçosa.

“Como Carmelitas da Divina Providência, queremos ser, neste mundo, sinais da ternura e da misericórdia de Deus. Sentimo-nos chamadas a viver relações de misericórdia, com palavras, gestos e atitudes humanizadoras, realizando nossa missão profética, a exemplo de Madre Maria das Neves (Fundadora da Congregação que conduz os colégios Carmo)”. Assim, o grupo de gestores carmelitas apresenta o horizonte de seu projeto.

Durante o sábado, com as gestoras carmelitas, Frei Cléber dissertou sobre a história da Ordem do Carmo, que surgiu em Israel, no Monte Carmelo, de uma experiência religiosa ocorrida nos séculos XII e XIII d.C., período da Média Idade Média, quando aconteciam as Cruzadas. O grupo de eremitas que viveu nessa região do Monte Carmelo foi obrigado a migrar para a Europa, onde a Ordem do Carmo foi aprovada pelo Papa Inocêncio IV, em 1246.

Além dos eventos com os educadores, estão programados momentos formativos para os educandos: Dia de Formação para os alunos do Ensino Médio, o Dia do Aluno Carmelita, a Semana Vocacional e o Encontro de Ex-alunos.

Integra-se aos eventos, também, a Novena a Nossa Senhora do Carmo e Festa do Profeta Elias, em que participam, anualmente, de 7 a 20 de julho, as comunidades educativas e eclesiais.

Luciana Mendonça de Melo

Assessoria de Comunicação

Colégio Carmo de Cataguases


Uma visita de gratidão e ternura...

Assim é que nós, Irmãs da Comunidade "Madre Bernadete", sentimos e percebemos a visita de Dom Geovane Luís da Silva, bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte/MG, da Região Episcopal Nossa Senhora da Piedade, e do Padre Joel Maria dos Santos, da Paróquia Santíssima Trindade, bairro Gutierrez, em BH. Foi na manhã do dia 26 de janeiro de 2020. Vieram a São João Del Rei/MG, visitar a nossa Comunidade e, em especial, a Irmã Odete de Sant'Ana agradecido pela sua dedicação no Seminário de Mariana/MG. Quando ele era ainda seminarista, a nossa querida Irmã trabalhava lá.

Concelebraram a Missa, às 08 horas da manhã, em nossa capela. Dom Geovane, em sua homilia, nos falou que ao celebrarmos a Eucaristia, podemos saborear o amor de Cristo, comunicado pela Palavra; eis aí o caminho que nos ajuda cultivar a amizade com Jesus, em todas as fases de nossa vida. Lembrou-nos que a liturgia deste domingo nos fala da missão de Jesus, que começou na Galileia, lugar simples, no meio dos pobres. E ainda, que a Congregação também tem missão em lugares simples, é o que tem sustentado a Família de "Madre Maria das Neves" ao longo dos anos, isto é a maneira de mantermos os olhos fixos em Jesus. Ressaltou também que Jesus, por onde passou em missão, deixou os traços de amor, de bondade, de ternura e de gratidão. Nós Carmelitas também. E terminou suplicando a Deus que nos conceda a graça da prontidão, a exemplo dos discípulos; quando Ele nos chamar que, tenhamos a coragem de dizer sim, a cada dia, e vivamos na unidade.

Após a missa, Dom Geovane se dirigiu ao ’Espaço Cuidar‘, e deu uma benção especial para as Irmãs Idosas sob cuidados, que lá residem. Em seguida, confraternizamos com um delicioso lanche.

Dom Geovane e Padre Joel saíram daqui muito alegres, por verem como as Irmãs estão bem cuidadas, e prometeram retornar em breve. Essa visita também nos proporcionou muita alegria, por percebermos o carinho e a ternura de Deus para conosco.

Por tudo demos graças a Deus!

 

Comunidade "Madre Bernadete"

São João Del Rei/MG


A Família se reúne!

Nos dias 25 e 26 de janeiro tivemos um encontro muito feliz da Família Carmelitana do Brasil.

Estando no Brasil o Prior Geral da Ordem Carmelita, Fr. Míceál O’Neill, e Frei Luis Maza, Conselheiro Geral para as Américas, por ocasião dos Capítulos das Províncias de Santo Elias e do Pernambuco, tivemos a oportunidade de nos reunir com eles.

A presença da família foi muito significativa. Vejamos: Da Província de Santo Elias estavam Frei Evaldo Gomes Xavier, Provincial, Frei Renê Vilela e Frei João Paulo Moraes; da Província do Pernambuco, estava o Prior Provincial: P. Sormani José Barbosa Lima; do Comissariado do Paraná, Frei Tiago Evaristo. As monjas se fizeram presentes: Irmãs Marisel Teresita e Judith, de São João del Rei-MG, Irmãs Francisca Marlene Rochae Solange, de Jaboticabal-SP. Da Congregação das Irmãs Missionárias Carmelitas, estavam a Ir. Maria Gildete da Silva, Sup. Geral, e Ir. Edenice Rufino de Carvalho. Iniciou sua participação a Irmã Luz Albina, Carmelita de Madre Candelária, recém-chegada ao Brasil. Das Carmelitas Missionárias de Santa Terezinha, estava a Irmã Maria Silvoneide da Silva. Da nossa Congregação, participamos: Irmã Maria Imaculada Resende, nossa Superiora Geral, Irmã Leticia Rodrigues da Silva e eu. A Elizabeth Eliazar, Carmelita Leiga, completou a família.

Num primeiro momento, conversamos sobre as experiências vividas, que tiveram como grandes incentivadores os Freis John Malley, Domingos Fragoso e Carlos Mesters. Lembramos as programações que nos ajudaram a fomentar nossa identidade de Carmelitas, e construir uma fraternidade muito bonita que perdura e, nesses dias, nos deu a alegria de reencontrar irmãos e irmãs que não víamos há mais tempo.

Com o apoio bastante animado dos Freis Miceal e Luis Maza, cresceu a esperança de um reavivamento da nossa Família Carmelitana, sob os cuidados da Mãe do Carmelo e a orientação do Espírito Divino que nos habita. Preparamos, então, uma programação para o sexênio que se iniciou em setembro/19. Lembramos que essa programação, embora parta da experiência vivida no passado, precisa ter a criatividade que nos pede o momento presente. Foram propostas atividades em nível das Américas e do Brasil, que serão divulgadas pelo Secretariado da Família.

Ir. Dazir Campos


Encontro Vocacional

Nos dias 24 a 26 de janeiro aconteceu o Encontro Vocacional, no Noviciado Nossa Senhora do Carmo, em Viçosa.

O encontro contou com a participação de nove jovens das cidades de Canaã, Porto Firme, Caratinga, Cajuri, Teixeiras e Viçosa.

As jovens foram recebidas no dia 24 (sexta feira) as 18:00 horas, com muito carinho pelas Irmãs Carmelitas da Divina Providência, com um momento de descontração, as meninas puderam se conhecer, e conhecer um pouco as realidades umas das outras.

No primeiro dia do encontro foram realizadas atividades voltadas ao discernimento vocacional, um terço vocacional, conduzido pela Irmã Osmira, e um momento de escuta e íntima comunhão e adoração a Jesus eucarístico.

No dia 25 (sábado), atividades espirituais tiveram início com a Liturgia das Horas.

Logo após o café, a Irmã Graça retomou o dia, logo depois a Irmã Célia conduziu uma palestra com o tema, Vocação = chamado.

Ainda na manhã de sábado as jovens puderam meditar a palavra, e partilhar com as demais participantes.

A Irmã Alenir Pedrosa coordenou teatros sobre a vocação do jovem rico, Maria Madalena e André e Pedro, no período da tarde.

Mais adiante, as nove meninas puderam ouvir o testemunho das Irmãs Leonor e Natividade, a Noviça Beatriz, e a Aspirante Gislane. Foi um momento de identificação e empatia.

Depois do jantar a Irmã Alenir e a Noviça Beatriz conduziram um momento de descontração e diversão com brincadeiras e dinâmicas.

Na manhã de domingo depois do café, as meninas tiveram a oportunidade de participar da Santa Missa, na igreja Nossa Senhora de Lourdes.

Depois da Santa Missa, a Irmã Alenir Pedrosa falou um pouco sobre o próximo encontro, que tratará sobre o Carmelo, deixando as participantes animadas e entusiasmadas.

A seguir foram convidadas a fazer uma avaliação do encontro, a Irmã Alenir conduziu uma recordação sobre o que tinha sido passado nos três dias de discernimento.

O encontro foi encerado com o almoço ao meio dia.

Oremos a Nossa Senhora do Carmo para que interceda a Deus pelas vocações do mundo inteiro!

 

 Giulia Soares Chaves - Canaã/MG


Escola Vocacional

Nos dias 13 a 18 de janeiro p.p., participei da Escola Vocacional, que ocorreu no Espaço Champagnat – Ribeirão das Neves, MG. Éramos 85 animadores vocacionais, das mais diversas Congregações, leigos e seminaristas, em preparação ao serviço da animação vocacional.

O curso teve por objetivo oferecer formação teórica e vivencial para animadores vocacionais, de modo a contribuir para a construção de uma cultura vocacional nas Congregações, nos Institutos e na Igreja. A programação passou por quatro eixos, que nortearam as atividades do evento: Sociológico, Eclesiológico, Psicológico e Metodológico. Todos eles compostos por palestras, rodas de conversa, oficinas, passeios, celebrações e confraternizações. A ideia é atender à demanda, de forma significativa, com os processos de Animação Vocacional para a Igreja.

O dia 13, inicio do evento, constou de acolhida, apresentação e histórico da Escola Vocacional, que principiou em 2014, e hoje é referência no Brasil. No segundo dia, o tema foi Análise da realidade sociopolítica na perspectiva juvenil, com oficinas sobre Política, Comunicação, Tecnologia, Negritude, Saúde Mental, Engajamento Eclesial e Solidariedade. No dia 15,  o tema trabalhado foi Ser Igreja no contexto atual, que também teve oficinas de Criatividade, Dança Circular, Comunicação Não Violenta e Projeto de Vida. Na quinta-feira (16), o assunto abordado na palestra foi Resiliência e sentido da vida, seguindo-se um passeio pelo centro de Belo Horizonte. O penúltimo dia foi para abordar o perfil do animador vocacional e o planejamento da atuação da Animação Vocacional. O dia 18 encerrou o evento com uma avaliação e envio dos cursistas.

O ambiente do encontro foi muito propício e acolhedor. Em todos os espaços havia expressões que permeabilizavam cultura e artes, utilizando recursos naturais que ressaltavam o tema: Árvore da vida brotando nos caminhos de Deus. A frase norteadora destacava que Deus é o cerne da questão e que não há como fazer pastoral vocacional, se não nos aproximarmos dos jovens. Devemos seguir o exemplo de Jesus no caminho de Emaús: aproximar, caminhar, escutar e partir o pão, com a finalidade de fazer os corações dos jovens arderem.

Irmã Júlia Antônia dos Passos


Nossa participação nas atividades da Comunidade “Jesus Maria e José”

Durante o Aspirantado, na Comunidade “Jesus Maria e José”, em Marimbá-Betim/MG, nós, as Aspirantes Naiara Cristina Reis e Gislane Paiva de Araujo, pudemos participar ativamente de algumas pastorais e atividades do Projeto “São José” e da comunidade povo, que contribuíram bastante nessa primeira etapa de formação. A seguir, citamos algumas das experiências que tivemos:

Pastoral da Catequese – Aspirante Gislane: “Trabalhar com as crianças do jardim, durante esse período, me ajudou a amadurecer e a desenvolver habilidades. Aprendi com a simplicidade, a espontaneidade e a alegria delas. Além disso, o convívio com os demais catequistas e os pais das crianças, me ajudou a me aproximar do povo e fazer amizades”.

Pastoral do Batismo – Aspirante Naiara:“Servindo nessa Pastoral, pude ajudar na Preparação para os pais e padrinhos, refletindo o Evangelho, contribuindo na organização da Celebração do Sacramento e nos momentos de oração. Vivenciei muitas experiências com a Equipe da Pastoral do Batismo, que enriqueceram meu amadurecimento vocacional, e me ajudaram a aprofundar minha caminhada de fé.

Coral Nossa Senhora das Graças: Participando do Coral de Marimbá, conhecemos várias comunidades da região, como Açude, Pimentas, Santo Afonso, Quintas do Godoy, Vianópolis e Cruzeiro. Fizemos boas amizades no grupo, aprendemos com a Coordenadora Rosiney e a Irmã Natalícia sobre os Tempos Litúrgicos, e pudemos desenvolver nossas habilidades para o canto.

Encontros com os jovens: Tivemos a oportunidade de realizar, nas Comunidades de Marimbá e de Vianópolis, encontros com jovens que estavam se preparando para o Sacramento da Crisma. No primeiro Encontro, refletimos sobre o Amor de Deus, com a leitura da Parábola do Filho Pródigo, e buscamos transmitir a nossa alegria de servir a Deus e de confiar em sua misericórdia. No segundo, abordamos o tema “Vocação”, junto com a Irma Liza Helena, que refletiu com os jovens sobre o sentido da vida cristã, a importância do discernimento, para a nossa realização pessoal e profissional. Além disso, respondendo às suas perguntas, demos o nosso testemunho vocacional, contando um pouquinho da caminhada que estamos fazendo.

Grupo de Reflexão: Acompanhamos o Grupo de Reflexão “Vida Nova”, com o qual rezávamos e refletíamos, a cada mês, sobre um determinado tema, preparado com carinho e dedicação pela Irmã Liza Helena. Em nossos encontros semanais, vivenciamos momentos fraternos, visitamos várias famílias, aprendemos com as suas experiências de vida, sua fé e simplicidade.

 

            Aspirantes Naiara Reis e Gislane Araújo

 


Encontro Vocacional
Tema: “Fazei tudo o que Ele vos disser” Jo 2, 5
 
Foi realizado no dia 22 de dezembro, no Bairro Marimbá, em Betim - MG, um Encontro Vocacional organizado pela Irmã Júlia Antônia dos Passos, integrante da Equipe da Pastoral Vocacional, pelas Irmãs da Comunidade “Jesus, Maria e José”: Irmã Maria Natalícia de São Gabriel, Irmã Liza Helena Ramos, Irmã Maria da Conceição Vasconcelos Coelho (Ceça), Irmã Maria da Glória Melo e Irmã Terezinha Rodrigues de Lima, e pelas Aspirantes Naiara Cristina Reis e Gislane Paiva de Araujo. Participaram do Encontro seis jovens: Ana Alice, Maria Lucília, Vanusa, Tatiana, Vitória e Beatriz. 
 
Iniciamos com a acolhida e o cafezinho, proporcionando um ambiente de alegria e fraternidade. Em seguida, Irmã Júlia apresentou a proposta do Encontro, e conduziu o momento de oração, trabalhando um pouco o autoconhecimento, através de pequenas histórias que ajudaram na reflexão das próprias motivações e vivências. 
 
No momento seguinte, Irmã Liza tratou o tema “Vocação na Bíblia”, apresentando o chamado de Eliseu, seguidor de Elias. De forma interativa e reflexiva, as jovens reconheceram algumas das exigências que uma vocação específica traz consigo. Posteriormente, Irmã Natalícia e a aspirante Naiara apresentaram um pouco da Espiritualidade Mariana, fazendo reflexões sobre a relação de intimidade e familiaridade com Maria, que a Carmelita da Divina Providência é chamada a cultivar. 
Após o almoço, Irmã Júlia e a aspirante Gislane conduziram um divertido momento de recreação no jardim, com um “Caça-tesouro” e a brincadeira “O que é, o que é”. Em seguida, as aspirantes e as jovens puderam fazer uma roda de conversa, para partilharem experiências e ficarem mais próximas. Dando continuidade, Irmã Júlia e a aspirante Gislane apresentaram o Carisma, a Espiritualidade e as Áreas de Missão da Congregação. Nesse momento, as jovens puderam conhecer a origem de nossa Congregação, um pouco sobre nossas Irmãs pioneiras, além de perceber também a dinamicidade da Vida Religiosa Consagrada.
 
Ao final, fizemos a Leitura Orante de um trecho do Primeiro Livro de Samuel: 3,1-10, buscando interiorizar a importância de estarmos abertas, para ouvir e discernir o chamado de Deus. Todas as jovens manifestaram a alegria de terem passado o dia, convivendo com as Irmãs, percebendo a proximidade, o acolhimento, a simplicidade de cada uma. Além disso, manifestaram o desejo de participar de outros Encontros Vocacionais. 
Agradeçamos ao nosso Pai, Deus de Amor, e à Nossa Mãe Bem-Aventurada, por esse abençoado Encontro e maravilhosa experiência na Comunidade “Jesus Maria e José” em Marimbá. 
 
Aspirantes Naiara Reis e Gislane Araújo
 

Fim de semana em mutirão de pintura com os voluntários do Carmo

Sábado e domingo, 14 e 15 de dezembro, foram dias de mutirão com os voluntários do Colégio Carmo, para a pintura da Escola Estadual Professor Quaresma, no bairro Taquara Preta. Participaram estudantes do 2º e 3º anos do Ensino Médio, professores e outros funcionários do Carmo, com voluntários da comunidade e da própria escola. O projeto está sendo liderado pelo professor de Biologia do Carmo, Alexandre Campos Siqueira, que organizou um bingo para arrecadar fundos, e comprar a tinta e os materiais de pintura.

O diretor da Escola Professor Quaresma, Odilon José, que também estava trabalhando no mutirão, agradeceu aos voluntários do Carmo pela ação. "A essa parceria da escola pública com a escola privada, eu só tenho a agradecer. O projeto beneficia nossa comunidade escolar, e levanta a autoestima dos nossos alunos e professores, deixando o ambiente mais propício para a aprendizagem", afirmou.

Nesse fim de semana, foram pintadas todas as salas do segundo andar da escola. Os voluntários vão dar continuidade ao trabalho ainda nestes dias, com a pintura de outras áreas. Quem quiser e puder participar da ação voluntária pode procurar o professor Alexandre, no Colégio Carmo, ou o diretor Odilon, na Escola Professor Quaresma.

O professor Alexandre lecionou na escola Professor Quaresma durante dez anos. Atualmente, não é docente daquela escola, mas continua amigo e solidário, tendo motivado a comunidade do Carmo a colaborar no projeto.

 

Luciana Mendonça de Melo

Assessoria de Comunicação

Colégio Carmo de Cataguases

 


Voluntariado jovem do Carmo promove bingo solidário

Domingo, 24 de novembro, foi dia de Bingo Solidário no Colégio Carmo de Cataguases. Agradecemos a todos que colaboraram e participaram do projeto. Agradecemos, especialmente, aos alunos do 2º e 3º anos do Ensino Médio, que, juntamente com o professor Alexandre, se dedicaram e fizeram este movimento lindo por uma boa ação. Com o dinheiro arrecadado no bingo, será possível fazer a pintura da Escola Estadual Professor Quaresma, no bairro Taquara Preta. Em breve, noticiaremos a data da pintura, a ser feita na forma de um mutirão, com a participação da equipe do Colégio Carmo e da comunidade da escola Professor Quaresma.

Mãos que pintam história

Iniciar um projeto nunca é fácil, principalmente quando envolve uma ação social. A ideia surgiu com um sonho: pintar uma escola pública de nossa cidade, em mutirão, e assim obter um ambiente agradável aos alunos e que os mesmos possam ter orgulho de ter participado dessa construção e ter o cuidado de sua preservação, valorizando o seu espaço.

Há necessidade de envolver os alunos do Instituto Nossa Senhora do Carmo, 2º e 3º anos do Ensino Médio em projetos sociais, em que eles possam ajudar a comunidade, e entendam que suas ações serão marcas registradas em seu futuro.

Desta maneira, com o desenvolvimento do projeto, os alunos aprenderão como participar e interagir com a vida social de nossa cidade, irão conhecer e participar da construção do futuro de outras pessoas, tornar-se verdadeiros cidadãos e desenvolver o espírito Cristão, em ajudar o seu próximo.

A realização de um "binguloso", para arrecadar verbas e comprarmos a tinta usada na pintura da Escola Estadual Professor Quaresma, localizada no bairro Taquara Preta, em nossa cidade, foi a maneira que encontramos para tornar isso possível.

Buscamos parcerias com comerciantes de nossa cidade, responsáveis e pessoas de grande importância para conseguir as prendas do bingo. Todos aqueles com quem tivemos contato foram solícitos e as respostas sempre positivas.

Toda vez que contávamos sobre o projeto para amigos e pessoas de nossa cidade, eles ficavam admirados. Pudemos ver aos poucos o envolvimento crescente.

Cada aluno ficou responsável por vender os ingressos. Fomos, nos dias 15 e 16 de novembro, apresentar o projeto na comunidade do bairro Taquara Preta, onde está localizada a escola beneficiada, e no centro comercial da cidade. Os alunos puderam perceber a importância de suas ações.

Desenvolver um projeto intenso, em tão curto espaço de tempo, não foi tarefa muito fácil, mas estamos indo em frente. No dia 24 de novembro, realizamos o binguloso, com organização pelos alunos, professor e direção da escola Instituto Nossa Senhora do Carmo. O sucesso dessa primeira fase veio como fruto de um trabalho bem desenvolvido. Temos o recurso para a compra das tintas e agora vem a fase mais difícil, a pintura.

Estamos nos organizando com alunos da escola, comunidade e responsáveis para concretizar aquilo que precisa ser feito; encontramos sempre pessoas dispostas a ajudar nessa ação solidária.

A empolgação nos leva a acreditar que podemos, quando queremos, e lutamos para atingir nossos objetivos e alcançar nossos sonhos.

Concluímos que não podemos cruzar os braços, e esperar que as coisas aconteçam, é preciso fazer o nosso melhor, formando assim cidadãos conscientes e capazes de concretizar projetos sociais.

 Alexandre Campos de Siqueira,

Professor de Biologia do Colégio Carmo de Cataguases


Colégio Carmo realiza sua 11ª Cantata de Natal

Desde a 1ª edição da Cantata de Natal do Colégio Carmo, já se passaram 11 anos. O espetáculo da noite de ontem, mais uma vez, encantou o público de mais de duas mil pessoas, reunido no ginásio poliesportivo da escola para ouvir as doces vozes das crianças e jovens da Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio.

O repertório, neste ano, surpreendeu pela escolha das canções, que saíram um pouco das mais clássicas, para passar a mensagem que permeou todo o projeto: "Viva o Espírito do Natal". "Escolhemos músicas populares, que não costumam ser associadas ao Natal, mas que também trazem lindas mensagens, para dizer a todos que o verdadeiro espírito natalino pode estar em toda parte", afirmou a Diretora Pedagógica, Cecília Poyares.

Na abertura, a pequena solista subiu ao palco para fazer sua prece, cantando "Deixe a luz do céu entrar". As crianças do grande coral que vinha das arquibancadas deram sequência, entoando: "todo dia é dia de Natal, cada dia é um dia especial, todo mundo carrega uma luz, a estrela do amor nos conduz".

Nessa balada, seguiram-se canções que falavam da alegria, de ser feliz, de levar o amor a toda parte. Foi assim que o rock de Raul Seixas, inusitado para a ocasião, entrou afinadinho, com todos cantando "tenha fé em Deus, tenha fé na vida... há uma voz que canta, uma voz que dança, uma voz que gira, bailando no ar." De Raul para Roberto Carlos foi um pulo, com seu grande sucesso lançado na década de 1970: "É preciso saber viver".

No ponto máximo do espetáculo, o presépio vivo, formado por estudantes do Ensino Médio, formou-se no palco, quando, da arquibancada, todos cantavam o refrão: "luz do caminho, verdade e vida, que trouxe ao mundo o perdão... criança divina clareia, ilumina os reis que de longe vieram." Na sequência, o coro ficou mais forte e animado, ao som de "Um Menino nasceu, é Natal" e "Faça um lugar, deixe-o nascer em você, Jesus é a fonte da vida".

Já próxima do encerramento, outra encenação emocionou o público, trazendo para a Cantata a "Vida", sucesso de Fábio Júnior na década de 1980, com sua forte mensagem: "não é preciso uma verdade nova, uma aventura, para encontrar nas luzes que se acendem um brilho eterno". Mais uma vez, estudantes do Ensino Médio participaram, representando as pessoas que andam pelas ruas da cidade e um anjo que, como diz a letra, "por encanto, abre suas asas sobre os homens".

No encerramento, subindo o tom da festa para um clima de pré-reveillon, o samba "Eterno Aprendiz", de Gonzaguinha, fez a plateia cantar junto "é a vida, é bonita e é bonita" e "Ano Novo", como de costume em todas as cantatas do Carmo, fechou a noite, antecipando os votos de que 2020 seja um ano em que "o mundo todo se descobre nesse abraço".

Agradecendo a todos os participantes, organizadores e público presente, a Diretora Administrativa, Irmã Dahlia Rezende, deixou uma mensagem à comunidade educativa do Carmo: "vocês foram notáveis. A Cantata foi uma beleza!"

Colégio Carmo - Cataguases


Celebração dos 120 anos CDP

A Congregação das Irmãs Carmelitas da Divina Providência celebrou com júbilo os cento e vinte anos de existência, nos dia 1º e 02 de dezembro de 2019, em Saquarema/RJ. Caravanas vindas de Belo Horizonte/MG, Juiz de Fora/MG, Teresópolis/RJ, Anchieta/ES e Rio de Janeiro/RJ chegaram alegres e entusiasmadas para celebrar.

Convocadas pela Superiora Geral, Irmã Maria Imaculada Resende Pereira, as Irmãs fizeram três dias de orações, nas Comunidades Locais. Recordando a importância da Comunidade “Mãe da Providência”, a noite do dia 1º foi para visitar os cômodos da casa frequentados pela Fundadora Madre Maria das Neves: a Capela, o Memorial (quarto onde ela dormia), o salão de reuniões. Nesses lugares foram lembrados os primeiros trabalhos de serviço aos pobres e enfermos.

 

As Irmãs que atuam em Educandários: Projeto “Vida Nova”, em Petrolina/PE, Dom Silvério, em Cataguases/MG, Projeto “Onda Gomes, em Barbacena/MG, enviaram cumprimentos carinhosos com mensagens das crianças, celebrando a vitória da Divina Providência, através de um vídeo mostrado na sala de vídeos das crianças.

 

Numa manhã chuvosa, subimos a ladeira para, na lendária Igreja Nossa Senhora de Nazaré, unir nossas vozes de louvores e gratidão a Deus, que nos chamou primeiro, e acolhe a presença da Centenária Congregação.

 

A Eucaristia foi presidida por Dom Tarcísio dos Santos Nascentes, da Diocese de Duque de Caxias, e concelebrada por Dom José Ubiratan Lopes, da Diocese de Itaguaí, Padre Roberto Barbosa de Melo, da Paróquia Sagrada Família/RJ, Rhawy Chagas Ramos, do Rio de Janeiro e Padre Rodrigo Marques Gomes, administrador paroquial da Paróquia Nossa Senhora de Nazaré, Saquarema/RJ. Aos nossos louvores e às nossas vozes, se uniram amigos, amigas e benfeitores. O coral das crianças do Centro Social “Madre Maria das Neves” abrilhantou esse momento especial de ação de graças. Na abertura, uma procissão de fotos recordou a missão da Congregação, através de algumas Irmãs representantes dos diversos setores: Enfermagem, Serviço Social, Cuidado aos Idosos, Inserção, Educação nos Colégios, Administração e Formação.

 

Em sua homilia, Dom Tarcísio acentuou aspectos da nossa história, com palavras de incentivo para recordar o passado com gratidão, viver o presente com paixão pelo Reino e, com esperança, construir um futuro de continuidade criativa conforme o carisma e a espiritualidade da Congregação.

 

Nas mensagens finais, Dom Ubiratan agradeceu a presença da Congregação no início da Diocese de Itaguaí, e fez memória da presença amiga de Dom Vital Wilderink.

A prefeitura de Anchieta/ES através de Edson Vando, Secretário Municipal de Cultura e Flávio Simões, assessor de comunicação, ofertou uma réplica do Colégio “Maria Mattos” e realçou a presença marcante das Irmãs naquela cidade.

 

A Superiora Geral, Irmã Maria Imaculada Resende Pereira agradeceu aos presentes, convidando a todas as Irmãs para continuarem na construção de nossa história como Carmelitas da Divina Providência!  

Irmã Marlene Frinhani


Projeto de Inclusão Digital Carmo Solidário

Além das crianças e jovens da escola, um outro grupo frequenta, semanalmente, as aulas de informática do Carmo. São os integrantes do Projeto de Inclusão Digital Carmo Solidário, que, há mais de 20 anos, tem como objetivo oportunizar a aprendizagem de novas tecnologias.

Nos últimos anos, esse Projeto atende, prioritariamente, pessoas com mais de 60 anos que, de outra maneira, não teriam a oportunidade de aprender a usar o computador, a internet e as redes sociais. A população idosa brasileira vem crescendo nos últimos anos, assim como cresce a expectativa de vida; e o uso do computador tornou-se uma necessidade. Ligando estes dois pontos está a base do nosso projeto, que visa desenvolver habilidades no uso da tecnologia para adultos da terceira idade, a melhor idade na era digital. Nossos alunos aprendem, especialmente, sobre os temas voltados à Internet, como criação de e-mail, redes sociais, páginas de vídeos e pesquisas.

O curso é dividido em dois módulos de aprendizagem, cada um com um ano de duração, com duas aulas semanais. É um projeto social ofertado gratuitamente à comunidade cataguasense, que beneficia, anualmente, uma média de 40pessoas com esse perfil. É importante ressaltar que, mais do que usar um computador, nossos alunos, carentes de habilidades e conhecimentos tecnológicos, buscam ser parte ativa no mundo virtual. Faz-se necessário que ações voltadas para esse público se intensifiquem, para que o adulto da terceira idade se torne um cidadão mais ativo e feliz.

 

Assessoria do Comunicação do Colégio Carmo de Cataguases.


Missionária no Haiti, Carmelita faz palestra aos jovens do Carmo

Com as equipes de ajuda humanitária, no Haiti, está, desde fevereiro de 2014, a Irmã Carmelita da Divina Providência, Ideneide do Rego. Neste mês, ela veio ao Brasil e, no último dia 29 de outubro, esteve em Cataguases, para compartilhar sua experiência com a comunidade local da Congregação Carmelita, da qual faz parte, e com os estudantes do Ensino Fundamental II e Ensino Médio do Colégio Carmo.

 

As palestras aconteceram durante toda a manhã, com as turmas do 6º e 7º anos, depois, com os alunos do 8º e 9º anos, e por fim, com as turmas do 1º ao 3º ano do Ensino Médio. "No Haiti, são muitos e muitos gritos, necessidades básicas de todo ser humano: o direito à alimentação, à água, à educação. A situação, lá, infelizmente, é alarmante", descreveu Irmã Ideneide.

 

Ela faz parte do projeto de solidariedade entre as igrejas do Brasil e do Haiti, em uma iniciativa da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, CNBB, e da Conferência dos Religiosos do Brasil, CRB, com as quais a Congregação das Irmãs Carmelitas se uniu.

Aos estudantes do Carmo, mostrou um pouco do que vivencia em seu trabalho como voluntária. Como se sabe, o Haiti é um dos países mais pobres do mundo e o mais pobre das Américas. Mais da metade dos haitianos vive abaixo da linha da pobreza, e cerca de um quinto deles, na extrema pobreza.

 

Ao final das palestras, Irmã Ideneide disse que sempre se emociona ao falar do que vive em seu dia a dia: "Essas partilhas de vida nos ajudam a sair da gente mesma e a valorizar aquilo que a gente tem. Eu fiquei muito feliz com a oportunidade de falar aos jovens do Carmo, porque houve muita receptividade, preocupação e desejo de fazer alguma coisa que possa amenizar a situação do povo. Isso é fruto não só da minha partilha, hoje, com eles, mas das coisas que eles já vêm alimentando."

 

O país onde a Irmã Carmelita vive, há seis anos, é marcado por catástrofes naturais e crises sociopolíticas. Nos últimos dias, agravaram-se os conflitos e a violência no Haiti, o que torna ainda mais dramática a situação dos moradores mais vulneráveis. Manifestantes, inclusive religiosos, se uniram aos movimentos de protestos, exigindo a renúncia do chefe de Estado. Irmã Ideneide pretende voltar para o Haiti neste próximo mês de novembro, apesar das incertezas quanto à segurança dos voluntários em meio aos conflitos.

 

"O que sustenta uma comunidade intercongregacional, como a da qual participo, é a oração pessoal e comunitária, a vida fraterna, a ajuda e o respeito mútuo, a capacidade de acolher o diferente e principalmente, a integração interior", destacou. "A Comunidade Carmelita reza por ela, por sua missão e pelo povo haitiano", afirmou a Diretora Administrativa do Colégio Carmo, Irmã Dahlia.


É Missão de todos nós!

Nossa Comunidade – Noviciado Nossa Senhora do Carmo, assumiu o convite do Papa Francisco para o Mês Missionário Extraordinário : “Batizados e Enviados: a Igreja de Cristo em Missão no mundo!” e a proposta do Governo Geral : “Com Madre Maria das Neves, buscando novas formas de vida na Igreja em saída”, para vivenciarmos com entusiasmo o chamado que o Senhor nos faz: “Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura..” (Mc 16,15).  Aprofundando cada proposta, partimos, em Missão, levando aos Irmãos a alegria do Evangelho.

Começamos nossa peregrinação rumo aos 120 anos de nossa Congregação, participando, nos dias 19 e 20 de outubro, das visitas missionárias na comunidade de Santo Antônio, em Viçosa, visitando as famílias. Momentos marcados pelo encontro com o Cristo sofredor, expresso nas diversas realidades encontradas. Sim, a Missão é urgente! É preciso testemunhar o Senhor ressuscitado aos Irmãos carentes.

Como essa atividade me ajudou a experimentar na prática a vivência dos Votos! Estamos realizando preciosos estudos sobre a Vida Religiosa Consagrada, com enfoque nos meios para bem viver nossa Consagração: a profissão dos Votos de Pobreza, Castidade e Obediência. Para tais estudos, tivemos a assessoria das Irs. Valdete Guimarães – Congregação Servas de Maria Reparadora e Elizabetta Pompei- Congregação das Irmãs Missionárias Combonianas; através do Novinter, e do Pe. Rhawy Chagas Ramos, que muito enriqueceram minha formação. 

Destaco que, em tempos de muita banalização de alguns valores primordiais, somos profetas, porque assumimos em plena liberdade, na alegria e com todas as nossas limitações, um estilo de vida que denuncia as injustiças sociais, e proclama o advento de Cristo que se aproxima.  O testemunho da prática dos Votos – Pobreza, Castidade e Obediência - nos leve a sair do centro, e colocar no meio aqueles que estão à mercê da sociedade: os sem-voz, marginalizados, os pequeninos e excluídos, como Jesus fez em toda sua trajetória missionária.

Ser uma religiosa consagrada é assumir um constante êxodo, estar disposta a viver na dinâmica do Espírito Santo, procurando, pela graça de Deus, possuir um olhar sensível e misericordioso frente às novas realidades sociais e eclesiais. É amar sem limites os Irmãos, confiando que é ao próprio Deus que estamos amando e servindo. É perceber-se num diálogo constante com o Pai. Assumindo a Pobreza numa atitude alegre e despretensiosa da doação dos dons e talentos, a Castidade como expressão livre e amadurecida do amor que se doa, e a Obediência como forma de descobrirmos na convivência fraterna a Vontade do Pai. Assim, professaremos com a Vida o gratuito e generoso dom de Deus: a Vida Consagrada Religiosa.

Entusiasmada e sentindo-me amada pelo Senhor, sigo confiante meu processo formativo!

Noviça Beatriz Marques


É BOM DAR GRAÇAS AO SENHOR!

Neste ano de 2019, temos trabalhado bastante, visando a Pastoral Vocacional. Contamos com o ânimo e entusiasmo de Irmã Rita de Cassia Silva e da noviça Beatriz e o apoio das Irmãs das nossas duas comunidades.

Tivemos oportunidade de realizar três encontros com as jovens que expressaram o desejo de conhecer-nos. Em cada etapa realizada tivemos com um grupo diferente.

Assim, aconteceu o 1º encontro em abril, o 2º, em agosto, e o 3º, no dia 18 de outubro.

Este último, contou com a participação de seis jovens vindas de Teixeira, Paula Cândido, Canaã   e Viçosa.

Na parte da manhã, houve acolhida, oração e dinâmica com a Noviça Beatriz. Em seguida, Ir. Fransinete exibiu o filme de Santa Teresinha, baseado na História de Uma Alma.

Após o saboroso almoço, Beatriz e Fransinette dinamizaram o momento de lazer, descontraindo todas as presentes. Beatriz fez a dinâmica do mar bravio e tempestade, enquanto Ir. Fransinette organizou e coordenou o bingo, com perguntas sobre o filme de Santa Teresinha. Quem acertava, ganhava uma prenda. Foi uma ótima maneira de explorar o filme.

Ao retornarmos para o local, após uma música, tentei abordar um pouco o tema da vocação fundamental, específica, ligando com a vida de Santa Teresinha,, o Carmelo e nossa Congregação.

Encerramos o Encontro com uma pequena celebração e avaliação do mesmo, e todas assumiram estar presentes num próximo encontro, que já ficou definido para o último final de semana de janeiro de 2020. Vamos tentar trazer as três turmas, além de algumas que fizeram contato conosco, mas não puderam comparecer em nenhum Encontro, devido a compromissos e distância.

Ir. Osmira Gonçalves


Retiro CHRISTUS VIVIT

Nos dias 28 e 29 de setembro, aconteceu um grande encontro de jovens, motivado por alguns paroquianos e por Frei Arrineu, na Paróquia Nossa Senhora dos Anjos . Foi um retiro conduzido pela turma de postulantes capuchinhos, e contou com a colaboração de alguns paroquianos na cozinha, animação e organização. Embasados no Documento Pós-Sinodal sobre a Fé, os jovens e o discernimento vocacional, Christus Vivit, pudemos experimentar momentos fortes de oração, partilha, louvor e adoração. Ajudou-nos o clima leve e acolhedor proporcionado pelas Irmãs Carmelitas, com sua disponibilidade, acolhida e prontidão em colaborar com a evangelização e renovação da juventude em nossa cidade. A provocação dos Padres Sinodais e do Papa aos jovens e a todo o povo de Deus foi providencial para o momento em que se encontra a juventude da nossa Paróquia. Enfrentamos o desafio missionário de capacitar lideranças juvenis para levar formação catequética, espiritual e vivência comunitária às 44 comunidades que compõem o grande território da nossa Paróquia. A maioria é de comunidades rurais, distantes do centro, e com difícil acesso às atividades que temos na Matriz. O Papa nos convida a termos um olhar atento a todos os jovens, ao desafios enfrentados por eles na atualidade, e insiste na necessidade de avançarmos no relacionamento com o Senhor nosso Deus – o Único que pode corresponder plenamente às angústias próprias da juventude. De uma simples reflexão sobre um Documento Pontifício, surgiu a proposta de levar adiante, de inserir na agenda do Setor Juventude este retiro, como um primeiro momento da capacitação dos jovens, como missionários em sua própria terra, e animadores da cristandade, sendo instrumentos de evangelização e pessoas que querem crescer na fé, esperança e caridade. Os jovens agradecem de coração o local oferecido para esses encontros.

 

Comunidade "Nossa Senhora dos Anjos"

Itambacuri/MG


“DA MANJEDOURA À CRUZ”

Nos dias 10 a 16 de setembro, 2019 vivenciamos, em São João Del Rei um Retiro Carmelitano, orientado pela nossa Irmã Liza Helena Ramos.  Com muita simplicidade, profundidade, dinamismo e criatividade, Ir. Liza nos ajudou a avaliar e aprofundar nossa vivência consagrada de Carmelitas da Divina Providência. Tomou como ponto de partida a fábula das três árvores que possuem grandes sonhos e estes vão se realizar muito além do que elas poderiam imaginar. Assim, fez-nos mergulhar nos sonhos que tínhamos antes de entrar na Congregação, e avaliar como os temos vivenciado até agora.

Finalmente, fomos convidadas a reviver a experiência da Ressurreição de Jesus. Como é que nós a vivemos, pois, somos responsáveis para que nossa vida seja um tempo de ressurreição.  A partir do texto da videira, fomos questionadas sobre nossa vida de oração e sobre nossa maneira de aproveitarmos as oportunidades que temos como Carmelitas da Divina Providência, Estas reflexões foram encerradas com um convite á santidade. Felicidade que Jesus propôs, outrora, aos seus discípulos na montanha e, hoje, propõe a cada uma de nós: as bem- aventuranças.

Participamos desse Retiro: Irmãs das comunidades de São João Del Rei, Itambacuri, Olinda, Betim, Barbacena e Caririaçu.

Por tudo, damos graças a Deus! Agradecemos à nossa Irmã Imaculada Resende, nossa Superiora Geral, que promoveu estes dias de oração e aprofundamento, com a orientação da Ir. Liza Helena, que foi instrumento nas mãos de Deus. Às Irmãs da Comunidade de São João Del Rei, nossa gratidão pela acolhida fraterna.

“Que possamos construir a verdadeira felicidade, aquela que ninguém pode tirar. Sonhar com um mundo melhor, abrir mão de nossos direitos, e doar a vida pelos outros”. (Ir. Liza Helena)

Irmã Viviana Beatriz Porra


4º CONGRESSO VOCACIONAL DO BRASIL

Participaram do 4º Congresso Vocacional do Brasil, as Irmãs Liene Gomes e Célia Maciel, ocorrido nos dias 05 a 08 de Setembro p.p., no Santuário de Nossa Senhora Aparecida – SP, éramos cerca de 700 participantes: Sacerdotes, Religiosos/as, Diáconos Permanentes, Novas Formas de Vida Consagrada, Seminaristas, Casais. O tema: Vocação e Discernimento. Lema: “Mostra-me os teus caminhos” (Sl25,4).

O evento foi promovido pela CNBB, em parceria com CRB Nacional. Vivemos num clima de Pentecostes, com muita abertura, alegria e participação mesclada de compromisso e esperança. Fez-se  presente a Irmã Maria Inês Vieira Ribeiro, mad, Presidente da CRB Nacional. Também marcaram presença Bispos de todo Brasil; uns permaneceram por mais tempo, quanto outros tiveram que retornar logo às suas Dioceses.

A Celebração Eucarística de abertura foi presidida por Dom Walmor Olivera de Azevedo, Arcebispo de Belo Horizonte e Presidente da CNBB, que, em sua homilia, clamou alto e de bom tom: “A hora é agora. Deixemos para trás tudo que não edifica a nossa missão: comodismo, desânimo, desilusão, e entremos na barca de Jesus, para remarmos junto com Ele que foi, e continua sendo: coragem, determinação, confiança, coerência, permanecendo fiel ao cumprimento do Projeto do Pai”. Disse também que o esforço é nosso, mas a graça é de Deus. Desejou-nos  dias leves, mas com o coração aberto, para que sejamos, melhores e ajudemos os adolescentes e jovens a descobrir os seus caminhos.

Como eixo central, o Congresso percorreu o seguinte caminho: Palestras proferidas pelos sacerdotes: Padre Ângelo Mezzari, rcj que discorreu sobre o tema da Caminhada Vocacional do Brasil, e o Padre  Amedeo Cencini, fdcc que refletiu sobre Vocação e Discernimento. Ele afirmou que a boa Pastoral Vocacional é aquela que se dirige aos adolescentes e jovens, para ajuda-los a descobrir o sentido  da vida, e o projeto que Deus tem para cada um e cada uma.

     No decorrer da sua fala, mereceram destaque, os seguintes pontos:

  1. Lugar Psicológico: Na busca de sentido; Cada geração é jovem à sua maneira, e os jovens são o meio pelo qual a sociedade experimenta o mundo em mudança,  e responde aos desafios dessa mudança;
  2. Lugar Teológico: Os jovens são o caminho pelo qual a Igreja encontra os motivos novos da fé, em tempos novos;
  3. Lugar Sociológico: Constata-se o  fim do Cristianismo tradicional, aquele transmitido de geração em geração. Os jovens de hoje são a primeira geração incrédula. Estamos diante de uma crise  do Cristianismo tradicional. Teremos um Cristianismo por opção, pois segundo Tertuliano, Não se nasce cristão, se torna. Disse também que Deus é o eternamente chamante, chama porque ama, e aos que ama e chama, os envia em missão.

Além dos dois temas que nortearam o Congresso, tivemos trabalhos em grupos, para discutir os desafios e as dificuldades presentes na Igreja, em âmbito de: Seminários, Vida Religiosa Consagrada, Novas Formas de Vida, Família etc..., e oficinas diversas, que trouxeram à tona questionamentos, angústias, preocupações. O assessor atuou de uma forma aberta e democrática, conseguindo envolver a todos na discussão dos temas.

O Congresso foi concluído com um Show em homenagem ao Padre Zezinho, pela sua vida doada à Evangelização, cantando e levando sua mensagem de paz por todas as  regiões do Brasil.

 

                                                                                              Irmã Célia Maciel


Retiro Carmelitano e Bodas

Em clima de silenciosa paz e alegres fisionomias, aconteceu, dos dias 31 de julho a 07 e agosto, o Retiro Carmelitano, com a comemoração do jubileu de várias Irmãs. Algumas Jubiladas, por motivos relevantes, não puderam comparecer, mas foram lembradas com orações e estiveram presentes nos corações de todas as participantes.

O pregador, Frei José Roberval, carmelita, com notável simplicidade, foi nos conduzindo à meditação e revisão da nossa caminhada, no seguimento de Jesus Cristo. A impressão que o pregador também causou foi de um professor, competente conhecedor dos textos bíblicos, alicerçando neles a espiritualidade. Para alguns espaços do dia, Frei Roberval oferecia-nos, em capítulos, a fábula “O Dilema do Cavaleiro”, história sobre o relacionamento humano e autoconhecimento.

Irmã Maria Imaculada Resende, nossa Superiora Geral, foi presença forte e constante, em todos os momentos.

Como muitos (as) conhecem, o ambiente do Seminário da Floresta é gratificante pela exuberância da natureza, o que facilita a oração e o louvor a Deus pela vida.

Nossos dias de oração e meditação foram encerrados com missa festiva, não faltando a presença harmoniosa do violão da Irmã Emília Alves Pereira, o que não pode deixar de acontecer em nossas celebrações.

Para a celebração Eucarística, tivemos a presença de Irmãs que compareceram, a fim de tornar o evento mais fraterno e alegre. Irmã Júlia veio também, para, com seu teclado, animar, juntamente com Irmã Emília, os cânticos das celebrações.

Irmã Imaculada finalizou o Retiro apresentando amplos agradecimentos ao Frei Roberval e a todas as presentes.

Por mais esta oportunidade de celebrarmos a vida de nossas Irmãs Jubiladas e nos reencontrarmos, envolvendo várias comunidades, rendemos Graças a Deus.

Foi tudo muito bom! De modo especial, tivemos, no Frei Roberval, um pregador objetivo, alegre, oferecendo-nos orientações práticas, muito necessárias.

Partimos de mais um Retiro para a vivência e a prática, com a graça de Deus e a proteção de Nossa Senhora do Carmo.

Irmã Dahlia


Celebração do Profeta Elias

Celebramos, no dia 20 de julho, o Profeta Elias, um dos inspiradores da Ordem do Carmo que, com Maria, ilumina os nossos passos no seguimento de Cristo. Assim, concluímos, com alegria, este tempo festivo do Carmelo em comunhão com nossas Irmãs.

Depois de conhecermos mais sobre a história de Elias em nossos estudos do Aspirantado, atendendo ao pedido da Irmã Liza Helena, nos preparamos para realizar um momento de espiritualidade eliana com o povo, em que buscamos transmitir, de forma dinâmica, ilustrativa e orante, as experiências do profeta e a missão que realizou por obediência e amor a Deus.

Através de cenários, que retratavam os principais lugares por onde Elias passou, partilhamos com a comunidade sobre a sua luta pela causa de Deus, em favor do povo para que se firmasse novamente na fé.

Em seguida, refletimos sobre os valores e ensinamentos deixados pelo Profeta, e, assim, fizemos um momento orante, elevando nossos pedidos a Deus e a Nossa Mãe Maria. Finalizamos a celebração com doação de prendas, agradecimento pelas doações recebidas durante a novena, e com a descida do estandarte de Nossa Senhora do Carmo.

Essa experiência enriqueceu nossa caminhada de discernimento, pois, nos ajudou a compreender melhor a espiritualidade eliana, para vivenciarmos o carisma da Congregação: “servir a Deus, aos pobres e aos enfermos”. Além disso, percebemos a fraternidade carmelitana durante a preparação da celebração, pelo incentivo, pela ajuda das Irmãs e, também, pela proximidade que tivemos com a comunidade de fé, que participou alegre e ativamente conosco.

Somos gratas ao Senhor por todas as oportunidades de amadurecimento nesse tempo de formação. Agradecemos a nossa Comunidade, que nos acompanha e ajuda, e a todas as Irmãs, pelas orações.

Nas mãos de Maria ofertamos nossas vidas, e pedimos a sua intercessão pela Congregação, para que continue realizando sua missão.

Aspirantes: Gislane Araújo e Naiara Reis

                                                                                                     


CELEBRANDO NO CARMELO COMO “BATIZADOS E ENVIADOS”

Em Marimbá, as comemorações já começaram em junho! Numa reunião, em fervente clima Carmelitano, no dia 17 com 42 agentes de pastoral, lançamos o apelo: preparar e celebrar a festa de NOSSA SENHORA DO CARMO, padroeira do Carmelo e de Betim, com sabor missionário, antecipando o Mês Missionário solicitado pelo Papa Francisco.

            Acolhida a Programação com entusiasmo e responsabilidade, a Missão teve início no dia 28, com visitas missionárias dos oito Grupos de Reflexão, levando o pequeno Oratório com a imagem de Nossa Senhora do Carmo, a casas com famílias e pessoas necessitadas de conforto, presença e oração.

            No dia 6 de julho iniciamos a novena, solenizada pela Fraternidade de Carmelitas Leigos: hasteamento do estandarte de Nossa Senhora Estrela do Mar, fogos, cantos, muita emoção e... pipocas.

            Durante os nove dias, tivemos a graça de participar de Celebrações Eucarísticas, zelosamente preparadas pelas várias pastorais da Comunidade, com homilias – verdadeiras catequeses missionárias - a partir do tema da novena “Batizados e enviados: A Igreja de Cristo em missão, com a Virgem do Carmelo em seu louvor profético.”

O tema de cada dia: um versículo do Cântico de Nossa Senhora (Lc 1, 47-55) – inspirou as homílias dos sacerdotes e as intenções do dia, também expressas nas preces da Comunidade.

            Muitas doações: 265 – cerca de 300 quilos de generosidade do nosso povo que, da sua reduzida despensa, partilhou, para ser entregue a outras despensas mais desprovidas!

Também guloseimas foram oferecidas por Carmelitas Leigos e por alguns grupos. E ainda, caldos, arroz doce, canjica, foram gratuitamente partilhados por amigos, aquecendo ainda mais as frias noites de julho.

            O dia 15, bem dentro do espírito carmelita, foi chamado “recolhimento missionário”: as famílias levaram a oração da Novena para rezar na própria casa ou na casa de vizinhos, com o convite para a Missa do dia 16.

            A festa foi o coroamento dessa caminhada. Bela, simples, solene, piedosa! Foi alegre e fraternalmente presidida por Frei José Roberto, o Franciscano que celebra semanalmente conosco. Foi concelebrada por nosso pároco Padre Adilson. Uma recordação da história e da espiritualidade carmelitana, carinhosamente preparada, compôs a homilia de Frei José Roberto.

            Após a renovação dos nossos votos, cada representante de movimento, pastoral ou serviço religioso, desde o pároco, foi convidado a fazer seu compromisso missionário, com a oferta de um chinelo. Em seguida, ao canto da “Flor do Carmelo”, as aspirantes piedosamente coroaram a imagem da nossa Estrela do Mar. Carmelitinhas jogaram flores!

            Não faltou o saboroso e tradicional lanche oferecido pela Fraternidade de Carmelitas Leigos para todos, acrescido da “sobremesa” – a torta de Adriano e Cristina. Tanta Gratuidade! Tanta Festa! Tanta alegria, foi ainda somada a bela e catequética celebração do Profeta Elias, no dia 20, preparada e conduzida pelas aspirantes e encerrada com o arriamento do estandarte da Mãe do Carmelo.

                                    “Ser Carmelita:

                                   Eis a nossa essência.

                                   Confiar sempre

                                   No Deus Providência”!

Comunidade Jesus Maria e José de Marimbá – Betim/MG


Encontro de Superioras e Ecônomas Locais

“Um aspecto fundamental para promover os pobres está na maneira como o vemos. Não serve um olhar ideológico que acaba usando os pobres.”

 

Aconteceu no Carit, Rio de Janeiro, nos dias 24 a 28 de junho o Encontro de Superioras e Ecônomas das comunidades locais, espalhadas pelo nosso Brasil. O tema abordado foi: Animação e Administração das Comunidades, em vista de uma vivência autêntica dos votos. Foi nosso primeiro Encontro depois da unificação acontecida em nosso Capítulo Geral, realizado em janeiro deste ano. Este encontro foi muito esperado por todas nós e a alegria do reencontro com as comunidades representadas por suas Superioras e Ecônomas, fez o coração arder de alegria e bater em ritmo descompassado, por estarmos novamente pensando juntas a nova caminhada das Irmãs Carmelitas da Divina Providência. Foram muitos anos, tendo os mesmos objetivos, mas em caminhadas e rumos diferentes. Nunca se perdeu o sentido do todo, da unidade, da pertença, mas cada qual foi adquirindo um jeito próprio de viver o Ser Carmelita, de acordo com os rumos tomados por cada Província e/ou Regional. Agora, somos novamente um único grupo, movido pela busca de novos horizontes.

Os primeiros dias foram assessorados pelo Padre Rhawy Chagas Ramos. Ele nos ajudou a aprofundar o verdadeiro sentido da vivência dos votos, em vista de uma experiência mais profunda com Jesus Cristo, na pessoa dos irmãos mais necessitados e que vivem à margem de uma sociedade, cada vez mais individualista e descartável, onde o outro não é mais visto. Onde o pobre se tornou um ser invisível para a grande maioria. Aí, entra a missão da Vida Consagrada, viver o verdadeiro “desapego, na luta diária contra a miséria, aliviando, encorajando e ajudando o mais possível, o nosso irmão e irmã que está neste difícil estado de miserabilidade”.

Nos demais dias, o Governo Geral e seu Conselho, nos ajudou a relembrar a nossa vivência no cotidiano da vida, através da administração dos bens. Somos responsáveis pelo seu gerenciamento, dentro dos critérios evangélicos. Repassou e simulou com a Assembléia, os meios utilizados para a prestação de contas e previsão orçamentária anual de cada Comunidade. Também, nossa Irmã Júlia Antônia dos Passos, responsável pelo Departamento  de Pessoal, salientou a necessidade de atenção redobrada e os cuidados que devemos ter com relação às datas, os preenchimentos dos documentos, envio de atestados, pois é um setor delicado e complexo. A nossa Superiora Geral, Irmã Maria Imaculada Rezende Pereira, nos informou sobre a situação do patrimônio imobiliário da Congregação, principalmente sobre aqueles que estão desocupados ou nas mãos de terceiros. Também foram assuntos da pauta, as várias equipes formadas, tendo em vista o Planejamento do Sexênio e a realização das Metas Capitulares. Estas equipes já tiveram um primeiro encontro, mas ainda estão sendo ampliadas para, então, iniciarem os trabalhos. Irmã Imaculada, nos lembrou da importância da participação de cada Irmã nos vários serviços, pois a Congregação somos todas nós. O Governo

Geral não existe sozinho e que, as Superioras das Comunidades são de suma importância para a realização das atividades, são as porta-vozes do Governo e as profetizas da esperança para cada uma das Irmãs a elas confiadas.

O nosso último dia de encontro foi iniciado como todos os demais dias, com o momento orante, porém, neste dia, tivemos a grata surpresa de rezar com uma jovem que evangeliza através das atividades com o tecido acrobático. A jovem Polyana nos levou a rezar as sete moradas de Santa Teresa, através de sua acrobacia. Foi um momento bastante significativo, pois nos levou a refletir também, sobre a forma, o jeito e a linguagem que os jovens utilizam e se identificam na evangelização. Nesta mesma manhã, fizemos a avaliação do Encontro e demos sugestões para o próximo encontro, para o Planejamento do Sexênio e para a Celebração dos 120 anos da Congregação. Encerrou-se o Encontro, pedindo as bênçãos de Nossa Mãe, Irmã, e companheira de caminhada, Nossa Senhora do Carmo, e de nossa querida Madre Fundadora, Madre Maria das Neves.

 

 Irmã Maria de Fátima de Carvalho


Retornando ao Brasil - Sentimento de alegria e gratidão

Após três anos e meio, eu, Irmã Ana Mary, tive a alegria de terminar oCurso de Formação Humana Integral, no Instituto IFHIM,em Montréal - Canadá. Foi uma experiência muito rica, onde convivi com pessoas dos cinco continentes, sendo na maioria do continente Africano.

 

No dia primeiro de junho de 2019, retornei ao Brasil com um aprendizado que me possibilita servir a Congregação, realizar trabalhos com pessoas e grupos, seja na comunidade religiosa, paróquias, outros espaços e situações diversas, com objetivo de ajuda-las a descobrir o melhor de si, seus valores, suas capacidades, para que possam juntas "construir pontes de paz", a partir de gestos concretos vividos no dia a dia e de decisões simples que contribuirá para a sua paz e das pessoas próximas. Tudo isso estando atenta a gestão das emoções, energias e respeito ao outro. Sintetizando, viver a paz consigo mesmo e com o outro, seria optar por viver a regra de ouro e buscar os meios necessários para colocá-la em prática: "Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam assim, fazei-o vós também a eles". Eu só posso fazer o bem e respeitar o outro se, primeiro, sou capaz de fazer algo bom para mim.

 

Agradeço a Deus, sempre presente em minha vida, ajudando-me a vencer os desafios. Ao Governo Geral, na pessoa da Irmã Dazir, pela oportunidade e confiança em fazer tão rica experiência. Ao Governo atual, na pessoa da Irmã Maria Imaculada Resende Pereira, a fraterna acolhida, favorecendo minha readaptação. A cada Irmã que me acompanhou com suas orações e outras formas de presença durante esse período de formação

 

Irmã Ana Mary Neves


“Deus é Amor, arrisquemos viver por Amor! Deus é Amor, ele afasta o medo!”

Nesta confiança, nossa Comunidade – Noviciado Nossa Senhora do Carmo segue com muito ardor sua missão formativa.  Os estudos foram bem intensos e profundos e para bem aprofundá-los contamos com generosas colaborações. Assim, Ir. Marlene Frinhani introduziu o estudo sobre nossas Constituições, momento muito rico, pois na sua didática, Ir. Marlene nos leva a experimentar o desejo de viver a consagração como Carmelita da Divina Providência. Também, Ir. Nieves Fonseca – Carmelita Missionária nos auxiliou com o estudo sobre Santa Teresa de Jesus, ajudando-me a aprofundar os três pilares da nossa Espiritualidade:  Contemplação, Fraternidade e Serviço, dentro da história desta Santa Doutora da Igreja. E, com muito entusiasmo, Francis Paulina – Carmelita Leiga refletiu conosco sobre a Espiritualidade Carmelitana, seguindo o modelo do Profeta Elias e da Virgem Maria, nossa Mãe, Irmã e Mestra. No Novinter, nós os noviços (as), tivemos a graça de meditar sobre Consciência Moral e Crítica, Cristologia e Mariologia. Assuntos, por sinal, bem complexos para a vivência nos tempos atuais.

 

Ilustrando com a vida, partilho algumas experiências vivenciadas na Missão de cada dia. Aqui em Viçosa/MG, no mês de Maio, com muita dedicação, o povo celebrou jubilosamente a Novena e Festa de Santa Rita de Cássia, padroeira da cidade. Nesse ano, a novena teve por tema: “A Juventude no centro do olhar da Igreja”, proporcionando-nos a reflexão sobre a atuação do jovem na Igreja. E, por falar em juventude, no dia 9 de Junho, Irmã Rita de Cássia Silva, Mestra de Noviças e eu Noviça Beatriz, participamos de um Encontro Vocacional na Comunidade ‘Santa Teresa de Jesus’, em Barbacena/MG. Contamos com a presença de duas jovens, Karina Meneghin e Paula Faustino. Nesse encontro, foram tratados os temas: Vocação, partindo do chamado de Moisés e Espiritualidade Carmelitana.  Para moldar esse quadro da vida, tive a honra de participar do Tríduo preparatório dos Votos Perpétuos da Irmã Lucenir Fernandes. Momento marcado pela força do sentido de pertença que cada Irmã possui por nossa Família Religiosa. No ambiente havia um esforço muito grande para que, tudo corresse bem afim de que, nossa Irmã Lucenir saboreasse sua Consagração definitiva sabendo que suas Irmãs estavam unidas a ela pela oração e pela presença fraterna.

 

Que alegria crescer neste espaço tão propício para nossa formação religiosa!  Sabemos que as dificuldades existem, mas acima delas há o Amor de Deus a quem nos Consagramos para sempre. Continuemos unidas em Oração, pois é por ela que alcançaremos a Perfeição da Vida.

              Noviça Beatriz Marques


Votos Perpétuos

A nossa comunidade, Ir. Tereza de Jesus, com alegria e fraternidade, acompanhou com orações e apoio toda a preparação da Ir. Lucenir, para concretizar nos seus votos perpétuos o seu sim definitivo no seguimento de Jesus Cristo, na Congregação das Irmãs Carmelitas da Divina Providência.

A comunidade pode testemunhar que a graça e a fidelidade de Deus não lhe faltaram, em momento algum, na abertura do seu coração, para acolher e responder o seu sim, com generosidade e amor.

Três dias que antecederam o grande dia 16 de Junho, festa da Santíssima Trindade, escolhido por ela, aconteceu um Tríduo Vocacional, com a presença de nossas Irmãs, a noviça Beatriz, aspirantes e vocacionadas que, com entusiasmo e alegria, puseram os pés e os corações a caminho e percorreram algumas comunidades da Paróquia de Santa Rita com visitas, catequese e escuta.

Padre Jorge Luiz Passon, sempre presente, celebrando a Eucaristia, nas três noites, muito nos apoiou. Após o Evangelho nossas Irmãs Osmira, Alenir e Tereza Cristina, falaram bonito,  com entusiasmo sobre a vida religiosa consagrada, agradando a todos os presentes.

O dia 16, ás 10 horas, no Santuário de Santa Rita, aconteceu o momento mais sublime e gratificante: a celebração Eucarística, presidida por D. Geovane Luiz da Silva, bispo auxiliar de Belo Horizonte e concelebrantes: Padre Jorge Passon, pároco do Santuário de Santa Rita, Padre João Batista, vigário e Padre José Carlos, grande amigo da Congregação.

Toda a liturgia, com a participação das Irmãs a partir da entrada, com os quadros de nossa Fundadora Madre Maria das Neves e Madre Bernadete, Irmã Lucenir com a sua mãe, senhora Maria Abadia (D. Lia), Irmã Maria Imaculada Resende Pereira, Superiora Geral. Todo o cerimonial com Dom Geovane e os sacerdotes concelebrantes acima sitados.

O coral dos Irmãos do Santíssimo Sacramento abrilhantou toda a celebração, cantaram bonito com músicas bem escolhidas para o momento.

A palavra de Dom Geovane, com sua reflexão clara e precisa, revelou para nós todo amor à Santíssima Trindade, cuja festa estávamos celebrando.

Fomos gerados pelo Pai, pelo Filho e pelo Espírito Santo e, a eles devemos adorar, amar e glorificar, grande mistério que deve envolver todo o nosso SER, e nós religiosas, devemos estar em sintonia e em comunhão constante com a Trindade, cultivando o dom da Esperança porque é ela que nos empurra para a frente, nos faz felizes e nos ajuda a realizar, no dia a dia, o serviço de Jesus a nós confiado, em nossa missão, onde quer que estejamos.

O momento da celebração dos votos pronunciados pela Irmã Lucenir, com toda força e amor do seu coração, teve a acolhida da Irmã Imaculada Rezende, Superiora Geral; emocionou também nossos corações, renovando a nossa opção, o nosso sim.

No final, Irmã Lucenir agradeceu a todos, à Congregação e, em especial, a Deus o dom de sua vocação como consagrada Carmelita da Divina Providência.

          Ir. Maria Auxiliadora Fernandes 


Encontro Vocacional

No dia 09 de junho de 2019, foi realizado um encontro na cidade de Barbacena - MG, organizado pelas Irmãs Carmelitas da Divina Providência (Irmã Graça Fernandes, Irmã Rita de Cássia Silva, e a noviça Beatriz Marques Dias). Participaram do encontro as jovens Karina Meneghin e Paula.

 

Iniciamos o encontro com a oração do texto de Moises, logo após as Irmãs falarem sobre a espiritualidade Carmelitana. Tudo começou no Monte Carmelo, na Palestina, com a inspiração do profeta Elias e presença materna da Virgem Maria.

 

 Elias é um homem do deserto, de coração indiviso, que está diante de Deus mediante a uma conversão contínua, buscando o rosto do Deus vivo na contemplação das Sagradas Escrituras. Vivia um ideal profético de justiça,  paz, solidariedade e fraternidade.  O exemplo de doação generosa e gratuita de Maria, nossa Mãe, nos leva ao seu filho Jesus.

Para nós, foi significativo este encontro no deserto com Elias, Maria e também, com a fundadora Madre Maria das Neves – mulher corajosa e de fé em Deus Providente. Através do seu sim aos apelos de Deus, nasceu a Congregação das Irmãs Carmelitas da Divina Providência.

 

Com a graça de Deus, buscamos estar atentas aos sinais de Deus como o Profeta Elias que, através de uma pequena nuvem, percebeu a Graça do Pai que trouxe esperança ao povo sofrido. 

 

O encontro foi para mim um tempo de graça, benção e descoberta, no qual pela Luz do Divino Espírito pude conhecer um pouco sobre a espiritualidade e carisma carmelitano: despojamento, recolhimento, entrega, fraternidade, viver em comunhão com Deus e com os irmãos). Coragem foi um ponto que me chamou a atenção e tocou meu coração. Com simplicidade, Deus se manifesta e nos revela a Sua vontade, a missão que Ele tem para nós, trazendo-nos para mais perto de Si. Quanto a nós, cabe termos coragem e abertura de coração para acolhermos o Seu amor, a sua misericórdia, o seu projeto para que, como Maria, a Flor do Carmelo, possamos dizer:

 

“Eis aqui a serva do Senhor! Faça-se, em mim, segundo a Tua Palavra."

 

Agradecemos este rico encontro, promovido pelas Irmãs Carmelitas da Divina Providência, que nos ajudou com este despertar vocacional.

 

Vocacionadas Karina Meneghin e Paula Faustino.


Retiro Carmelitano para Educadores

Aconteceu nos dias 31 de maio, 01 e 02 de junho de 2019, mais um Retiro Carmelitano para educadores, na Casa de Retiro, Seminário da Floresta em Juiz de Fora, Minas Gerais.

Estivemos unidos em oração e bem acompanhados do querido e disponível Frei Cléber dos Santos, OCD, que muito nos fez refletir com suas palavras inspiradas no Espírito Santo de Deus. Através de seus ensinamentos e testemunhos foi capaz, de com total suavidade em seu falar, despertar em nós o desejo de amar, simplesmente porque amar é bom, como nos disse sabiamente. Nos fez viajar e meditar em passagens bíblicas que só contribuíram para nosso enriquecimento como educadores carmelitanos. Conduziu-nos percorrendo o caminho da herança que nos foi deixado por Cristo, a Palavra do Pai. Quanta riqueza!

Compartilhamos, nesses três dias, momentos muito fortes, intensos de ensinamentos e tivemos muitas oportunidades de meditar a Palavra de Nosso Senhor, onde buscamos autoconhecimento e maior proximidade com Jesus e com aquilo que Ele espera de nós. Momentos de questionamentos, de graça, de emoção profunda, alegria e busca coletiva para sermos melhores criaturas  em nossas vidas e  em nossas vocações.

No silêncio, nos encontramos nos braços do Pai.

Quantos cuidados conosco!

Cada detalhe da organização mostrou o verdadeiro carisma carmelitano: acolhimento, carinho, alegria, capricho e seriedade em servir. Um verdadeiro transbordamento de amor para com o próximo. O tempo passou e nem percebemos. Muita riqueza encontramos nesse evento que esperamos acontecer com o coração cheio de esperança. Amor e gratidão são os sentimentos  que nós, educadores, temos  por  esta Congregação que providencia para seus colaboradores não só um momento de formação, mas  momentos  de crescimento pessoal e  espiritual.

Nesses três dias especiais fomos conduzidos, abraçados e amparados em um grande espaço, que é o lindo Seminário da Floresta. E como flores que procuram a luz, voltamos para casa imbuídos e com a grande vontade de florescer  e renascer onde Deus nos plantou.

                            G R A T I D Ã O!

 

                    Profª.  Charlott Christine Rodrigues

             Colégio Carmo- Teresópolis


IV semana de formação missionária sobre envelhecimento humano

"É preciso que o Idoso sonhe para que o jovem tenha visão". Papa Francisco

 

Aconteceu nos dias  dias 13 a 17 p.p no Centro Cultural Missionário(CCM) em Brasília a VI semana de formação missionária com o tema: a Sabedoria das Idades é luz para o nosso testemunho e serviço.

O encontro teve como objetivo oferecer aos participantes algumas ideias de como podemos resgatar a sabedoria das idades, valorizando o que cada um tem de mais sagrado, construído ao longo de sua historia. Também na oportunidade foi lançado o livro: Sabedoria das Idades de autoria do Papa Francisco, coordenado pela equipe de jornalista e sacerdotes Jesuítas, sob a direção do padre Espadaro ( SJ).

O livro é composto de cinco capítulos: Esperança, trabalho, luta, morte e amor. Fruto de uma pesquisa internacional ás pessoas idosas, cujas histórias são únicas e de diferentes classes e realidades.

No encontro éramos 37 participantes de diversas Congregações religiosas, assessorado por Dom Mauro Morelli- Bispo emérito de Duque de Caxias e Nova Iguaçu. Contamos também com a presença do padre Jaime- Diretor do CCM e Daniela- secretária da referida Instituição.

Dom Mauro, com sua experiência e sabedoria de vida, conseguiu transmitir conhecimentos sólidos e fundamentados na Palavra de Deus. Além do seu testemunho e exemplo de superação. Na sua fala deixou transparecer o desejo que o encontro fosse para cada um, uma descoberta pessoal e um despertar para o desejo de não se acomodar. Também motivou a todos a elaborar um projeto, onde a pessoa Idosa possa ocupar um lugar na Igreja e na Sociedade.

Agradecemos a Congregação a oportunidade de participar de mais este momento de formação e convivência.

 

Pelo grupo, Irmãs: Célia Maciel e Meiriane Rodrigues


Jogos das Escolas Católicas de Juiz de Fora

Entre os dias 20 e 24 de maio, aconteceu a primeira edição dos Jogos das Escolas Católicas de Juiz de Fora. Realizado pela Pastoral da Educação da Arquidiocese de Juiz de Fora, o evento foi criado como forma de integrar os alunos e os educadores das escolas católicas da cidade, além de promover a prática esportiva entre os jovens.

Em sua primeira edição, os Jogos reuniram alunos dos Oitavos e dos Nonos Anos, nascidos em 2005 e em 2006, de seis escolas: Colégio Academia, Colégio dos Jesuítas, Colégio Santa Catarina, Colégio dos Santos Anjos, Colégio Stella Matutina e o nosso Colégio. As modalidades disputadas foram handebol feminino e futsal masculino, e os jogos aconteceram nas quadras de algumas das instituições.

A cerimônia de abertura aconteceu no dia 20 de maio, no Colégio Santa Catarina, e contou com a presença dos coordenadores das seis escolas, além do Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, e do prefeito de Juiz de Fora, Antônio Almas. A Pastoral da Educação da Arquidiocese recolheu, no evento, alimentos não-perecíveis, que foram posteriormente doados para instituições de caridade da cidade.

A cerimônia de encerramento, que parabenizou todos pela participação e premiou os atletas ganhadores, também aconteceu no Colégio Santa Catarina, no dia 24 de maio. Nosso time de handebol feminino saiu invicto, conquistando a medalha de ouro. Estamos muito orgulhosos de todos os nossos atletas por suas vitórias e pelo espírito esportivo demonstrado durante todos os jogos.

 

Comunidade Educativa - Carmo/JF


Colégio Carmo de Cataguases participa do Congresso Bett Educar

A Irmã Alenir Pedrosa e a secretária Márcia Silva, representaram o Colégio Carmo na Bett Educar, maior evento de educação e tecnologia na América Latina. Realizado em São Paulo, este congresso reúne, anualmente, mais de 230 empresas nacionais e internacionais, mais de 19 startups do setor e cerca de 22.000 participantes da comunidade educacional de todos os estados brasileiros, que se encontram com o propósito de buscar inspiração, discutir o futuro da educação e o papel que a tecnologia e a inovação desempenham na formação de todos os educadores e estudantes.

“Construindo a Educação de que o Brasil precisa” foi o tema do Congresso Bett Educar deste ano, realizado do dia 14 a 17 de maio. A programação das palestras foi dividida em cinco eixos centrais: Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e a Reforma do Ensino Médio, Formação de Professores, Inclusão, Práticas de Sala de Aula e Gestão. Os macrotemas em destaque incluem assuntos atuais como a gestão de escolas dos novos tempos; a neurociência como aliada na aprendizagem; o pensamento computacional, tecnologia e cultura digital nos currículos de educação básica e como atrair e formar os jovens para as ciências da natureza.

Entre os mais de 190 palestrantes, participaram o educador Celso Antunes; o chefe de Educação da Unicef Brasil, Dr. Augusto Cury; o professor e pesquisador da Universidade de São Paulo (USP), José Moran e o professor da Universidade de Columbia (Nova York), Tucker Harding.

A participação neste congresso reflete a preocupação do Colégio Carmo em investir na formação continuada de seus profissionais, buscando aprimorar e desenvolver suas competências. Os conhecimentos adquiridos por nossas gestoras e professoras, tendem a ser compartilhados com toda comunidade educativa, desenvolvendo habilidades e melhorando o processo de ensino-aprendizagem.

                                                                                                       Prof. Magno Oliveira


CONGRESSO JOVEM CATÓLICO – Teresópolis/RJ
Aconteceu no dia 28/04/2019 o Congresso jovem da Igreja Católica, com o tema: “Eterna é a sua Misericórdia”. (Sl 117).
Estivemos presentes no Congresso Ir. Celia Maciel, Ir. Maria Eunice e eu com o nosso “Espaço Vocacional”. Deu-se inicio com um momento profundo de oração, reflexão, cantos de louvor e muita animação, conduzidos pelo animador da RCC (Renovação Carismática Católica).
Logo em seguida veio a 1ª Palestra com o Pe. Carlos Magno, coordenador da Juventude da Diocese, o qual chamou a atenção dos jovens para ver a quem eles estão seguindo nos dias de hoje. A colocação foi marcante e manteve os jovens concentrados durante todo o tempo da palestra.
Após o intervalo, foi convidado o Bispo Dom Gilson, da diocese de Nova Iguaçu/RJ, que falou com propriedade a respeito do recado que o Papa Francisco enviou para os jovens desse Congresso. “Tudo que Cristo toca fica jovem, pois Ele vive e te quer vivo” (Papa Francisco). 
A colocação de Dom Gilson tocou a juventude, pois ele foi na raiz dos problemas da maioria dos jovens: vida vazia, busca descontrolada de algo sem sentido e no desrespeito ao outro. Os jovens são o agora de Deus e é preciso abrir os olhos para a realidade do mundo que grita por socorro. Que os jovens procurem viver a humanização a exemplo de Jesus, busquem a Deus sem medo e acreditem n’Ele. Que se deixem tocar pela misericórdia de Deus. 
Dom Gregório Paixão, bispo da Diocese de Petrópolis, expôs o Santíssimo, proporcionando aos jovens mais um momento marcante de silencio e de adoração a Jesus Eucarístico.
Alegremo-nos com as jovens que nos procuraram para conversar, interessando-se pelo nosso material vocacional.
Por tudo demos graças!
Ir. Lusinete 
Teresópolis/RJ

DE MARIA DAS NEVES A SÃO JOSÉ “DA PROVIDÊNCIA”: DAR GRAÇAS PELA GRAÇA

A graça de, bem no início do mês de março, celebrarmos a Semana de Madre Maria das Neves, motivadas pela mensagem da nossa Superiora Geral Irmã Maria Imaculada Resende Pereira; no dia 02 o retrato da nossa Fundadora amanheceu entronizado na capela. E cada tarde dessa semana, depois das Vésperas, recordávamos passagens da sua vida, seus exemplos, sua memória. Nossas aspirantes participaram intensamente, mostrando-se já familiarizadas com a vida de nossa primeira Carmelita da Divina Providência. Cantando e rezando por sua intercessão, encerrávamos cada dia da sua abençoada Semana.

Nesse mês a quaresma veio nos interpelar desde a Quarta de Cinzas, abrindo a Campanha da Fraternidade que nos pede conversão em nome dos nossos mais desprotegidos irmãos. 

E o dia 13 abriu, em nossa Forania Nossa Senhora do Carmo, a temporada de Mutirões de Confissões. A nossa Casa foi escolhida para sediar o primeiro Mutirão de Confissões Paroquial. Nove sacerdotes, depois de uma abertura celebrativa, atenderam individualmente uma pequena multidão de fiéis. Graças, pelo misericordioso perdão celebrado, pedido e recebido!

Na noite seguinte – 14 – outra feliz experiência: fomos participar da primeira Celebração Eucarística da nova Comunidade nossa Paróquia: Comunidade Nossa Senhora de Fátima – no Alto do Cruzeiro. Presidida por nosso Pároco, Padre Adilson Leite, ele apresentou o Diácono Silvanir, indicado por nosso Arcebispo, Dom Walmor de Oliveira Azevedo, para assumir a nova Comunidade. Ele presidirá celebrações nas primeiras e terceiras quintas feiras do mês. E a cada dia 13 a Celebração Eucarística será celebrada por Padre Adilson. Louvamos a Deus pela graça dessa nova Comunidade que atenderá o povo do Alto Cruzeiro, tão necessitado da presença eclesial.

Março é mês de São José. Assim, o dia 19 marcou nossa Obra com a graça de uma festiva Celebração Eucarística em nossa capela repleta. Padre Ismael, filho da nossa Paróquia, veio presidir e nos brindou com uma sábia homilia. Membros do Coral alegraram a Celebração com os cantos da Missa de São José. Ao final, após a bênção, as já tradicionais lembrancinhas da Irmã Terezinha Rodrigues de Lima, oferecidas aos presentes oportunizaram ainda o sorteio de uma pequena imagem de São José que, placidamente dormindo (foi assim que recebeu a mensagem do Anjo do Senhor), bem poderia ser chamada de “São José da Divina Providência”:

 

Se vós, José, noivo de Maria,

Conseguistes dormir

Antes de partir,

Sem entender o mistério daquela que amavas,

Posso entender a fé gigante

Do vosso coração manso e confiante:

- “ Deus providenciará!

É dele a solução.

Descansa, pois, meu coração”.

 

Ensinai, pois, Santo Patrono,

Vossa santa ciência:

Dai-nos confiar em tudo e sempre

Na bondosa e fiel Divina Providência.

 

 

Obra São José

Marimbá – Betim/MG


Uma festa

Iniciamos nossas atividades de 2019 com o foco especial na história dos 60 anos do Centro Social Madre Maria das Neves antes, Instituto Madre Maria das Neves, Saquarema/RJ.

Comemorar uma data é, para nós, um tempo de gratidão e louvor. Foi isto que aconteceu neste tempo aqui em nossa casa. Era um só pensamento da equipe que procurou irradiar gratidão, alegria e agradecimento para as crianças e pessoas envolvidas nesta história.

A culminância foi dentro de dois momentos: No dia oito de março, data muito significativa para a família de Madre Maria das Neves, fizemos o lançamento do resumo da história do Centro Social Madre Maria das Neves. Abrilhantando esta noite tivemos bonitos depoimentos de ex-alunos e de pessoas que participam de nossa caminhada. Nesta oportunidade foi feita uma homenagem especial às Irmãs Maria de Lourdes Basílio e Irmã Maria de Santa Goreti.

No dia quinze (dia do aniversário), foi o grande louvor ao Pai com a Celebração Eucarística presidida por Dom Luiz Antônio Ricci, Bispo auxiliar da Diocese de Niterói/RJ, concelebrada por Dom Tarcísio Nascimento dos Santos, pelos padres: Pe. Rodrigo, nosso Pároco, Pe. Jorge, Pároco da Paróquia Santo Antônio de Bacaxá e Pe. Zito, nosso amigo. A Celebração teve também a participação ativa, alegre e expressiva das crianças. O nosso Governo Geral foi representado pelas Conselheiras Gerais Irmãs Maria Helena Lomeu e Meiriane Coelho Rodrigues e estiveram presentes também as Irmãs Maria Lília, Lúcia Domingues, Luzia Mendes, Marlene Valdevina e Júlia Passos. Como sempre, uma presença em massa do povo de nossa cidade.

Todos felizes por serem desta família e fazerem parte desta HISTORIA.

Comunidade “Mãe da Providência”

Saquarema/RJ

 


Abertura da Campanha da Fraternidade 2019

“Serás libertado pelo direito e pela justiça”

                No dia 11 de março, realizamos a Abertura da Campanha da Fraternidade 2019 em nosso Colégio. Todos os anos, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, a CNBB, apresenta a Campanha como um caminho de reflexão durante o período da Quaresma. Este ano o tema é Fraternidade e Políticas Públicas, e o profeta Isaías inspira o lema: “Serás libertado pelo direito e pela justiça”.

                No turno da manhã, os alunos do Ensino Fundamental II e os do Ensino Médio se reuniram no Anfiteatro Irmã Clotilde para a realização do Momento Cultural. A professora de Ensino Religioso, Aline Grunewald, conduziu a apresentação, com o auxílio da professora de Artes, Flávia de Paiva, do professor de Música, Elmir dos Santos, e do professor de Formação Humana e Cristã, Sandro Martins. Os alunos participaram na montagem do cartaz e na execução do hino da Campanha. Tivemos também a presença de alguns pais durante o Momento.

                No turno da tarde, a apresentação do Momento Cultural ficou a cargo dos alunos do Quinto Ano A. Com a orientação da professora da turma, Delriani Santos, da professora de Ensino Religioso, Tatiane Dias, e do professor de Música, Elmir dos Santos, as crianças explicaram o tema para seus colegas e responsáveis, através de exemplos de como a política pública afeta os cidadãos. A mensagem final deixada pela turma foi: “A Igreja quer ajudar as pessoas a conhecerem o seu papel na sociedade, participando efetivamente das ações que possam fortalecer a cidadania e o bem comum”. 

  

                                                                                   Colégio Nossa Senhora do Carmo 

                                                                                                            Juiz de Fora/MG


Dia de Madre Maria das Neves

O dia 08 de março é muito importante para o Colégio Nossa Senhora do Carmo. Além de celebrar o Dia Internacional da Mulher, a Família Carmelita comemora também o Dia de Madre Maria das Neves, fundadora da Congregação das Irmãs Carmelitas da Divina Providência. Para celebrar a data, a Professora Elisa Cristina da Costa, que leciona Ensino Religioso, preparou atividades com os alunos do Ensino Fundamental I e Educação Infantil. Com importante apoio da Irmã Arlette Lousada, vice-diretora do CARMO, ela contou a história da religiosa para as crianças, que conheceram mais a fundo a vida da senhora Rita de Cássia Aguiar, que posteriormente tornou-se Maria das Neves, nome que recebeu ao ingressar para a vida consagrada. Os primeiros passos da Congregação até os dias atuais foram contados para os alunos. Ao final de cada narrativa, foram sorteados entre os educandos o livro: “Madre Maria das Neves – A pequena estrela que não quis brilhar”, escrito pela Irmã Sebastiana Pereira Pires. Para as crianças da Educação Infantil, a narrativa aconteceu na capela do Colégio.

 

 

Ainda nas comemorações, a Escola ganhou murais e decoração inspirados na vida de Madre Maria das Neves. Na Educação Infantil, a Fundadora ganhou destaque ao lado de mamães, titias, ‘dindas’ e vovós, homenageadas pelo Dia Internacional da Mulher. Madre Maria das Neves ganhou destaque em vários espaços da Escola.

 

            André Oliveira

Jornalista - Carmo

Teresópolis - RJ


Inicio do Ano Canônico do Noviciado de Beatriz

“É feliz quem a Deus se confia!” (Sl 1)

Foi com esta confiança em Deus e na sua infinita misericórdia, que no dia 7 de março de 2019 iniciei o Noviciado Canônico na Congregação das Irmãs Carmelitas da Divina Providência.

Esse dia foi marcado por uma profunda Celebração Eucarística presidida por Pe. Paulo Dionê Quintão, Pároco do Santuário Santa Rita de Cássia, em Viçosa/MG. Na homilia ele nos ajudou a perceber que sendo fiéis no chamado, e trilhando com fé o caminho de Jesus, assumindo a cada dia as dificuldades como via de santificação, seremos felizes e realizados.

 Continuou sua reflexão aprofundando nossa Espiritualidade, afirmando ser ela o “Plano de Voo” da minha resposta, ou seja, dentre tantas Congregações eu escolhi, pela graça divina, ser Carmelita da Divina Providência. Para isso, é necessário sempre voltar à fonte, aprofundar, experimentar e escutar Deus que me fala através do nosso Carisma e Espiritualidade. Concluindo sua fala Pe. Paulo nos propôs o canto: “há um barco esquecido na Praia”, nos lembrando das renúncias que o Seguimento a Cristo implica e também os ganhos dessa doação: “quem perder a sua vida por causa de mim, esse a salvará” (Lc 9, 24b).

Agradeço a Deus a felicidade de receber pelas mãos da Irmã Maria Imaculada Resende Pereira, Superiora Geral, as Constituições e o Diretório Geral da Congregação. Esse foi um momento marcante de minha formação, pois agora, com a graça do Pai, avançarei para águas mais profundas: Ser Carmelita da Divina Providência.

 

Com a graça de Deus, desejo viver este novo tempo atenta, disponível e aberta para aprofundar as dimensões da consagração como Carmelita e buscar a cada dia crescer minha pertença à Família de Madre Maria das Neves. Que na simplicidade e na alegria eu possa responder fielmente ao chamado do Senhor.

“Aê, Aê, com Maria eu vou: subindo o Carmelo e louvando o Senhor!”

 

Noviça Beatriz Marques Dias


Nos passos de Jesus rumo ao Monte Carmelo!

Dos dias 17 a 20 de Fevereiro nossa Comunidade – Noviciado Nossa Senhora do Carmo participou comigo do Retiro em preparação para minha entrada no Noviciado Canônico. Nosso retiro foi preparado com muito carinho pela Irmã Nieves Fonseca, que veio acompanhada de Irmã Lady, ambas Carmelitas Missionária.

Com o tema: “Nos passos de Jesus rumo ao Monte Carmelo” fomos saboreando a presença do Senhor nos convidando a ‘avançar para águas mais profundas’. Nossos dias no deserto interior nos levaram a contemplar o Amor Gratuito e Generoso de Jesus, seu olhar misericordioso sobre nós e nossos irmãos, onde somos acolhidos e recebidos novamente nos braços do Pai. “...este meu Filho estava morto e voltou a viver, estava perdido e foi encontrado...” (Lc 15, 24). Cada vez mais mergulhadas em Deus, examinamos nossas motivações para assumir o Seguimento de Jesus no mundo de hoje, que implica muitas renúncias, abandono, olhar atento, coração amoroso e misericordioso, pois o Irmão necessita de nós e o Senhor chama – “Quem quiser vir comigo, assuma a sua Cruz e siga-me.” (Lc 9, 23). E no seguimento de Cristo como Carmelitas, tivemos a graça de refletir sobre nosso inspirador – o Profeta Elias (que em sua missão profética manifestou a presença de Deus sendo corajoso, simples e dedicado à causa do Senhor) e nossos Santos doutores, Santa Teresa de Jesus ( profeta da Oração, que consegue, com a graça de Deus, um novo caminho de grande intimidade com o Pai Amado) e São João da Cruz ( profeta da Fé, que percebe, com a graça divina, que a subida para o Monte Carmelo é um caminho que se realiza na noite escura, no esforço e nas lutas contra as tentações...). E finalizamos nosso Retiro com uma profunda Celebração Eucarística, presidida pelo Pe. Lucas Germano – Vigário Paroquial do Santuário Santa Rita de Cássia de Viçosa/MG.

Nossos dias de retiro foram momentos ricos da Presença de Deus, das graças do Espírito Santo e com a graça do Pai, recebemos um novo vigor para assumirmos nossa Missão profética no espaço onde estamos inseridas. Estou muito feliz, pois sinto a mão de Deus conduzindo minha história, me convidando a Recriar o Amor existente em mim para assim, com entusiasmo e esperança dar mais um passo em minha formação: o Noviciado Canônico.

Noviça Beatriz Marques Dias


XVIII Capítulo Geral Ordinário

A Família Religiosa de Madre Maria das Neves, celebrou a sua Assembleia Capitular nos dias 13 a 22 de janeiro de 2019, na Casa de Retiros Seminário da Floresta, em Juiz de Fora - MG. Participaram 42 Irmãs. Estiveram presentes como assessores: Dom Francisco de Sales Alencar Batista, O.Carm, na orientação do Retiro Espiritual, Monsenhor Nédio dos Santos Lacerda, Vigário Geral da Arquidiocese de Belo Horizonte, Delegado do Arcebispo Metropolitano, Dom Walmor Oliveira de Azevedo e Padre Rhawy Chagas Ramos, Assessor Canônico na preparação e realização do XVIII CGO, aos quais agradecemos a presença efetiva e fraterna.

Num clima de oração, fraternidade, discernimento e corresponsabilidade, os trabalhos Capitulares foram realizados com tranquilidade, alcançando os objetivos: Aprovação da Unificação do Governo da Congregação; Reformulação do Diretório Geral; Definição de Metas para o Sexênio 2019-2025 e Eleição do novo Governo Geralque ficou assim constituído:

       Superiora Geral: Irmã Maria Imaculada Resende Pereira

       1ª Conselheira e Assistente: Irmã Teresa Cristina Duque Carvalho

       2ª Conselheira: Irmã Maria Helena Lomeu

       3ª Conselheira: Irmã Meiriane Coelho Rodrigues

       4ª Conselheira: Irmã Rita de Cássia Silva

Confiantes na Providência amorosa de Deus que se antecipa às nossas fraquezas e sob a proteção materna de nossa Mãe do Carmelo, entregamos ao Senhor a missão assumida pelo nosso Governo Geral.

Ir. Luciana Flávia Gonçalves


GRATIDÃO

Esta é a palavra que expressa verdadeiramente os sentimentos de todas nós da Província Madre Maria das Neves, que se despede de um tempo muito significativo, de muito crescimento, amadurecimento e vivência da Fraternidade. Foram 27 anos de muita vida, vivida no respeito, liberdade e partilhas significativas. E é por tanta vida vivida, que não podíamos deixar passar em branco e, no dia 16 de dezembro, domingo da alegria, nos reunimos em Vila Isabel, para agradecer ao Deus da Vida, pela caminhada percorrida. Como celebrante, nosso amigo e irmão Dom Roberto Lopes e vários amigos de convivência diária e que fazem parte dessa história. Após á Celebração Eucarística, nos confraternizamos com um gostoso almoço e nesse momento se uniu à nós, o Padre Rhawy, outro amigo de caminhada e que se faz presente sempre que possível. Foi um momento muito significativo para nós.  Por tudo isso, a nossa gratidão por tudo que aconteceu e que foi vivido e assumido por todas as Irmãs.  Encerramos e iniciamos vários ciclos, pois fazem parte do processo de vida do ser humano. Sonhamos e realizamos o sonho da saída, da travessia, da ousadia profética de uma verdadeira Carmelita da Divina Providência.

Agora, é hora de experienciar um novo momento, não podemos dizer que vai ser da mesma forma ou que não é novo, pois somos outras pessoas, mais vividas e para algumas, será momento novo, pois entraram depois da descentralização. Por tudo isso, demos graças a Deus!

 

Irmã Maria de Fátima de Carvalho

 


FESTA DE NATAL COM IRMÃS E FUNCIONÁRIOS

                  A Comunidade Flor do Carmelo se preparou com muita alegria e entusiasmo para, mais uma vez, acolher o Menino Deus que irá  nascer no meio de nós.

                 Além de enfeitar os ambientes com cores vibrantes, fizemos a novena do Natal com o texto preparado  pela Diocese de Petrópolis, cujo foco central foi  contar a história do Seminário Nossa Senhora do Amor Divino , que completará em 2019,  70 anos de fundação.

               Dom Gregório com a sua equipe nos presenteou com um lindo e bem elaborado  texto sobre o surgimento do Seminário.

              Além da novena com a Comunidade, fizemos também um Tríduo  de preparação para a vinda do Messias, com os funcionários do Centro Social São José  e da Comunidade Flor do Carmelo, no qual, constatamos  muito interesse  e participação  dos mesmos.

              E após o encerramento do Tríduo, no dia 21 de dezembro, fizemos uma Celebração na Capela para todos os funcionários. Em seguida foi servido um almoço, onde partilhamos momentos de acolhimento e solidariedade, acompanhado de uma deliciosa sobremesa.

             E como culminância desta manhã, tivemos também a revelação de amigo (a) oculto (a), com trocas de presentes, mensagens e muita descontração. 

              Mas não parou aí, porque tivemos no dia 24 de dezembro, a Vigília Natalina  presidida pelo Padre Gabriel, Capelão da Comunidade, com a participação de muitos amigos,  numa verdadeira demonstração de fé no Deus que se fez criança e veio morar entre nós. Tivemos em seguida a Ceia, com a presença de algumas pessoas amigas.

                No dia 25 de dezembro às 10 horas, na Celebração Eucarística nossas mentes se elevaram para agradecer ao Menino Jesus o ano que termina, cheio de desafios e  superações e com o desejo de que o de 2019 traga para nós e o nosso Brasil paz, respeito, justiça, partilha e solidariedade.

                                                                                              Irmã Célia Maciel